Arquivo mensal 28 de abril de 2021

Modelo e ativista, Gisele Bündchen lança projeto ambiental para incentivar as crianças a plantar

Em parceria com o Instituto Alana, o intuito da famosa é introduzir os pequeninos a este universo para que, quando grandes, eles tenham uma maior noção de sustentabilidade

Em parceria com o Instituto Alana, organização que promove o direito e o desenvolvimento integral da criança, além de impulsionar novas formar de viver bem, a modelo e ativista ambiental Gisele Bündchen lançou um projeto que tem como objetivo incentivar as crianças a plantar.

A ideia do projeto é estimular os pequeninos para que eles criem espaços verdes e tomem consciência desde cedo da importância do plantio, além do crescimento de áreas como pomares e hortas, por exemplo, plantando em uma área onde caiba meio metro quadrado de canteiro ou três vasos de plantas.

Gisele e o Instituto Alana adotaram a metodologia conhecida como TiNis – Terra das Crianças, reconhecida pela Unesco, para o projeto. A criação da Fundação peruana ANIA, implementada em países como Equador, Costa Rica, Bolívia, Indonésia e Japão, busca transformar as crianças em agentes de transformação para um mundo mais sustentável e ”ambientalmente” correto.

Em parceria com a produtora Maria Farinha Filmes, a modelo ainda criou uma série com 11 episódios, na qual aparece ao lado de seus filhos, para ajudar as crianças e os responsáveis a implementar o projeto em casa ou em espaços verdes próximos.

Vale lembrar que, ao completar 40 anos de idade no mês de agosto de 2020, Gisele superou sua meta e anunciou que iria plantar 250 mil árvores na Amazônia. Para conferir a matéria  completa, basta clicar aqui.

Fonte: Bons fluidos/Fotos: @gisele

Um ano após o início da pandemia, cientista destaca 5 notícias boas que geram esperança

Cientistas preveem que a humanidade esteja no princípio do fim da pandemia

O mundo completou um ano de pandemia e, embora o Brasil ainda esteja enfrentando caos na saúde e caminhando na contramão da tendência de queda dos casos no mundo, muitos avanços foram conquistados até aqui especialmente nos países onde as medidas de proteção foram seguidas à risca. Alguns cientistas preveem que a humanidade já está passando pelo princípio do fim da covid-19 e apontam para alguns fatos positivos que podem comprovar esta tese. 

O microbiologista espanhol Ignacio Lopez-Goni escreveu um artigo listando 10 notícias boas sobre a covid-19 um ano após o início da pandemia. Veja seis delas:

Existem mais de 100 mil artigos sobre a covid-19

Em pouco mais de um ano de pandemia, mais de 100 mil pesquisas e artigos foram realizados. O número é maior do que estudos sobre a malária.

Mais de 200 vacinas foram desenvolvidas

Embora no início da pandemia parecesse impossível criar vacinas em pouco tempo, cientistas, médicos e pesquisadores desenvolveram mais de 200 imunizantes em diferentes países em tempo recorde.​

As vacinas são eficazes e seguras

O número de infecções está diminuindo significativamente em países onde a vacina já foi aplicada em boa parte da população. Isso indica a eficácia dos imunizantes e a segurança dos mesmos.

Existe tratamento para casos graves

Embora não exista um medicamento que cure a covid-19 ou um antiviral para preveni-la. Há uma combinação de medidas e tratamentos capazes de evitar que a doença evolua.

Ciência avançou rapidamente durante a pandemia

Em pouco tempo e em meio ao caos, a ciência progrediu e reforçou para a população a importância da pesquisa. Testes, diagnósticos e vacinas em tempo recorde provaram a evolução dos estudos científicos. 

Fonte: Bons Fluídos/Imagem: Pixabay

Nova declaração de Monique Medeiros, mãe de Henry, traz alerta importante

Professora relatou que conheceu Jairinho após separação e, pouco tempo depois, foi morar junto com ele

Parecia outra pessoa. Foi essa a impressão que a professora Monique Medeiros passou ao Brasil quando mudou sua versão do depoimento e fez novas revelações a respeito da morte do próprio filho, Henry Borel Medeiros, de 4 anos. 

