Categoria Dicas

Conheça a Biblioteca Particular de Fernando Pessoa | Online

O texto a seguir foi extraído da revista, prosa, verso e arte e fala sobre a casa Fernando Pessoa que possui um acervo único no mundo: a biblioteca particular de um dos maiores poetas de todos os tempos, o poeta português que tem o pseudônimo  de Álvaro de Campos ou simplesmente Fernando Pessoa. 

Pessoa nasceu em 1888 e morreu em 1935. Foi um poeta, filósofo, dramaturgo, ensaísta, tradutor, publicitário, astrólogo, inventor, empresário, correspondente comercial, crítico literário e comentarista político português. Fernando Pessoa é o mais universal poeta português. É um dos mais importantes escritores portugueses do modernismo,

Começa a dedicar-se à literatura e a partir de 1915 junta-se a um grupo de intelectuais. Destacam-se os escritores portugueses modernistas: Mario de Sá-Carneiro (1890-1916) e Almada Negreiros (1893-1970).

Fernando Pessoa é dono de uma vasta obra, ainda que tenha publicado somente 4 obras em vida. Escreveu poesia e prosa em português, inglês e francês, além de ter trabalhado com traduções e críticas. Sua poesia é repleta de lirismo e subjetividade, voltada para a metalinguagem. Os temas explorados pelo poeta são dos mais variados, embora tenha escrito muito sobre sua terra natal, Portugal.

Segue o texto:

Ao longo dos últimos anos só uma visita à Casa Fernando Pessoa, em Lisboa, permitia uma consulta à Biblioteca pessoal do poeta. Agora, todo esse acervo, constituído por 1140 volumes e pela coleção de manuscritos (ensaios e poemas) deixados pelo próprio poeta nas páginas desses livros passa a estar disponível online.

A inovação agora introduzida faz com que esta seja a primeira biblioteca portuguesa integralmente digitalizada. Deste modo, é facultado a todos os leitores, em qualquer parte do globo, o acesso ao importante legado de uma das figuras maiores da cultura portuguesa.

No âmbito deste projeto todas as páginas de cada volume foram digitalizadas e disponibilizadas para consulta página a página ou após o download de uma obra completa na Biblioteca Particular de Fernando Pessoa.

Para além da possibilidade de consulta de cada livro por autor, por ano ou por ordem alfabética, faculta-se ainda a classificação por categorias temáticas.

Para facilitar a compreensão da biblioteca como um todo, foram destacadas as páginas que incluem manuscritos do próprio Fernando Pessoa e foram adicionadas interpretações sobre as suas motivações para a aquisição de determinadas obras.

Este acesso à Biblioteca Particular de Fernando Pessoa foi possível graças a uma combinação de esforços da Casa Fernando Pessoa, de uma equipe internacional de investigadores e da Fundação Vodafone Portugal que acompanhou e apoiou a iniciativa.

Acesse ao acervo
Biblioteca Particular de Fernando Pessoa
Casa Fernando Pessoa – Lisboa

Os melhores livros de Lygia Fagundes Telles para quem gosta de uma boa leitura

419views

Infelizmente neste domingo, dia 03 de abril tivemos a notícia da morte da nossa tão admirada Lygia Fagundes Telles, considerada uma das mais notáveis escritoras brasileiras, destacando-se como uma grande contista e romancista.

E para homenageá-la,  reunimos uma lista (com base numa lista, feita pelo site Folha de São Paulo) com alguns livros da extensa obra de Lygia Fagundes Telles, alguns dos quais nunca mais foram reeditados.

Porão e sobrado (1938)

Primeiro livro publicado por Fagundes Telles, em 1938, quando ela tinha quinze anos, com a ajuda do pai. Reúne nove contos, sendo que alguns já tinham saído em jornais da época, quando ela tinha treze anos. Já a partir do título, é possível perceber a consciência social que ela já tinha desde a adolescência. Tanto esse quanto Praia viva e O cacto vermelho foram renegados posteriormente pela escritora, nunca mais sendo reeditados.

