Categoria Educação

Salve, Jorge! Viva o português de Portugal!!!

Homenagem ao grande Educardor baiano, Jorge Portugal, que faleceu recentemente

A Bahia, o Brasil e a cultura universal em si, sofrem uma perda irreparável. Jorge Portugal foi, talvez, um dos maiores mestres que tivemos na atualidade.

Dono de um vocabulário ímpar e de uma didática que era quase impossível não reconhecer, “português é com Portugal”, Jorge era a cara e a voz da Bahia, uma Bahia erudita, culta, cheia de significados que só ele sabia traduzir de uma forma peculiar e original. Jorge se foi, mas deixa uma extensa trajetória, contribuições e ensinamentos para educação brasileira… seu nome, certamente, já está marcado entre os grandes…

por isso, em homenagem a esse grande educador baiano, deixo o meu “salve Jorge”.

Viva o português de Portugal!!!

Autoria: Leandro Flores

Leandro Flores é fundador e produtor dos Projetos ligados ao Café com Poemas.

 

Jornalista, Sertanista, Comendador, Poeta, Editor de Livros e Revistas e Designer Gráfico. Leandro é autor dos livros “Sorriso de Pedra – A outra face de um Poeta” e “Portfólio: Traços e Conceitos”.

É membro-fundador da Academia de Letras do Sertão Cultivista, membro da CAPPAZ – Confraria Artistas e Poetas pela Paz, além de outras instituições Acadêmicas pelo país. Também é Coordenador e Idealizador do Movimento Cultivista Brasileiro e do Projeto Cartas e Depoimentos. Já fez participações em dezenas de antologias poéticas, além de ORGANIZAR e AUXILIAR outras publicações. Leia mais…

Monografia e artigo científico. Qual a diferença?

Ao chegar ao final do curso de graduação, o estudante deve decidir o tema do seu trabalho de conclusão de curso e como vai desenvolvê-lo: se em forma de monografia ou artigo científico. O trabalho de conclusão é uma das principais preocupações entre os universitários, já que o TCC é obrigatoriedade para conclusão na maioria dos cursos.

O que é um TCC?

É a abreviação de Trabalho de Conclusão de Curso e aplica-se, principalmente, para estudantes universitários. Ao terminar o curso, seja de graduação ou pós-graduação, o aluno deve apresentar um trabalho de conclusão que utilize todos os conhecimentos adquiridos durante o curso. O TCC poderá ser feito das seguintes formas: monografia, um artigo cientifico, uma tese para cursos de pós-graduação de doutorado, um relatório de estágio ou uma dissertação no caso de cursos de pós-graduação de mestrado. A decisão do tipo de TCC vai depender do curso e da instituição.

Quer saber mais sobre formatação de artigos científicos ou monografias? Leia esse artigo:

Tema de TCC – Como escolher o tema de suas Monografias

 

Acontece que os trabalhos monográficos se dividem em Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) para graduação, monografia para pós-graduação, dissertação para mestrado e tese para doutorado.

O que é uma monografia?

A monografia é um trabalho escrito sobre os resultados de uma pesquisa focalizada em um tema único, uma delimitação de campo ou um recorte de uma realidade. Além disso, a monografia deve seguir um formato e uma estrutura lógica apresentando dados sobre a hipótese criada, a metodologia desenvolvida e os resultados da pesquisa.

O que é um artigo científico?

Já o artigo científico é um trabalho monográfico apresentado de forma sintética e objetiva e pode ser resultado de uma pesquisa independente ou um desenvolvimento acadêmico. O artigo é separado em “acadêmico” e “não acadêmico”. No formato acadêmico deve obedecer aos critérios de pesquisa para sua elaboração e apresentação. Não sendo acadêmico pode ser uma publicação destinada a órgãos ou revistas especializados em determinado assunto. Pode ser, por exemplo, o resultado de uma pesquisa independente.

Referências

Normalmente, esse tipo de trabalho é acompanhado com muita pesquisa e utilização de referências. Portanto, lembre-se que, se o seu trabalho foi baseado em um texto de alguém, coloque sempre o nome e sobrenome do autor, o título original, editora, dados para complementar ou, se falar sobre algum decreto, coloque o nome do país que está esse decreto e os artigos.