Na carta que escreveu na última sexta-feira, no Hospital Penitenciário Hamilton Agostinho, no Complexo Penitenciário de Gericinó, onde está internada por conta da covid-19, ela narrou um cenário oposto ao que havia descrito para a polícia, onde sofria humilhações e agressões constantes do médico e vereador Jairo Souza Santos Júnior, conhecido por Jairinho, e negou ter negligenciado as agressões que seu filho sofria. “Nunca encostei um dedo nele, nunca bati em meu filho, eu fui a melhor mãe que ele poderia ter tido”, escreveu.

Monique Medeiros afirma ter sido uma boa mãe
e nega ter negligenciado as agressões que o filho sofria. FOTO: REPRODUÇÃO

Ela afirma ter sido dopada e enganada pelo parlamentar na noite da morte da criança. Os dois estão presos acusados pelo assassinato de Henry.

Abrigando o inimigo

Me chamou atenção que, nesse novo depoimento, Monique também descreveu com detalhes o término do seu relacionamento com o engenheiro Leniel Borel de Almeida, pai de Henry, no ano passado. Ela diz ter conhecido Jairinho pouco tempo depois, pelo Instagram, em um momento que estava muito fragilizada. 

Após pedir a separação de Leniel e voltar para a casa da família, em Bangu, no Rio de Janeiro, em 31 de agosto, teve seu primeiro encontro com o vereador. Os dois começaram a namorar e, menos de três meses depois, decidiram morar juntos.

Se o que Monique disse em sua carta é verdade ou não, ainda não sabemos, mas, de qualquer forma, podemos constatar muitos erros gravíssimos em sua conduta. O primeiro, com certeza, foi o de ir morar com outra pessoa, sem ao menos conhecê-la bem, e inserir seu filho nesse ambiente.

Segundo especialistas, começar um relacionamento é importante, mas, quando esse momento vem depois de uma separação que deixou como fruto uma criança, cautela se torna a palavra-chave. Afinal de contas, o novo parceiro precisa ser, antes de tudo, bom para o filho. E como saber isso com poucos meses de convivência?

É necessário conhecer muito bem o futuro cônjuge, antes de obrigar uma criança aceitar a ideia de ter um novo padrasto ou madrasta. 

Por isso, é óbvio que a “hora certa” de inserir o filho em uma nova relação não está relacionada a prazo, mas, sim, na solidez do relacionamento.

Atitude acende alerta

De nada adianta insistir para ficar com alguém que tem atitudes contrárias as suas palavras. Jairinho deu todos os sinais possíveis de que era um péssimo padrasto. Monique escolheu ignorar, seja por medo, como disse na carta, ou por frieza, como demonstrou em seu primeiro depoimento.

Ela deixou de lado a necessidade de conhecê-lo melhor, antes de dar um passo sério, como o de dividir o mesmo teto, sem qualquer compromisso de casamento. Como saber se uma pessoa está preparada para assumir a posição não apenas de marido, mas também de padrasto, em menos três meses?

Infelizmente, há muitos pais e mães que têm deixado de lado esse tipo de avaliação. Assim, notícias sobre violência praticada por padrastos e madrastas contra crianças e adolescentes são cada vez mais comuns.

Por isso, é importante que a atitude de Monique, de ir morar com seu filho com uma pessoa que sequer conhecia, sirva de exemplo para todos os pais e mães solteiros.

Morte do pequeno Henry reforça a necessidade da luta contra a violência doméstica
REPRODUÇÃO/INSTAGRAM

Somente assim conseguiremos lutar contra as crescentes agressões que se repetem no Brasil inteiro. De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a violência doméstica está presente no lar de pelo menos 103,8 milhões de brasileiros.

Por mais improvável que possa parecer, nem sempre o pai ou a mãe percebe os maus tratos que o filho recebe do novo cônjuge. Por isso, psicólogos alertam a respeito da importância de estar próximo da criança e atento às mudanças de comportamento para estabelecer uma relação de confiança e diálogo.

Todos têm o direito de recomeçar a vida amorosa, mas a entrada de uma nova pessoa na família exige cuidado, responsabilidade e precisa ser gradual. Não se pode esquecer que antes do novo parceiro existe um filho ou filha que precisa de cuidado, atenção e amor.

Fonte: Notícias R7

Benefícios do chá de alecrim para a saúde e como fazer

Por: Tatiana Zanin – Nutricionista

O chá de alecrim é conhecido pelo seu sabor, aroma e pelos seus benefícios para a saúde como melhora da digestão, alívio da dor de cabeça e combate ao cansaço frequente, além de também favorecer o crescimento do cabelo.