Praia viva (1944)

Com dez contos, o livro só conseguiu ser publicado em 1944, embora ela tenha tentado lançá-lo anos antes. Não conseguia pois os editores com quem se encontrava estavam mais interessados em destacar sua beleza do que o seu trabalho, conforme se vê em uma carta que ela enviou a Erico Verissimo, em 9 de setembro de 1941, e que pode ser lida no site do Instituto Moreira Salles. Tanto esse quanto Porão e sobrado e O cacto vermelho foram renegados posteriormente pela escritora, nunca mais sendo reeditados.

O cacto vermelho (1948)

Lançado em 1948 e ganhador do Prêmio Afonso Arinos da Academia Brasileira de Letras, traz doze contos, entre os quais “O menino” e “A confissão de Leontina”, que voltaram a aparecer em Antes do baile verdeA estrutura da bolha de sabão e outras obras posteriores. Tanto esse quanto Porão e sobrado e Praia Viva foram renegados posteriormente pela escritora, nunca mais sendo reeditados.

Ciranda de pedra (1954)
Companhia das Letras. 224 pp. R$ 52,90

Primeiro romance de Fagundes Telles, que saiu em 1954, considerado por ela e pelo crítico Antonio Candido como o livro que marca a sua maturidade literária. Dividido em duas partes, conta a história de Virginia, uma menina que vive com a mãe, desquitada, que está à beira de um colapso mental. Suas duas irmãs mais velhas vivem com o pai em uma casa grande e confortável e com um jardim amplo. A segunda parte traz Virginia já mais velha tendo que lidar com familiares e amigos. A obra já tratava de temas como homossexualidade feminina, impotência sexual e vida sexual ativa da mulher. Foi duas vezes adaptado pela TV Globo como novela, uma em 1981 e outra em 2008.

Histórias do desencontro (1958)

É o retorno aos contos de Fagundes Telles, que reúne catorze histórias lançadas em 1958. Cinco desses contos foram publicados novamente em Antes do baile verde, entre os quais o famoso “Venha ver o pôr do sol”, sobre dois jovens que marcam o seu último encontro em um cemitério. A obra recebeu o prêmio de melhor livro de contos do Instituto Nacional do Livro.

Histórias escolhidas (1961)

Primeira antologia da escritora paulistana, publicada em 1961, trazendo seis contos de O cacto vermelho, oito de História do desencontro e dois inéditos: “O noivo” e “As cerejas”, um dos melhores exemplos de como a autora se utiliza do erotismo em seus contos, através da relação entre uma mulher e o sobrinho do seu marido, tudo narrado pelo ponto de vista de uma parente mais jovem. Aqui já se percebe uma prática que Fagundes Telles vai seguir ao longo da carreira: a revisão e alteração na escrita das histórias originais.

Verão no aquário (1963)
Companhia das Letras. 232 pp. R$ 59,90

O segundo romance de Fagundes Telles foi lançado em 1963, e conta a história de Raiza, uma moça que está apaixonada por um jovem rapaz que pretende se tornar padre. Ao mesmo tempo, ela desconfia de que ele esteja tendo um caso com sua mãe. Aqui é possível perceber claramente a influência do narrador machadiano, em especial o de Dom Casmurro, pois fica no ar a pergunta se a mãe de Raiza estava realmente tendo um caso com André. Essa influência também se estendeu para o cinema, pois Fagundes Telles, junto com Paulo Emilio Salles Gomes, escreveu o roteiro de Capitu, filme de 1968 dirigido por Paulo Cezar Saraceni, uma adaptação cinematográfica da obra-prima machadiana.

O jardim selvagem (1965)

A primeira edição desse livro de 1965 reúne doze contos, contendo alguns dos mais famosos da obra lygiana: “Antes do Baile Verde”, “A caçada”, “Meia-noite em ponto em Xangai”, “O Jardim Selvagem”; “A Medalha” e “O espartilho”, que foram republicados em livros posteriores. A segunda edição, lançada na década de 70, traz apenas cinco contos da versão original, mas posteriormente não foi mais reeditado.