 

______________________________________________

Fonte: https://www.epdonline.com.br/

Tema de TCC – Como escolher o tema de suas Monografias

DIFERENÇAS ENTRE MONOGRAFIA E ARTIGO CIENTÍFICO

Muitos alunos, ao invés de uma monografia ou mesmo um TCC, devem redigir
um artigo científico, e não sabem a diferença entre os conceitos, ou a função
do mesmo.
Outros pensam que um artigo científico apresenta uma elaboração mais
simplificada, o que não corresponde à realidade.
Apesar de não haver uma regra específica quanto ao número de páginas, um
artigo é menor e mais conciso que uma monografia, propriamente dita,
apresentando um sistema de formatação próprio e relativamente variável, de
acordo com o objetivo do mesmo.
Quer saber mais sobre formatação de artigos científicos ou monografias?

COMO FORMATAR MONOGRAFIA E TCC

Geralmente, cada instituição de ensino, universidade, revista científica ou
entidade determina uma formatação específica para monografias, TCC ou
artigos e a função de tal especificidade advém especificamente do papel do
texto para a mesma.
Assim, ao redigir seu TCC, você deve seguir a formatação específica
necessária. Procure seu orientador, ou então a secretaria da universidade para
maiores informações.

A ABNT, Associação Brasileira de Normas Técnicas, entidade brasileira de
normatização, tem em sua base as regras de formatação de textos científicos e
acadêmicos. Aliás, se cada universidade ou entidade tem uma formatação
específica, cada uma delas se baseia nas normativas da ABNT.

Foto: ilustração

PAPEL DO ARTIGO CIENTIFICO

Tal como em uma monografia, o papel de um artigo científico,
fundamentalmente, deriva do próprio gênero do mesmo. Via de regra, podemos
dividir os artigos em três gêneros:
– Artigo de revisão bibliográfica – Tal como o nome já indica, artigos
científicos deste tipo são elaborados a partir da análise de referenciais
teóricos ou fontes bibliográficas. Sua função principal é, partindo-se da
síntese e da estruturação conceitual, ampliar o entendimento sobre o tema.
Nas universidades, tais artigos científicos muitas vezes servem para ampliar a
familiaridade do aluno com o conhecimento científico.
– Artigos originais – A principal diferença é que, apesar de também se apoiarem
em fontes bibliográficas, seu papel principal é destacar os resultados de uma
pesquisa prática realizada pelo autor ou pelo grupo de trabalho deste. As
diferenças residem na metodologia de elaboração, que foge do universo da
leitura para a vida prática real.
– Artigos de divulgação – Os artigos científicos de divulgação, como o próprio
nome indica, servem para comunicar ao público alvo algo que seja do interesse
do autor. Estes não são muito comuns nos cursos de graduação e pós-graduação.
A partir dessas diferenças conceituais, pode-se ter uma ideia da complexidade
do trabalho exigido, de modo que, desta forma, um Artigo Científico pode não
ser mais simples ou fácil que uma monografia sobre o mesmo tema.

DIFERENÇAS ENTRE MONOGRAFIA E ARTIGO CIENTÍFICO

Uma das principais diferenças entre monografias e artigos científicos é a
concisão de linguagem a ser utilizada neste último. Um Artigo Científico tem
uma extensão menor que uma monografia sobre o mesmo tema, devendo, por
isso, ser mais sintético. Em uma pesquisa monográfica o autor pode divagar
mais e esmiuçar melhor o assunto, mas este não é o papel do Artigo.
Aqui reside uma das principais dificuldades do Artigo Científico:

  • Como fazer caber, muitas vezes em poucas páginas, as ideias originais
    do autor?
  •  Como ele poderá abordar o necessário em tão pouco espaço?

Isso varia de caso a caso, mas quem já escreveu um Artigo Científico sabe
perfeitamente o quão difícil é você ser obrigado a resumir suas ideias ou seus
resultados.

