Categoria Política

A VERDADEIRA INDEPENDÊNCIA DO BRASIL SERÁ EM 2022

O baderneiro subversivo da ordem pública, com medo do Ministro Alexandre de Moraes (porque ele é um ministro rígido e IRÁ ASSUMIR a presidência do TSE durante as eleições de 2022), agora fala (erroneamente) em convocar o Conselho da República (um Instituto jurídico importante de consulta do presidente para possibilidade de decretação de Estado de Defesa, Estado de Sítio ou Intervenção Federal).

É mais uma escalada no sonho de se tornar um Hugo Chaves aqui no Brasil.

A gente avisou tanto. Foram tantas manifestação do óbvio, que ele faria isso. Mas muita gente embarcou na loucura bolsonarista e agora paga o preço, inclusive ministros do STF.

Bolsonaro é um cachorro ferido, fantasiado de presidente.

Sim. Há muita gente que o segue. E são fiéis em suas delinquências. Mas venceremos a essa estupidez em breve.

Deixe Bolsonaro com seus likes e cliques. A história é bem mais que isso. A verdadeira independência do Brasil em 2022 quando derrotarmos o “megalomaníaquissimo” alucinado que é esse governo e, assim, a República completará 200 anos de independência.

Entrevista – Dez perguntas para um candidato a vereador em Condeúba

420views

As eleições municipais vêm chegando e, com isso, surge a necessidade de conhecer as propostas dos candidatos a vereador no município de Condeúba.

Apesar do pouco tempo que falta para as eleições deste ano, abrimos um diálogo com os representantes a cargo eletivo do referido município. E nossa primeira abordagem vai ser com o candidato Antônio Santana.

Professor, poeta, escritor, Antônio da Cruz Santana nasceu na cidade de Saubara, na Região do Recôncavo Baiano, em 9 de abril de 1971. Em 2005, mudou-se para

Condeúba/BA, onde graduou-se em Pedagogia pela Faculdade Internacional de Curitiba – FACINTER. Nessa mesma cidade, fez pós-graduação em Gestão do Trabalho Pedagógico: supervisão e orientação escolar – EAD Lato Sensu e lecionou as disciplinas de História e Geografia no Ensino Regular e no Projeto – EJA (Educação de Jovens e Adultos), na Escola Estadual Tranquilino Leovigildo Torres. Nas eleições municipais de 2004, concorreu pelo PTC (Partido Trabalhista Cristão) ao cargo de vereador do município de Saubara/BA. Em 2008, também pelo PTC, concorreu ao mesmo cargo no município de Condeúba/BA. Cursou Teologia pela Diocese de Caetité/BA.

Participou do XXII Curso de Verão promovido pelo Centro Ecumênico de Serviços à Evangelização e Educação Popular (CESEEP) – PUC-SP, em janeiro de 2009, e do XXIII, em 2010. Lecionou Língua Portuguesa e Literatura Brasileira no Colégio Estadual de Condeúba, curso Ensino Médio, no período de 2010 a 2013. Exerceu a função de Vice-diretor na escola Municipal Eleutério Tavares, nos anos de 2013 e 2014. Participou, em 2015, do curso de

Capacitação para auxiliares das bibliotecas públicas da Bahia, realizado pelo Instituto Anísio Teixeira ISEC-BA; É membro-conselheiro do Conselho Municipal de Saúde de Condeúba-Ba e presidente do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente de Condeúba (BA). Suas poesias “Amor do Sertão” e “Condeúba Terra Boa” rendeu-lhe homenagem da Câmara Municipal de Vereadores de Condeúba/BA, em votação plenária do dia 16 de maio de 2007, com a Moção de Congratulação.

Antes de iniciarmos a entrevista, gostaríamos de deixar aberta também a possibilidade (convite) para outros candidatos ao cargo de Vereador poderem também se manifestar e responderem as mesmas perguntas direcionadas ao Candidato Antônio Santana. As perguntas foram retiradas com bases em outras entrevistas e de debates pertinentes às demandas políticas locais.