Antes do baile verde (1970)
Companhia das Letras. 208 pp. R$ 52,90

O livro de contos mais conhecido da obra lygiana, lançado em 1970, reunindo inicialmente vinte contos, entre inéditos e já publicados, que foram revisados por Fagundes Telles a fim de atingirem suas melhores formas. O conto “Antes do baile verde” recebeu o Grande Prêmio Internacional Feminino para Contos Estrangeiros, em Cannes, na França, em 1969.

As meninas (1973)
Companhia das Letras. 304 pp. R$ 54,90

O romance mais famoso da obra lygiana foi lançado em 1973, com a publicação de um relato de tortura que Fagundes Telles recebeu em casa, escrito em um panfleto. O livro mostra a sofisticação que a narrativa da escritora alcançou através de quatro narradores: um narrador em terceira pessoa e três jovens universitárias — Lorena (a burguesinha rica que se apaixona por um homem mais velho casado), Lia (que se envolve com grupos clandestinos que combatem o regime militar) e Ana Clara (a mais bonita das três, que é modelo e dependente de drogas). Vencedor do prêmio Jabuti, em 1974. Foi adaptado em 1995 para o cinema, com direção de Emiliano Ribeiro, com Adriana Esteves, Drica Moraes e Cláudia Liz nos papéis das “meninas”.

Seminário dos ratos (1977)
Companhia das Letras. 184 pp. R$ 54,90

Publicado em 1977, hoje o livro, após revisões e alterações, traz, ao todo, treze contos, entre os quais “Tigrela” e “As Formigas”, um dos mais lidos da autora ao lado de “Venha ver o pôr do sol”. Ambos capturam bem a aura de estranhamento criada por Fagundes Telles em seus contos, em que não se sabe se há ou não algo sobrenatural acontecendo. O conto homônimo que dá título ao livro também traz uma aura de surrealismo a um tema mais claramente político.

Filhos pródigos/A estrutura da bolha de sabão (1978)
Companhia das Letras. 184 pp. R$ 54,90. Posf. Alfredo Bosi.

Lançado em 1978 com o título de Filhos pródigos, é uma seleção de nove contos que haviam sido publicados anteriormente em periódicos, antologias coletivas ou livros da própria autora, mas que estavam esgotados. Em 1991, foi reeditado (com um conto a menos do que no original) com o título de outro conto famoso: “A estrutura da bolha de sabão”.

A disciplina do amor (1980)
Companhia das Letras. 224 pp. R$ 49,90. Posf. Noemi Jaffe.

O primeiro livro da ficção memorialística de Lygia Fagundes Telles, publicado em 1980, contendo “miniaturas”, como esses textos fragmentários eram chamados por Carlos Drummond de Andrade. É um estilo que mistura biografia e invenção, chamados de “coleção de ‘biografemas’” por Noemi Jaffe, que escreveu o posfácio da edição mais recente da Companhia das Letras. Ganhador do Prêmio Jabuti e o prêmio da Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA).

As horas nuas (1989)
Companhia das Letras. 256 pp. R$ 54,90. Posf. José Paulo Paes.

Quarto e último romance publicado por Fagundes Telles, em 1989, em que a autora faz várias autorreferências a obras anteriores, seja na forma de paródia, seja em repetições de frases e imagens. O livro começa dando a ideia de que a protagonista é Rosa Ambrosio, uma atriz decadente, e seu gato, Rahul, que é um dos narradores. Mais adiante, a trama vira uma espécie de romance policial em que tenta-se descobrir a resolução do mistério do desaparecimento de uma das personagens do romance. Mas a resolução está em um conto anterior da autora.

A noite escura e mais eu (1995)
Companhia das Letras. 128 pp. R$ 47,90

O título faz referência a um verso de Cecília Meireles e é o último livro de contos “ficcionais” de Fagundes Telles, publicado em 1995. Traz nove contos, dentre os quais “Dolly” e “Anão de Jardim” (narrado justamente por um anão de jardim), considerado o “conto total” da obra lygiana.