Da mesma forma, essa diferença ensina, ao autor, a como ser preciso
cientificamente, como selecionar com mais base sua bibliografia de pesquisa,
como avaliar melhor os dados coletados, entre outros aspectos.
E é exatamente por isso que é cada vez maior o número de instituições de
ensino que solicitam a seus alunos a entrega de artigos científicos como TCC
no final do curso e não uma monografia, já que a correção é facilitada pelo
menor texto, que deverá ser muito mais rico e objetivo que em um material
monográfico.
Por sua natureza, a redação de um Artigo Científico pode ser precedida pela
entrega de um projeto de pesquisa, que servirá para delimitar anteriormente as
bases fundamentais da pesquisa a ser realizada e entregue quando da
elaboração do artigo científico.

 

MONOGRAFIA – CONCEITO

O medo comumente sentido por todo estudante, ao precisar escrever sua
primeira monografia, geralmente no final do seu curso de graduação,
independentemente do curso do mesmo, é praticamente universal.
Primeiramente, há um desconhecimento muito generalizado sobre o que seria
a famigerada monografia, de modo que, desta forma, trabalhando-se o conceito
da mesma, ter-se-á melhores possibilidades de sucesso.
Uma monografia significa literalmente, escrita sobre um único tema. A
amplitude do conceito permite milhares de interpretações diferentes, de modo
que qualquer gênero escrito sobre um único assunto pode ser elencado no
conceito de monografias.
Todas as monografias contam, no mínimo, com título, nome dos autores,
resumo, introdução (incluindo objetivos), desenvolvimento, conclusões,
referências bibliográficas, e, também, com indicações de ações e/ou
recomendações de pesquisas futuras.
Assim, vale conceituar, rapidamente, elementos próprios de uma monografia.
O Resumo – Toda pesquisa monográfica deve conter um resumo como um
dos primeiros elementos formadores da mesma. A função deste elemento é
oferecer a qualquer leitor um panorama básico e resumido do que encontrará
no corpo do texto assim como um breve resumo das conclusões mais
importantes.
A Introdução – Este elemento serve para abrir o tema e oferecer elementos
básicos ao leitor para que este compreenda melhor a monografia. Via de regra,
toda introdução de um texto monográfico contém os fundamentos da pesquisa,
os objetivos envolvidos, as hipóteses levantadas e a metodologia.
Desenvolvimento/Referencial teórico – Aqui fica o corpo principal da
monografia, sempre que ela for inerentemente de cunho teórico – bibliográfico.

Foto: ilustração

Este campo demonstra o conhecimento existente sobre o tema do trabalho
monográfico, a partir da lista de bibliografias selecionadas e citadas sempre no
final do texto.
Conclusão – Este é o encerramento do seu trabalho monográfico, a partir de
todos os elementos anteriormente citados.
Referências Bibliográficas – Aqui se situam todas as fontes de pesquisa
utilizadas para a realização do Artigo Científico.
Outros elementos a serem considerados para o sucesso de trabalho são:
Organização – Organização geral e formas de apresentação do trabalho
monográfico
Estrutura – Presença dos elementos discutidos, uso correto das citações
bibliográficas, redação correta.

TEMA DE TCC
COMO ESCOLHER O TEMA DE SUAS MONOGRAFIAS

Inicialmente, antes mesmo de se levar em consideração os fatores envolvendo
o “tema” de um TCC, deve-se refletir profundamente sobre as razões
motivadoras que o levam a querer escrever um texto monográfico.
É uma obrigação, um prazer, por sua própria vontade ou não, ou ainda existe
um resultado a ser obtido: tudo deve ser pesado e levado em consideração
inicialmente.
A partir da definição deste ponto, pode-se passar para uma abordagem mais
direta sobre o tema de sua monografia – o Artigo Científico seu TCC.
Nesta fase, você ainda não terá respostas mas, muitas perguntas:

  • A definição do tema pode ser de livre escolha?
  • Quais as influências ligadas a tal procedimento?

Geralmente, as respostas para esta segunda fase do processo de seleção do
tema estão conectadas de maneira direta às respostas isoladas na primeira
fase.
Aqui, caso tenha a obrigação de redigir um trabalho monográfico devido a
cumprimento de obrigações em seu curso, deverá contar com o auxílio de um
elemento primordial para o seu sucesso: o orientador.
Seu orientador poderá dar a você as diretrizes necessárias para o cumprimento
de suas obrigações, assim como dar base para a seleção mais apropriada.

 

Você pode se perguntar:

  • Eu imaginava que fosse mais fácil selecionar uma temática para o TCC,
    seria escolher o que gosto, ou o que o orientador mandar.