 

Perguntas:

1. Candidato, por que o senhor quer ser vereador?

R: Quero ser vereador para me comprometer em cumprir o papel do vereador de fato de legislador, de fiscalizador do Poder Executivo e propor projetos de lei que não onerem os cofres públicos do Município de Condeúba.

2 .  Qual será realmente a sua área de atuação? A quem o senhor representará de fato na política de Condeúba?

R: Pretendo, se eleito for, atuar nas áreas de Educação e de Cultura do Município. Agora, vou priorizar duas categorias que normalmente andam esquecidas que são: os adolescentes e os jovens com relação às políticas públicas como arte, cultura, desporto e lazer.

3. O senhor já tem um Projeto de Lei para apresentar nos primeiros dias de mandato? 

R: Um projeto pronto não. Eu tenho um esboço de um Projeto Musical Cantando na Praça, com o objetivo de valorizar os artistas do nosso município, e ao mesmo tempo, promover renda para pessoas do ramo comercial, bem como alegrar as nossas tardes e noites de sábado e domingo da cidade e também da zona rural.

4. O senhor faz campanha com dinheiro público, recursos próprios ou doação de pessoas físicas? Quanto deverá custar a sua campanha?

R: Estou fazendo esta campanha com muita dificuldade justamente por falta de dinheiro. Investir inicialmente R $ 200,00, e posteriormente recebi do Fundo Partidário pelo PSOL por meio de propaganda de santinhos. Sem veículo e sem condições financeiras, fiz grande parte da minha campanha caminhando pelas ruas e casas do centro da cidade pedindo votos.

5. O que o senhor pensa sobre a questão do meio ambiente para a cidade de Condeúba? Tem alguma proposta nesse sentido?

R: Penso que devemos cuidar das nossas matas, dos nossos rios, açudes e lagos para preservá-los e conservá-los como parte importante da natureza e para a sustentabilidade de gerações futuras de Condeúba.

PROPOSTA:
Criação de um Projeto de Lei Municipal de arborização e reflorestamento de todo o território municipal, aonde houver locais de desmatamento de matas e florestas devastadas pela ação humana.

6. O que Condeúba tem de melhor? E o que ainda falta melhorar, na opinião do senhor?

R – Condeúba tem de melhor: a hospitalidade e o acolhimento do seu povo. Falta melhorar em muitos aspectos, mas em especial a forma de Pensar e de Fazer POLÍTICA. Aqui, infelizmente, ainda se pratica um Sistema Político Oligárquico de perseguir, excluir e marcar pessoas quando se posicionam contrárias as ideologias do Gestor Municipal.

7. Sabemos que na questão cultural, Condeúba sempre foi uma cidade atrativa, com um produto artístico muito diversificado, com pessoas e artes a serem exploradas, porém, como a maioria das cidades pequenas, a cultura nunca foi o foco principal de motivação política. Como o senhor enxerga essa questão?

R: Sabemos que todo gestor público têm as suas prioridades, é claro que a cultura, não somente em Condeúba, como também em nível de Brasil, não se dá o merecido valor. Agora, espero, se eleito for, lutar por investimentos das políticas públicas, acima relacionados não por um favor do prefeito municipal, mas por um direito constitucional na aplicabilidade dos recursos destinados à cultura.

8. Qual a sua visão sobre a áreas sensíveis e de fundamental importância como a saúde, educação, infraestrutura? Por exemplo, é uma vergonha uma cidade como Condeúba em pleno século vinte um, ainda não ter uma rodoviária. Um lugar apropriado para embarque e desembarque, sujeitando-se às pequenas agências, onde pessoas e objetos se aglomeram em lugares inapropriados, sujeitos a todos os tipos de riscos e desconforto. O senhor pretende apresentar propostas nesse sentido? Ou até mesmo abrir audiências públicas para se buscar a viabilidade de propostas como essas?