Invenção e memória (2000)
Companhia das Letras. 144 pp. R$ 49,90

Publicado no ano de 2000, reúne quinze textos da ficção memorialística lygiana. Entre textos explicitamente autobiográficos (como “Rua Sabará, 400”, que trata da sua rotina com Paulo Emilio Salles Gomes, que foi seu companheiro até a morte dele, em 1977) e narrativas fantásticas, como a história de um vampiro norueguês que busca sua amada, uma indígena brasileira, Fagundes Telles mistura ficção e realidade com maestria.

Durante aquele estranho chá (2002)
Companhia das Letras. 160 pp. R$ 47,90

Uma reunião de textos breves, de origens, naturezas e épocas diversas, trazem vida às memórias de Lygia Fagundes Telles, em livro publicado originalmente em 2002. Traz suas conversas com Simone de Beauvoir e Jean-Paul Sartre, visitas a Jorge Amado e Zélia Gattai, sua amizade com Hilda Hilst e um estranho diálogo com Jorge Luis Borges, passando por uma entrevista concedida à Clarice Lispector.

Passaporte para a China (2011)
Companhia das Letras. 112 pp. R$ 44,90

Relato de viagem realizada em 1960 para a China, em que Fagundes Telles fez parte da delegação brasileira convidada para comemorar o 11º aniversário do socialismo chinês. As 29 crônicas que compõem o livro, que saiu em 2011, são uma reunião dos textos que foram publicados por ela no jornal Última Hora, abordando desde paisagens, monumentos, roupas, costumes ao convívio com o povo chinês e detalhes do cotidiano. Conta ainda com um pequeno caderno de fotos tiradas durante a viagem.

Um coração ardente (2012)
Companhia das Letras. 104 pp. R$ 42,90

Coletânea de dez contos publicados pela escritora entre 1958 e 1981. As histórias trazem homens e mulheres, crianças e adultos flagrados em seus sentimentos mais secretos e em sua relação espinhosa com a vida.

 

Reprodução do site “Folha de São Paulo” em “Listão: Lygia Fagundes Telles”

Benefícios do chá de alecrim para a saúde e como fazer

321views

Além de ser conhecido por um delicioso aroma e sabor, o chá de alecrim possui diversos benefícios para a saúde, como melhora da digestão, alívio da dor de cabeça e combate ao cansaço. Efeitos que se devem ao fato de esta ser uma erva rica em vitaminas A, C, K, B1 e B2. Além disso, por ser rico em compostos flavonoides, terpenos e ácidos fenólicos, possui ação anti-inflamatória e antioxidante. Outras propriedades interessantes estão relacionadas à função que o chá de alecrim tem sobre sobre o corpo tônico cerebral; ou seja, a erva deixa o corpo mais alerta, a mente mais “afiada” e melhora a concentração. A seguir, a nutricionista Renata Buzzini lista as principais vantagens da bebida, ensina receita simples e dá dicas para seu consumo.

Por Marina Borges, para o Eu Atleta — Bauru, São Paulo

Chá de alecrim eu atleta — Foto: Istock Getty Images

Benefícios do chá de alecrim

 

 

  • Combate os radicais livres e previne doenças: por ser rico em compostos fenólicos antioxidantes e anti-inflamatórios, elimina os radicais livres e previne problemas de saúde e doenças como derrame e câncer. Além disso, tem poder antimicrobiano, prevenindo dores de garganta e de barriga;
  • Previne contra a candidíase: devido às suas substâncias antifúngicas, ajuda no combate e prevenção da infecção causada pelo fungo Candida Albicans;
  • Ajuda no emagrecimento: por ter ação diurética, o chá de alecrim auxilia na redução da retenção de líquidos e na melhora do trânsito intestinal, beneficiando quem está em processo de emagrecimento;
  • Alivia o excesso de gases: contribui para melhorar a digestão dos alimentos naquele dia ou semana que os alimentos estão estranhamente mais “pesados no estômago”. Nesse caso, a dica é tomar uma xícara do chá antes do almoço.