Ora, se você quiser, pode simplesmente fazer isso, mas os riscos são muito
grandes, senão vejamos:

  • Se você descobrir que não gosta do tema no meio do processo será
    mais difícil alterá-lo.
  • O assunto é interessante, mas você pode descobrir no final que não terá
    meios de cumprir o que deveria, por falta de bibliografia ou por outro
    fator.
  • Um problema destes, descoberto tardiamente, poderá atrasar a escrita
    do seu TCC. Assim, dedique-se arduamente à seleção do melhor tema
    para seu trabalho de cunho monográfico.

OS ERROS MAIS COMUNS EM RELAÇÃO A TEMAS DE
MONOGRAFIAS

Lute para lidar de modo racional com esta escolha, pois dois erros são muito
comuns:

  1.  – O primeiro é escolher um tema muito interessante, inovador, cheio de
    pontos ainda por explorar. O resultado, óbvio, é a impossibilidade de terminar
    seu TCC pela falta de elementos bibliográficos ou fundamentadores. Muitos
    estudantes tomam esta atitude por não pensarem nas consequências ou nas
    dificuldades posteriores ou ainda porque querem impressionar seus
    orientadores, amigos ou familiares.
  2.  O segundo é o oposto, recaindo a seleção por um tema muito simples e

“batido”, com várias bibliografias. Você pode passar por um aluno relaxado ou
incapaz.

O melhor é:

  •  Como no budismo, escolha “o caminho do meio”.
    Na maioria dos casos, ninguém espera de você uma monografia a ser
    publicada em um jornal ou a ser vendida em livrarias, assim tente relaxar e
    curtir este momento de sua vida. Tenha fé em si mesmo e conte com a
    orientação e com bons livros.
    Assim, vença o medo inicial, bastante comum a muitos alunos, pois estes não
    sentem possuir a devida autoridade ou conhecimento sobre o que deverão
    tratar em seu TCC. Tenha fé em seu trabalho e sua capacidade, dentro da
    realidade do tema (lembre-se, o caminho do meio).

O PLÁGIO EM MONOGRAFIA E TCC

A utilização de ideias, textos e conceitos de outras pessoas, ou ainda a
expressão ou representação das mesmas como de própria autoria,
propositalmente ou por negligência, na redação de uma monografia é um ato
conhecido como plágio.
O plágio em uma monografia pode ocorrer através de um livro, revista, jornal,
material da internet, obras de arte, estatísticas, textos (escritos ou não), trechos
de materiais de um TCC ou outro gênero de monografia, entre muitos outros.
Exemplo: Para uma ideia mais precisa do conceito, poderíamos, por exemplo,
supor que um grupo de alunos de pós-graduação deverá realizar uma
monografia cada com o tema “OS SUJEITOS DO DIREITO INTERNACIONAL
PÚBLICO”. Com fonte de pesquisa bibliográfica, o orientador de monografias
exigiu que se servissem do livro “Manual de Direito Internacional Público”, de
Hildebrando Accioly (2000, 14 ed., Ed. Saraiva), entre outras fontes.
Nesta obra, todos os alunos localizaram, na página 65 o seguinte trecho:
“Acresce que os países socialistas, com o apoio de parte da doutrina,
defendem a tese de que os Estados continuam a ser os únicos sujeitos do
direito internacional e que os direitos e os deveres de natureza internacional
desfrutados pelas organizações internacionais decorrem exclusivamente da
vontade dos Estados.”
Assim, como exemplo de construção correta de apoio bibliográfico, poderíamos
supor que, na escrita monográfica, adotássemos um dos seguintes modelos:
“Existe uma preponderância, na consideração de que o agente primário do
Direito Internacional seria o Estado, a partir do qual, por sua vontade
discricionária, concede direitos e cobra deveres próprios das organizações
internacionais. Tal corrente de pensamento é suportada primariamente pelos
países socialistas, juntamente com parte significativa da doutrina (ACCIOLY,
2000)”.
Se não houvesse nenhuma citação ao autor Hildebrando no corpo da pesquisa
monográfica, configurar-se-ia o plágio.
Há várias nuances em relação a como o plágio pode ser cometido em um TCC
ou qualquer outro tipo de monografia. O mesmo vai variar de acordo com o
grau de apropriação que o autor do texto monográfico terá sobre a ideia ou o
texto original da fonte bibliográfica.