Essa planta, cujo nome científico é Rosmarinus officinalis, é rica em compostos flavonoides, terpenos e ácidos fenólicos que lhe proporcionam propriedades antioxidantes. Além disso, o alecrim é antisséptico, depurativo, antiespasmódico, antibiótico e diurético.

1. Melhora a digestão

O chá de alecrim pode ser tomado logo a seguir o almoço ou o jantar, sendo útil para melhorar o processo digestivo, ajudando a combater a acidez e o excesso de gases. Dessa forma, diminui a distensão abdominal e a falta de apetite.

2. É um ótimo antibiótico natural 

Devido às suas propriedades medicinais, o alecrim possui ação antibiótica, sendo mais eficaz contra as bactérias Escherichia coliSalmonella typhiSalmonella enterica e Shigella sonnei, que são normalmente relacionadas com infecção urinária, vômito e diarreia.

Apesar disso, é importante não excluir o uso de medicamentos indicados pelo médico, mesmo sendo uma ótima forma de se recuperar mais rápido.

3. É um excelente diurético

O chá de alecrim é um excelente diurético natural, podendo ser utilizado em dietas para baixar de peso e combater a retenção de líquidos no corpo. Esse chá aumenta a produção de urina estimulando o organismo a eliminar os líquidos e as toxinas acumuladas, melhorando a saúde.

4. Combate o cansaço mental

Vários estudos comprovaram os benefícios do alecrim para o funcionamento cerebral e, por isso, é uma excelente opção para períodos de estresse como antes de provas ou antes ou depois de reuniões de trabalho, por exemplo.

Além disso, as propriedades do alecrim também podem ter efeito no que diz respeito ao combate do Alzheimer, evitando a perda de memória, no entanto são necessários mais estudos para que se possa utilizar o alecrim na produção de medicamentos contra o Alzheimer.

5. Protege a saúde do fígado

O alecrim pode atuar melhorando o funcionamento do fígado e diminuindo a dor de cabeça que surge depois de ingerido bebidas alcoólicas ou ter comido em excesso, principalmente comidas com grande teor de gordura.

No entanto, o chá de alecrim não deve ser consumido em caso de doenças do fígado sem que seja indicado pelo médico, isso porque apesar de ter efeito protetor do fígado ainda não se sabe qual a eficácia desse chá contra essas doenças.

6. Ajuda no controle da diabetes

O chá de alecrim também ajuda a manter a diabetes sob controle, já que diminui a glicose e aumenta a insulina. O consumo desse chá não substitui o uso de medicamentos indicados pelo médico e a realização de uma alimentação adequada, devendo ser ingerido como complemento do tratamento médico e nutricional.

7. Combate a inflamação 

O consumo de chá de alecrim também é excelente para combater a inflamação e aliviar a dor, o inchaço e o mal estar. Por isso, pode ajudar a combater a inflamação no joelho, a tendinite e, inclusive, a gastrite, que é a inflamação no estômago.

8. Melhora a circulação

O alecrim possui efeito antiplaquetário, sendo, por isso, de grande utilidade para quem tem problemas circulatórios ou que necessitam manter repouso durante alguns dias, já que melhora a circulação e evita a formação de trombos, que poderiam obstruir a circulação. Por isso, uma das recomendações é consumir o chá depois de uma cirurgia, por exemplo.

9. Ajuda a combater o câncer 

Alguns estudos realizados com animais indicam que o alecrim é capaz de diminuir o desenvolvimento de células tumorais devido a sua ação antioxidante, no entanto são necessários ainda outros estudos para identificar exatamente como essa planta pode ser utilizada na produção de medicamentos contra o câncer.

10. Pode ajudar no crescimento do cabelo

Além de tudo isso, o chá de alecrim sem açúcar pode ser usado para lavar o cabelo, porque ele fortalece os fios, combate a oleosidade excessiva, combatendo a caspa. Além disso, facilita o crescimento do cabelo, porque melhora a circulação do couro cabeludo.

Como fazer o chá de alecrim

Foto: Divulgação

Ingredientes

  • 5 g de folhas secas de alecrim;
  • 150 ml de água em ponto de fervura.