 

 

O chá e a saúde do cabelo

De acordo com Renata Buzzini, o chá de alecrim é antioxidante, possui fitoquímicos que ajudam as células a não envelhecerem e previne a oxidação celular, além de acelerar a circulação. Então, a ação antifúngica, somada a essas outras, pode favorecer o nascimento de fios de cabelo. Mas, para que isso ocorra, o chá de alecrim deve ser usado para lavar o cabelo. Dessa forma, ele fortalece os fios e combate a oleosidade excessiva e a caspa, melhorando a circulação do couro cabeludo. Vale ressaltar que é sempre importante consultar um especialista.

– O óleo essencial do alecrim é muito rico e muito complexo e é a ação em conjunto disso que faz dele tão especial e poderoso – acrescenta a nutricionista.

 

Como fazer o chá de alecrim: receita fácil

 

Para aproveitar todos os benefícios que o alecrim proporciona, é fundamental seguir os procedimentos corretamente na hora de preparar o chá da erva. Por isso, visando colher os melhores resultados dessa bebida, a nutricionista Renata Buzzini ensina como fazer essa preparação rápida e simples. Confira.

Chá de alecrim — Foto: Reprodução/Internet

Ingredientes:

 

  • 5 g de folhas frescas de alecrim (aproximadamente 1 colher de sopa bem generosa);
  • 250 ml de água quente.

 

Modo de preparo:

 

  1. Esquente a água até chegar ao ponto de começar a levantar fervura;
  2. Adicione o alecrim;
  3. Tampe a panela por de 7 a 10 minutos;
  4. Coe o chá e consuma.

 

Observações: o ideal é que ele não seja tomado após às 14 horas e seu consumo diário deve ser de uma caneca. Não adicione açúcar ao chá para não minimizar o poder anti-inflamatório da bebida.

Dicas de consumo

 

O consumo recomendado do chá de alecrim deve ser de até uma caneca por dia  — Foto: Reprodução/Internet

O consumo recomendado do chá de alecrim deve ser de até uma caneca por dia — Foto: Reprodução/Internet

A seguir, veja algumas dicas de consumo listadas por Renata Buzzini:

 

  • O melhor momento para você retirar o galhinho de alecrim para fazer seu chá é logo cedo, de manhã, antes de o sol ficar forte, porque a seiva ainda está na ponta da planta e é aí que está o óleo essencial;
  • O consumo da bebida não deve ultrapassar uma caneca por dia, pois muito chá de alecrim pode irritar a mucosa e causar náuseas;
  • Siga corretamente a receita do chá para obter apenas o melhor desta erva tão maravilhosa que é o alecrim;
  • Para quem tem sinusite, vale a pena fazer o chá de alecrim e, quando ele estiver soltando vapor, inspirar esse vapor para ajudar a soltar a secreção e impedir a bactéria de se proliferar;
  • Mulheres que estão tentando engravidar não devem consumir o chá, pois há alguns indícios de que ele possa dificultar a fixação do embrião.

 

Fonte/Reprodução: GE.globo.com / NUTRIÇÃO

(Clique no link e confira o texto na íntegra)

 

 

Sobre a fonte:

Renata‌ ‌Buzzini‌‌ ‌é‌ ‌nutricionista‌ ‌especializada‌ ‌em‌ ‌Saúde‌ ‌da‌ ‌Mulher‌ ‌pela‌ ‌Faculdade‌ ‌de‌ ‌Saúde‌ ‌Pública‌ ‌(USP)‌ ‌e‌ ‌‌em‌ ‌Adolescência‌ ‌pelo‌ ‌Departamento‌ ‌de‌ ‌Especialidades‌ ‌Pediátricas‌ ‌da‌ ‌Universidade‌ ‌Federal‌ ‌de‌ ‌São‌ ‌Paulo/‌Escola‌ ‌Paulista‌ ‌de‌ ‌Medicina‌ ‌(UNIFESP/EPM).‌ ‌Atua‌ ‌em‌ ‌nutrição‌ ‌clínica,‌ ‌cardapioterapia,‌ ‌consultoria‌ ‌nutricional‌ ‌e‌ ‌na‌ ‌participação‌ ‌e‌ ‌elaboração‌ ‌de‌ ‌trabalhos‌ ‌científicos.‌