Quanto à penalização do plágio em monografias, ela pode variar de
acordo com as instâncias. Na grande maioria das instituições, o plágio
acadêmico em um TCC ou qualquer outra forma de monografia
significará, sem dúvida, a reprovação na disciplina, atrasando sua
formatura em um semestre ou até um ano.

Legalmente, o plágio é crime, já que se trata da expropriação dos direitos de
um terceiro, punível mesmo com prisão.

 

______________________________________________
FONTE: http://www.monografiaultra.com.br/artigocientifico.html

FLORESTAN FERNANDES | 10 LIVROS PARA DOWNLOAD

Florestan Fernandes (1920 – 1995) foi um  importante sociólogo brasileiro.  Sua obra é ampla e variada, abordando estudos sobre vários temas. Contudo, seu  esforço para entender a sociedade brasileira como um todo – sua formação marcada por conflitos, seu desenvolvimento único e suas perspectivas futuras – foi caracterizado por uma perspectiva única que questionava não só a forma de ser da realidade social, como o pensamento sociológico em si. É por esse motivo que Florestan é considerado um dos fundadores da Sociologia crítica brasileira.

Para aqueles que queiram conhecer melhor a obra e o pensamento de Florestan Fernandes, segue abaixo 10 de seus livros em PDF, para download:

A função social da guerra na sociedade Tupinambá – CLIQUE AQUI! | A revolução burguesa no Brasil – CLIQUE AQUI! | Capitalismo dependente e classes sociais na América Latina – CLIQUE AQUI! | Mudanças sociais no Brasil – CLIQUE AQUI! | O negro no mundo dos brancos – CLIQUE AQUI! | O significado do protesto negro – CLIQUE AQUI! | Que tipo de república? – CLIQUE AQUI! | Clássicos sobre a revolução brasileira – CLIQUE AQUI! | Coleção Educadores “Florestan Fernandes” – CLIQUE AQUI! | Florestan Fernandes e seus diálogos intelectuais – CLIQUE AQUI!

 

Fonte: FAROFA FILOSÓFICA

Movimento “Lixo Zero Condeúba” promove uma série de lives sobre a Semana de Melhores Práticas, se ligue

A convidada dessa vez será a Professora e Advogada, Fábia Carvalho, que é Doutora e Mestre em Direito pelo Programa de Direito Econômico e Socioambiental da PUC/PR

Lixo Zero é um movimento que visa uma sociedade sem lixo, em que os compostagens de materiais orgânicos virem adubo, reinserindo-se na cadeia produtiva os materiais recicláveis e potencializando o reaproveitamento de resíduos para, assim, reduzir, efetivamente, o encaminhamento de lixo para os aterros sanitários.

O movimento Zero Waste (termo em inglês que significa lixo zero), surgiu na década de 1970 na indústria química.

No Brasil, existe o Instituto Lixo Zero Brasil, fundado em 2010. O ILZB representa no Brasil a ZWIA (Zero Waste International Alliance – Aliança Internacional do Lixo Zero), movimento internacional de organizações que desenvolvem o conceito de princípios “Lixo Zero” no Mundo.

➤ Leia também:

 

Em 2011, o instituto lançou também a versão jovem do projeto, chamada de Juventude Lixo Zero (Zero Waste Youth) em que disseminou uma campanha pelas mídias sociais, fundando núcleos de jovens pensadores e comprometidos com o meio pedagógico, ético, econômico do meio ambiente, numa visão de mudança do estilo de vida e no incentivo para práticas de sustentabilidade.

Nessa perspectiva, o movimento #lixozerocondeuba, iniciado pela jovem condeubense Eliana Grama Moreira Dutra (conhecida com Aninha) iniciou uma série de lives no Instagram, seguindo orientação da “Semana de Melhores Práticas” do ILZB,  com diversos debatedores e temas como “Redução e reuso do plástico”, “Compostagem”, “Conscientização e educação ambiental”, “Ações comunitárias públicas”, entre outros.  