R: Acredito que esta é uma questão de extrema necessidade para os usuários do transporte público de Condeúba. Irei me empenhar e lutar para que o mais breve possível a prefeitura possa construir esta rodoviária. Penso até mesmo que se dispensa audiência pública pela urgência, é claro que eu não sou contrário à convocação da mesma.

9. Candidato, diferente da politicagem que é a parte podre, onde as pessoas usam da política em benefício próprio ou de outrem. As pessoas, principalmente os jovens, precisam se inteirar da pratica saudável de fazer política, a começar que esta, nada mais é, do que o ato de escolher, exercer, cobrar, pensar. Porque se deixarmos o barco correr, pessoas oportunistas, ultrapassadas, politiqueiras sempre farão partes desse cenário e as coisas continuarão sempre do mesmo jeito. Qual a sua visão sobre a participação política em uma cidade como Condeúba?

R: Para mim, é sempre um desafio muito grande participar de um pleito eleitoral, por vários motivos:
O primeiro motivo é o financeiro, que infelizmente ainda dita a regra suja do jogo da troca e da compra de votos.
O segundo motivo é talvez o pior que é a falta de politização do nosso Povo que ainda define o VOTO não como um direito democrático, mas sim como um pagamento de favores intermináveis a determinado candidato (a) a vereador ( a) que infelizmente acontece em todo o município de Condeúba, inclusive no pensamento de alguns jovens que ainda acompanham a orientação política de seus pais.

10. Para concluirmos gostaria de perguntar qual a função de um vereador?

R: De acordo com a Lei Orgânica Municipal ( Promulgada em 1 de novembro de um 2018), no Art. 25.Cabe à Câmara Municipal, com sanção do prefeito, dispor sobre todas as matérias da competência do Município, especialmente sobre:

IX. Julgar anualmente as contas do prefeito e apreciar os relatórios sobre a execução dos planos de governo;

XI. Fiscalizar e controlar, diretamente os atos do Poder Executivo, incluídos os de administração indireta;

XIII. Apreciar os atos de concessão ou permissão de serviços de transportes coletivos; dentre outras atribuições do ( a) vereador ( a).

PROPOSTAS:

Na Educação, lutar por uma remuneração digna para todos os professores e demais profissionais da educação do município;

Na Saúde, lutar sempre pela melhoria do atendimento médico, hospitalar e sanitário da população condeubense;

Na Cultura, reivindicações através de requerimentos ao Poder Executivo para a construção de um Centro Cultural com o objetivo de concentrar todos os pequenos e médios eventos de arte, dança e música, bem como a construção de um Ginásio de Esportes para uma prática esportiva com liberdade, conforto e segurança para atletas e profissionais da área.

 

Deixe aqui suas propostas e mensagem final.

 

R – A mensagem que eu deixo é de as eleições ocorram na maior transparência possível. Que o povo não só faça como promova justiça nas urnas eletrônicas no próximo domingo, 15 de novembro de 2020. Espero que saíamos vencedores, Ângela Cruz para Prefeita número 40, e o Professor SANTANA, vereador número 50888.
Muito obrigado, Leandro Flores pela oportunidade de ser entrevistado.

 

Nós que agradecemos, cadidato! E desejamos boa sorte! 

Mais uma vez, ressaltamos que o espaço, neste blog, está aberto também para outros candidatos a vereadores (no Município de Condeúba, nas eleições de 2020) que queiram se manifestar e apresentar suas propostas, seguindo a mesma dinâmica de perguntas oferecidas para esta entrevista.

Brasil 2020: 30 linhas insustentáveis

 

 

Desfecho

Se fecho os olhos

Não consigo falar de poesia

Eis a sagacidade do Brasil 2020

Temas e horrores hasteiam a bandeira

Não do nosso Bandeira, mas do bando de lá

Que massacra o Brasil, seus povos originários

Sem origem das maldades que fazem rios sangrar

Sangues de índias, mulheres, mulatas, negras, pobres, elegebetês…

Tudo isso para quê? Sei lá! Vai nas urnas analisar.

