Hoje é o dia mundial do Café. Bora comemorar?

Hoje é o dia mundial do Café. Bora comemorar?

Compartilhe à vontade!!!

Dia Mundial do Café é comemorado anualmente em 14 de abril.

A data homenageia uma das bebidas mais adoradas do mundo: o café! Seja ele carioca, pingado, cappuchino, americano ou expresso, o café é uma paixão mundial, sem dúvidas. 

De acordo com o Sumário Executivo – Café, de setembro de 2021, documento da responsabilidade do Ministério da Agricultura Pecuária e Estabelecimento, o Brasil é considerado o maior produtor e exportador de café do mundo, seguido do Vietnã e da Colômbia. Que tal um Café com Poemas? Existe uma sintonia muito grande entre o café e a cultura de nossa sociedade. Café é um item praticamente indispensável para qualquer cidadão brasileiro, seja ele rico, pobre ou classe média. Café remete à inspiração, à degustação, à sofisticação, a sabores e também prazeres. É um elemento que combina com tudo, inclusive com livros, cultura e poemas. Portanto, Café com Poemas traz o equilíbrio perfeito entre a efervescência do café com a sutileza do poema. Café é a fonte de toda a nossa inspiração. Está presente em nossa marca, os nossos projetos, os nossos poemas e, principalmente, no nosso dia a dia.

 

Confira abaixo alguns poemas e frases sobre café:  

 

CAFÉ COM POEMAS E AROMA DE MULHER  

 

Aquele cheiro gostoso, natural

Vindo da cozinha, todas as manhãs…

Algo divino

E tão intuitivo

Ela de avental,

Preparando a mesa…

As xícaras, o bule, o café

O sonho e o pão…

Teus cheiros, teus gostos, tua cor

Tua boca, teus sabores, teus amores

Tudo isso é você, mulher

Minha inspiração em versos e prosa

Um bule cheio de emoção

É o meu coração em ebulição ao falar de ti…

Leandro Flores  

 

***  

Um café e um amor. Quentes, por favor. Pra ter calma nos dias frios, pra dar colo quando as coisas estiverem por um fio.

Caio Fernando Abreu  

 

***  

AMANHÃ DE MANHÃ

 

Vou pedir o café para nós dois

Te fazer um carinho e depois

Te envolver em meus braços

E em meus abraços

Na desordem do quarto esperar

Lentamente você despertar

E te amar na manhã

Amanhã de manhã

Nossa chama outra vez tão acesa

E o café esfriando na mesa

Esquecemos de tudo Sem me importar

Com o tempo correndo lá fora

Amanhã nosso amor não tem hora

Vou ficar por aqui

Pensando bem

Amanhã eu nem vou trabalhar

E além do mais

Temos tantas razões para ficar

Amanhã de manhã

Eu não quero nenhum compromisso

Tanto tempo esperamos por isso

Desfrutemos de tudo

Quando mais tarde

Nos lembrarmos de abrir a cortina

Já é noite e o dia termina

Vou pedir o jantar

Roberto Carlos

 

 

***

TREM DE FERRO

 

Café com pão

Café com pão

Café com pão

Virge Maria que foi isso maquinista?

Agora sim

Café com pão

Agora sim

Voa, fumaça

Corre, cerca

Ai seu foguista

Bota fogo

Na fornalha

Que eu preciso

Muita força

Muita força

Muita força

Oô…

Foge, bicho

Foge, povo

Passa ponte

Passa poste

Passa pasto

Passa boi

Passa boiada

Passa galho

De ingazeira

Debruçada

No riacho

Que vontade

De cantar!

Oô…

quando me prendero

No canaviá

Cada pé de cana

Era um oficiá

Oô..

Menina bonita

Do vestido verde

Me dá tua boca

Pra matá minha sede

Oô…

Vou mimbora vou mimbora

Não gosto daqui

Nasci no sertão

Sou de Ouricuri

Oô…

Vou depressa

Vou correndo

Vou na toda

Que só levo

Pouca gente

Pouca gente

Pouca gente…

BANDEIRA, Manuel. Poesia Completa e Prosa. Rio de Janeiro: Cia. José Aguilar, 1967, p.281-282.

 

***

 

Rotina noturna Uma poltrona um café um livro um cigarro o som de Elis, as lembranças de um amor as saudades de outros… a vontade de ouvir aquelas vozes nem que seja por um instante, buscando fantasmas no escuro buscando a imagem de um passado. Muda a música o pensamento viaja, vai em busca daquela… daquela que de longe fica perto perto no peito. Vem na memória as risadas, marcadas por um sorriso ecantador. Nesse momento descubro que palavras são poucas noites são curtas que a vida de tão grande fica pequena, para tantas vontades tantos sonhos contruídos. E principalmente para que estes se realizem

Túlio Rivadávia

 

***

Quero você.

Quero eu.

Quero cama desarrumada, lençol, café e travesseiro.

Quero seu beijo.

Quero seu cheiro.

Caio Fernando Abreu

 

 

***

 

O açúcar

O branco açúcar que adoçará meu café
nesta manhã de Ipanema
não foi produzido por mim
nem surgiu dentro do açucareiro por milagre.
Vejo-o puro
e afável ao paladar
como beijo de moça, água
na pele, flor
que se dissolve na boca. Mas este açúcar
não foi feito por mim.
Este açúcar veio
da mercearia da esquina e tampouco o fez o Oliveira,
[dono da mercearia.
Este açúcar veio
de uma usina de açúcar em Pernambuco
ou no Estado do Rio
e tampouco o fez o dono da usina.
Este açúcar era cana
e veio dos canaviais extensos
que não nascem por acaso
no regaço do vale.
(…)
Em usinas escuras,
homens de vida amarga
e dura
produziram este açúcar
branco e puro
com que adoço meu café esta manhã em Ipanema.

Ferreira Gullar. Toda Poesia. Rio de Janeiro:Civilização Brasileira, 1980, p. 227-8.

 

 
 

Reprodução: Pensador.com

Calendarr. Acesso em: 14 de abril de 2022. <https://www.calendarr.com/brasil/dia-mundial-do-cafe/>

Sobre o Autor

Café com Poemas administrator

    Deixe uma resposta