Para enriquecer ainda mais o debate, o Movimento de Condeúba convidou a Professora e Advogada, Fábia Carvalho, que é Doutora e Mestre em Direito pelo Programa de Direito Econômico e Socioambiental da PUC/PR para falar sobre o tema: “Resíduos Sólidos”.

A live acontecerá no dia 29/05/2020 (hoje), às 16h: 20min, através do perfil do Movimento no Instagram: @condeubalivozero  

 

Confira abaixo, um pouco sobre a convidada:

 

Fábia Ribeiro Carvalho de Carvalho é Especialista em Direito Empresarial pela FECAP/JUSPODIVM. Já atuou como professora do curso de Direito da Universidade Federal de Sergipe (UFS), professora assistente do curso de Direito da Faculdade Pio Décimo e Universidade Tiradentes (UNIT) e ainda como professora dos cursos do Programa de Pós-Graduação em Direito Lato sensu da Universidade Estácio de SáAracaju-SE. Ex assessora jurídica do Banco Bradesco e Itaú.

Atuou ainda como professora em cursos preparatórios para carreira jurídica em Aracaju-SE (FMB). Integrante do grupo de pesquisa Sociedades hegemônicas e populações tradicionais da PUC/PR. atuou como Presidente da comissão científica da Comissão de Violência e Gênero do Instituto Brasileiro de Direito de Família (IBDFAM/SE). Avaliadora ad hoc da FAPITEC-SE. Avaliadora da revista Interfaces científicas.

Atuou como Presidente da Comissão de Direito Ambiental (CDMA) da OAB-SE. Conselheira seccional suplente da OAB-SE. Atua como professora da Faculdade de ciencias e tecnologia FTCcampus Salvador e FBB- Faculdade batista brasileira- Salvador.

Presta consultoria jurídica e advoga em Direito Ambiental, socioambiental e civil, atuando principalmente nos seguintes temas: Direito contratual e real (propriedade e territórios), Direito dos povos e populações tradicionais, territorialidades, resíduos sólidos. E-mail: [email protected] fone: 79-998061608. (Texto informado pelo autor)

Casinha de garrafa-pet que serve para abrigar cães do frio: saiba como fazer

Uma ideia dos alunos de uma escola em São Paulo resolveram confeccionar casinhas feitas de garrafas-pet para ajudar os animais abandonados ou de estimação dos moradores de rua.

Existem muitos animais vivendo nas ruas e, com o inverno que vem chegando, eles passam frio e sofrem mais ainda!

Pensando nisso e buscando ajudar estes animais, alunos do grêmio estudantil da Escola Estadual Professora Judith Sant’Ana Diegues, na Ilha Comprida – São Paulo, resolveram confeccionar casinhas feitas de garrafas-pet para ajudar os animais abandonados ou de estimação dos moradores de rua.

A ideia é ótima porque reutiliza um lixo em abundância (as garrafas-pet) e ainda ajuda muitos animais de rua.

E, para quem quiser aderir à essa ideia, os estudantes compartilharam na internet o passo-a-passo da confecção das casinhas, para que mais e mais pessoas saibam fazer e possam ajudar os animais de rua!

 

CLIQUE AQUI PARA APRENDER A FAZER A CASINHA DE GARRAFA PET

 

Quem não pode adotar e quer fazer algo para ajudar os animais, essa é uma alternativa entre várias outras que existem. Veja outras maneiras de auxiliar os animais abandonados:

Essa iniciativa da casinha de cachorro feita de garrafa-pet é um gesto de amor e uma forma de aquecer os peludinhos que vivem nas ruas, e que tanto precisam de um cantinho para se aconchegar e se proteger!

 

Este artigo foi publicado originariamente no site- Greem Me.