 

 

No Nordeste, além de peste, inundaram de óleo o mar

Anestesiada em pesadelo, me olho no espelho

Torno a filosofar: quem dera, fosse Brasil 2015

E eu acordasse de uma vez

Vendo a Democracia caminhar

Aí, meu Deus!

Mas ela em vertigem quase caiu

Derrubando o Brasil que estávamos a embalar

Lá, tudo lá, na casa que devia ser do povo

Servil, civil, bancadas da bíblia, da bala, mas que ele nem pode pisar.

 

Tenho assistido queimarem livros e até o “pulmão do Brasil” (P.Q.P!)

Sou brasileira nata, não mato a mata

Sou da nata correlata que também querem matar

Não sou de brincadeira, poeta marginal, guerreira

Escrevendo mais um grito universal

Das vozes resistentes a relutar

Neste horizonte que em silêncio ecoa

Ecologicamente insustentável

Dessa política ‘biodesagradável’

Escorrendo nos ralos sem rimar…

 

 

Celeste Maria Farias

[email protected]

(Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil, 08 de fevereiro de 2020)

Antônio Santana: Quanto custa um voto?

Na Grécia antiga, a palavra política ( polítikós) referia-se às questões relativas à vida da cidade.

A política não era uma atividade qualquer: dela dependia a organização cotidiana e o futuro da pólis ( cidade-Estado). Por isso, participar da política era uma atividade constitutiva do cidadão, ou seja, não seria um cidadão se não se interessasse pela política e a praticasse.

No Brasil, vivemos em um Sistema politicamente democrático em que o voto ainda é a nossa principal ferramenta que nos permite fazer escolhas e tomada de decisão que somente acontecem a cada quatro anos por meio de eleições diretas gerais presidenciais ou municipais. É o processo pelo qual permite-nos exercer o nosso voto de maneira livre e consciente ou ( inconsciente) para lutar ou ( desistir) por um município, estado ou país cada vez mais desenvolvido e melhor pra se viver com dignidade e respeito com todos que fazem parte de uma mesma história com capítulos distintos, porém, participes de uma mesma Sociedade.

Para orientar a nossa reflexão, viajei pelas ondas da filosofia abordando duas questões interessantes os valores e as escolhas. Quando temos que decidir entre uma opção é outra, entre duas ou mais possibilidades, nós avaliamos, isto é, comparamos os prós e os contras e atribuímos diferentes valores a cada uma delas. Então, escolhemos aquela que nos parece mais apropriada às circunstâncias analisadas; ou, dizendo de outra forma, escolhemos aquela que nos parece ter mais valor.

Portanto, vender ou trocar o voto como se fosse mercadoria além de ser ilegal e imoral, é contribuir para a continuidade da corrupção onde tanto quem vende como quem compra ou negocia votos, são corruptos. Esses tipos políticos e eleitores, certamente que não têm nenhum compromisso com a sua cidade.

Por isso, antes de garantir ou creditar o seu voto ao candidato ( a) a prefeito ( a) e a vereador ( a), análise as suas idéias, propostas e projetos porque é daí que você perceberá qual a sua intenção no desejo ao cargo. Desconfie sempre daquele ( a) candidato (a) que lhe oferece alguma coisa pois ninguém deve garantir aquilo que ainda não tem.

Diante desta reflexão, cabe-nos perguntar: Quanto custa o seu voto para o município?

PENSE NISSO!

Um grande abraço!

PROFESSOR SANTANA,
Escritor e poeta.
Condeúba – Bahia.

 

Antônio Santana é também Coordenador do Mov. Café com Poemas em Condeúba/BA

Antônio da Cruz Santana nasceu na cidade de Saubara, na Região do Recôncavo Baiano, em 9 de abril de 1971. Em sua cidade natal, fez o curso primário, na Escola Estadual Professor Caio Moura, e o ginásio, no Centro Educacional Cenecista de Saubara.

Leia mais…