 

Ervilha ajuda a controlar colesterol, diabete e protege o coração. Veja 12 Benefícios desse vegetal

318views

Muita gente associa a proteína apenas às fontes animais, e se esquece que existe uma gama de vegetais cheios dessa propriedade, e de muitas outras vantagens nutricionais. Por exemplo, a ervilha. Ela é uma das melhores fontes proteicas, por conter quase o dobro de proteínas da maioria dos vegetais.

Além disso, é muito fácil e barata de cultivar, e pode compor ótimos pratos, como saladas, sopas, e acompanhamentos dos mais diversos. Quem fizer essa escolha, vai estar incluindo no cardápio um alimento rico em fibras, vitaminas A, B, C, E e K, zinco, magnésio, ferro, potássio, cálcio, entre outras. Ela incrementa os pratos, e também dá aquela turbinada na saúde. Olha só.

Os benefícios da ervilha são:

  1. Faz bem ao coração
  2. Previne a diabetes
  3. Faz bem à visão
  4. Fortalece os ossos
  5. Ajuda a digestão
  6. É boa para os músculos
  7. É boa para a pele
  8. Faz bem para o cérebro
  9. Fortalece o sistema imunológico
  10. Combate o câncer
  11. É boa para o sangue
  12. Previne a depressão


1. É boa para o coração

proteina-ervilha café com poemas para que serve
Foto: Reprodução

A ervilha contém niacina, uma substância que ajuda a reduzir os níveis de colesterol ruim – o LDL. Contém ainda flavonoides, que atuam como anti-inflamatório e ajudam na prevenção de coágulos de sangue, responsáveis por grande parte dos problemas cardíacos, como AVC e infarto, e impedem a formação de placas nas artérias.

O Zinco, as vitaminas do Complexo B e o ácido fólico ajudam na preservação das paredes dos vasos sanguíneos. Por todos esses motivos, a ervilha é uma ótima aliada na prevenção de uma série de doenças cardíacas.

2. Previne a diabetes

Por ser de baixo índice glicêmico, a ervilha atua também como uma boa prevenção contra o aparecimento de diabetes, e também pode ser consumida por quem sofre com a doença. Os antioxidantes presentes nesse alimento e o potencial anti-inflamatório da ervilha servem ainda como aliados da regulação dos níveis de açúcar no sangue, tendo em vista que o estresse oxidativo e a inflamação são fatores de risco para o aparecimento da diabetes.


3. Faz bem à visão

A ervilha contém luteína, uma substância que não é produzida pelo corpo humano e é essencial para proteger os olhos dos efeitos nocivos dos raios solares. Por isso, a ervilha é também uma amiga da visão.

4. Fortalece os ossos

O cálcio, um elemento essencial para proteção e fortalecimento ósseo, é encontrado na ervilha também. Além disso, ela contém vitamina K, B e ácido fólico, componentes que ajudam na absorção de cálcio e prevenção de doenças ósseas, como osteoporose.

5. Ajuda a digestão

Excelente fonte de fibras, a ervilha auxilia no bom funcionamento intestinal, na medida em que facilita a digestão, tornando-a mais eficiente, e reduzindo as chances de desenvolvimento de problemas, como prisão de ventre, síndrome do intestino irritável, entre outras.

6. É boa para os músculos

Reconhecidamente uma boa fonte de proteínas, as ervilhas ajudam no fortalecimento muscular, sendo muito melhor do que boa parte dos suplementos industrializados.