Preparo

Adicionar o alecrim na água fervente e deixar repousar por 5 a 10 minutos, devidamente tapado. Coar, deixar amornar e tomar, sem adoçar, de 3 a 4 vezes por dia.

Além de ser utilizado na forma de chá, o alecrim pode ser utilizado como erva aromática para temperar os alimentos e está disponível na forma seca, em óleo ou fresco. O óleo essencial é especialmente utilizado para adicionar à água de banho ou para fazer massagens em locais doloridos.

Por quanto tempo tomar o chá?

Não há um tempo definido para o consumo do chá, no entanto os fitoterapeutas recomendam o consumo por cerca de 3 meses, devendo parar por 1 mês.

É melhor usar as folhas secas ou frescas?

De preferência é melhor utilizar as folhas frescas, já que o potencial terapêutico pode ser encontrado principalmente no óleo de essencial de alecrim, cuja concentração é maior nas folhas frescas que nas secas.

É possível preparar o chá de alecrim com canela?

Sim, não há contraindicação para utilizar a canela em conjunto com o alecrim para preparar o chá. Para fazer basta acrescentar 1 pau de canela na receita original do chá.

Possíveis efeitos secundários

O chá de alecrim é considerado bastante seguro, no entanto, quando consumido em excesso pode causar náuseas e vômitos.

No caso do óleo essencial, não deve ser aplicado diretamente sobre a pele, já que pode causar irritação, além de também não ser usado em feridas abertas. Além disso, também pode desencadear crises epiléticas em pessoas com epilepsia.

No caso de pessoas com pressão alta e que tomam medicamentos, o chá de alecrim poderia causar hipotensão, enquanto que no caso das pessoas que tomam diuréticos, pode haver desequilíbrio nos eletrólitos.

Contraindicações e cuidados

O chá de alecrim não deve ser consumido durante a gravidez, a amamentação e por crianças com menos de 5 anos. As pessoas que possuem doença do fígado também não devem consumir esse chá, uma vez que promove a saída da bílis, o que poderia piorar os sintomas e a doença.

Além disso, poderia interagir com alguns medicamentos, como anticoagulantes, diuréticos, lítio e medicamentos para regular a pressão arterial, e, por isso, caso a pessoa esteja fazendo uso de algum desses medicamentos é importante consultar o seu médico antes de tomar o chá de alecrim.

De acordo com alguns estudos, o óleo de alecrim, que também está presente no chá, pode estimular o desenvolvimento de crises em pessoas com epilepsia e, por isso, deve ser usado com precaução e sob orientação de um médico ou fitoterapeuta.

Bibliografia 

  • EUROPEAN MEDICINES AGENCY. Assessment report on Rosmarinus officinalis L., aetheroleum and Rosmarinus officinalis L., folium. 2010. Disponível em: <https://www.ema.europa.eu/en/documents/herbal-report/assessment-report-rosmarinus-officinalis-l-aetheroleum-rosmarinus-officinalis-l-folium_en.pdf>. Acesso em 08 Abr 2020
  • AKOUR Amal, KASABRI Violet et al. The use of medicinal herbs in gynecological and pregnancy-related disorders by Jordanian women: a review of folkloric practice vs. evidence-based pharmacology. Pharmaceutical biology. 54. 9; 1901–1918, 2016
  • THE HERB SOCIETY OF AMERICA. Rosemary: quick facts. 2009. Disponível em: <https://www.herbsociety.org/file_download/inline/824d2982-0b7c-40d9-b3d9-9e5d823d295c>. Acesso em 08 Abr 2020
  • CANCER SUPPORT CENTER. Fresh Rosemary. Disponível em: <https://cancersupportcenter.org/wp-content/uploads/Rosemary-Handout-Final.pdf>. Acesso em 08 Abr 2020
  • NIETO, Gema et al.. Antioxidant and Antimicrobial Properties of Rosemary (Rosmarinus officinalis, L.): A Review. MDPI – Medicines. Vol.5, n.98. 2018
  • MURATA K et al.. Promotion of hair growth by Rosmarinus officinalis leaf extract. SKINmed Journal. Vol.27, n.2. 212-217, 2012
  • PANAHI, Y et al.. Rosemary oil vs minoxidil 2% for the treatment of androgenetic alopecia: a randomized comparative trial. SKINmed Journal. Vol.13, n.1. 15-21, 2015
  • BAHR, Tyler A. et al.. The Effects of Various Essential Oils on Epilepsy and Acute Seizure: A Systematic Review. Evidence-based Complementary and Alternative Medicine. Vol.2019. 2019
  • EPILEPSY SOCIETY. Complementary therapies. Disponível em: <https://epilepsysociety.org.uk/living-epilepsy/wellbeing/complementary-therapies>. Acesso em 15 Dez 2020