 

Dicas de Português na Quarentena: “há, a ou à?” (Ortografia e Crase) – Prof.ª Renata Barcellos

 

Renata Barcellos Barcellos tem graduação em Letras/Francês, pela Universidade Federal Fluminense (1996), mestrado em Letras  (2003), doutorado em ESTUDOS DE LINGUAGEM pela pela mesma Universidade (2008) e Pós-doutorado em Língua Portuguesa pela UFRJ (2015).
Atualmente ela é  professora na UNICARIOCA de Comunicação, Expressão e de Oficina no Colégio Estadual José Leite Lopes. Também leciona Língua Portuguesa, Literatura Brasileira e Produção textual no Colégio Estadual Chico Anysio.
Renata é autora das obras “Gramática contextualizada”,  “Itens do Novo Enem”, “Barcellos em prosa e verso” e “Barcellos e Viana: um encontro”. Também é coautora de Antologias poéticas e de diversos artigos sobre o ensino da Língua Portuguesa, além de ser também colunista do Portal Sem Fronteiras (BarcellArtes) e do Pauta Nossa (Agenda Cultural ).
As informações foram tiradas Escavador.
Conheça o seu canal no YOUTUBE 
E seu perfil no INSTAGRAM

Dicas de Português na Quarentena: Desvios de Linguagem (Queísmo) – Prof.ª Renata Barcellos

 

Renata Barcellos tem graduação em Letras/Francês, pela Universidade Federal Fluminense (1996), mestrado em Letras  (2003), doutorado em ESTUDOS DE LINGUAGEM pela mesma Universidade (2008) e Pós-doutorado em Língua Portuguesa pela UFRJ (2015).
Atualmente ela é  professora na UNICARIOCA de Comunicação, Expressão e de Oficina no Colégio Estadual José Leite Lopes. Também leciona Língua Portuguesa, Literatura Brasileira e Produção textual no Colégio Estadual Chico Anysio.
Renata é autora das obras “Gramática contextualizada”,  “Itens do Novo Enem”, “Barcellos em prosa e verso” e “Barcellos e Viana: um encontro”. Também é coautora de Antologias poéticas e de diversos artigos sobre o ensino da Língua Portuguesa, além de ser também colunista do Portal Sem Fronteiras (BarcellArtes) e do Pauta Nossa (Agenda Cultural ).
As informações foram tiradas Escavador.
Conheça o seu canal no YOUTUBE 
E seu perfil no INSTAGRAM

Dicas de Português na Quarentena: RECURSOS EXPRESSIVOS – Prof.ª Renata Barcellos

Renata Barcellos Barcellos tem graduação em Letras/Francês, pela Universidade Federal Fluminense (1996), mestrado em Letras  (2003), doutorado em ESTUDOS DE LINGUAGEM pela pela mesma Universidade (2008) e Pós-doutorado em Língua Portuguesa pela UFRJ (2015).
Atualmente ela é  professora na UNICARIOCA de Comunicação, Expressão e de Oficina no Colégio Estadual José Leite Lopes. Também leciona Língua Portuguesa, Literatura Brasileira e Produção textual no Colégio Estadual Chico Anysio.
Renata é autora das obras “Gramática contextualizada”,  “Itens do Novo Enem”, “Barcellos em prosa e verso” e “Barcellos e Viana: um encontro”. Também é coautora de Antologias poéticas e de diversos artigos sobre o ensino da Língua Portuguesa, além de ser também colunista do Portal Sem Fronteiras (BarcellArtes) e do Pauta Nossa (Agenda Cultural ).
As informações foram tiradas Escavador.
Conheça o seu canal no YOUTUBE 
E seu perfil no INSTAGRAM

Dicas de Português na Quarentena: Pontuação – Prof.ª Renata Barcellos

Renata Barcellos Barcellos tem graduação em Letras/Francês, pela Universidade Federal Fluminense (1996), mestrado em Letras  (2003), doutorado em ESTUDOS DE LINGUAGEM pela pela mesma Universidade (2008) e Pós-doutorado em Língua Portuguesa pela UFRJ (2015).
Atualmente ela é  professora na UNICARIOCA de Comunicação, Expressão e de Oficina no Colégio Estadual José Leite Lopes. Também leciona Língua Portuguesa, Literatura Brasileira e Produção textual no Colégio Estadual Chico Anysio.
Renata é autora das obras “Gramática contextualizada”,  “Itens do Novo Enem”, “Barcellos em prosa e verso” e “Barcellos e Viana: um encontro”. Também é coautora de Antologias poéticas e de diversos artigos sobre o ensino da Língua Portuguesa, além de ser também colunista do Portal Sem Fronteiras (BarcellArtes) e do Pauta Nossa (Agenda Cultural ).
As informações foram tiradas Escavador.
Conheça o seu canal no YOUTUBE 
E seu perfil no INSTAGRAM