Fonte: Tua Saúde

Imagens: Divulgação/pesquisa livre

Homem é liberado após 16 anos preso sem existir processo contra ele

Após passar 16 anos preso injustamente no Ceará, Cícero José de Melo, de 47 anos, ganhou a liberdade na tarde de hoje.

O pedreiro foi acusado de tentativa de homicídio em 2005, mas nenhum processo denunciando o suposto crime chegou a transitar na Justiça. Mesmo assim, ele permaneceu detido em uma penitenciária cearense por quase duas décadas.

Cícero agora está sendo assistido pelo advogado criminalista Roberto Duarte. O defensor explicou que ficou sabendo do caso de Cícero por intermédio de um outro cliente, que cumpria pena na mesma unidade prisional.

“Durante quase um mês ocorreram investigações paralelas acerca da real condição processual do senhor Cícero José. Buscamos dados sobre possíveis processos criminais em nome dele, mas encontramos nada”, esclareceu o advogado.

Após confirmação de que não havia processo que justificasse a prisão do homem, o advogado solicitou seu alvará de soltura, que foi expedido anteontem. “A juíza corregedora dos presídios, a mesma que oficia junto à Vara de Execuções Penais, determinoua saída do cárcere imediatamente”, continuou.

Na decisão, a juíza Maria Lúcia Vieira alegou que “Cícero está preso sem que seja possível aferir por qual motivo se encontra custodiado”. Segundo o advogado Roberto Duarte, o homem disse que foi acusado por tentativa de homicídio de uma companheira dele, mas que nega a autoria do crime.

Fora da prisão, Cícero foi levado até a cidade do Crato, a 270 km de Fortaleza, onde a família reside. Uma prima dele disse que não procuraram por ele por acharem que Cícero havia se mudado para Fortaleza. “Passei 16 anos preso de forma injusta. A juiza se sensibilizou e me soltou. Me considero um sequestrado. Passei esse tempo todo péssimo, por estar no mesmo ambiente com vários criminosos”, desabafou Cícero José.

O pedreiro não tem documentos. De acordo com o advogado Roberto Duarte, assim que os registros civis dele forem expedidos, uma ação indenizatória será ajuizada contra o estado.

Fonte: UOL

Podcast com Rita Queiroz – “Os desafios em manter a poesia em tempos de pandemia”

Um papo sobre: “Os desafios em manter a poesia em tempos de pandemia”, com a escritora, professora, poeta, Rita Queiroz.
Nascida na Bahia de todos os Santos, Rita Queiroz estudou Letras Vernáculas e se tornou professora de Língua Portuguesa, Literatura Brasileira e Filologia Românica.
Como poeta, tem os seguintes livros publicados para o público adulto: Velas ao vento, Confissões de Afrodite, O Canto da borboleta, Canibalismos (Penalux, 2020, 2019, 2018, 2017) e Colheitas (Darda, 2018).

O projeto Café com Poemas lança mais essa novidade que são as entrevistas, bate-papos, declamações, histórias e tutoriais em formato de podcast (áudios). Esse tipo de ferramenta tem crescido bastante no Brasil. Segundo informação da revista ISTOÉ, com indicativo do Ibope, “50 milhões de brasileiros já ouviram podcasts, o que corresponde a cerca de 40% dos 120 milhões de internautas do País. Desse total, 16 milhões (19%) escutam diariamente. Um estudo da Deezer, concorrente do Spotify, diz que o consumo de podcasts por aqui cresceu 67% apenas em 2019”.

Espero que você curta essa entrevista e se gostou, compartilhe, curta, comente! Navegue pelo site e aproveite os nossos conteúdos (sempre gratuitos e disponíveis).

*Todos os episódios estão nas principais plataformas de audio, spotify, spreaker, deezer, Podcast Addict, podchaser, Amazon music, etc.

Confira também o video da gravação:

Um grande abraço,

Leandro Flores

(Editor e Coordenador Nacional do Movimento Cultivista e do Café com Poemas)