7. É boa para a pele

Por conter antioxidantes, como os flavonoides, carotenoides, ácidos fenólicos e polifenóis, que ajudam a evitar os radicais livres, que, em longo prazo, degradam as células; as ervilhas são boas para a pele também. Elas auxiliam na prevenção do envelhecimento precoce.

8. Faz bem para o cérebro

O magnésio, ferro, fósforo e zinco presentes na ervilha são minerais importantes para a boa saúde do sistema nervoso. A vitamina K, que também compõe o alimento, é importante para o cérebro e pode ajudar na prevenção de doenças degenerativas, como o Alzheimer.

9. Fortalece o sistema imunológico

Os antioxidantes e as vitaminas, principalmente a C, presentes na ervilha, auxiliam no fortalecimento dos sistema imunológico. A vitamina C ajuda ainda na melhor absorção de ferro, um elemento que, quando em falta provoca sintomas, como cansaço, fadiga, etc.

10. Combate o câncer

A ervilha é rica em diversos antioxidantes importantes, que atuam de modo preventivo no organismo, como os carotenos, polifenois, luteína, entre outros, auxiliando o organismo a evitar a degração das células, restrigindo as chances de aparecimento de diversos tipos de câncer.

11. É boa para o sangue

Por conter uma boa quantidade de ferro, a ervilha é útil também na prevenção de doenças do sangue, como anemia. O ferro é o grande responsável por levar o oxigênio para as células de todo corpo. Por isso, consumir produtos com esse elemento é tão essencial.

12. Previne a depressão

A ervilha contém folato, uma substância que auxilia na redução dos sintomas da depressão. Os antioxidantes auxiliam ainda a prevenir o aparecimento da doença.

Ervilha ajuda a emagrecer/ café com poemas para quer serve serve para que ervilha vegetal rico em proteina
Ervilha ajuda a emagrecer/Foto: saudedica

Propriedades de Emagrecimento

A composição rica em fibras e proteínas, e pobre em gorduras, faz da ervilha uma excelente auxiliar da perda de peso.

Cada xícara de ervilha verde cozida tem cerca de 67 calorias.

Ao chegar ao organismo, a ervilha regula a velocidade de absorção dos nutrientes, favorecendo a boa digestão e facilitando a perda de peso.

 

Reprodução do site GreenmeBRASIL

*Fotos: Autoria desconhecida

7 dicas para controlar a ansiedade e o nervosismo

530views

A ansiedade pode gerar sintomas físicos e psicológicos, como sensação de falta de ar, aperto no peito, tremores ou pensamentos negativos, por exemplo, que podem condicionar o dia-a-dia da pessoa e aumentar o risco de contrair doenças.

Saiba 7 dicas que podem ajudar a controlar a ansiedade e o nervosismo e a ter uma vida melhor e mais plena:

1. Mudar de atitude

Uma das coisas que pode ajudar a reduzir a ansiedade é mudar a atitude em relação ao problema. Para isso, a pessoa deve tentar informar-se sobre aquilo que está causando a ansiedade, perceber se tem solução e resolver quanto antes.

Caso a pessoa não possa resolver o problema, deve perceber que ficar ansiosa não vai melhorar a situação e por isso deve tentar mudar de atitude e relaxar o máximo possível.

2. Respeitar as suas limitações

Existem pessoas que sentem muita ansiedade, mas sofrem sozinhas com os problemas, o que faz com que se isolem, o que pode aumentar o sofrimento.

Uma atitude que pode ajudar a superar este sentimento é pedir a ajuda de amigos, familiares ou mesmo um psicólogo, que podem ajudar a pessoa a ficar mais tranquila.

3. Respirar fundo e calmamente

Quando uma pessoa está muito ansiosa ou durante uma crise de ansiedade, é comum ocorrer uma sensação de falta de ar e aperto no peito, que são sintomas que se podem tornar muito desconfortáveis.

Nestes casos, a pessoa deve respirar fundo e calmamente, como se estivesse a respirar para a barriga. Além disso, outra coisa que pode ajudar é fechar os olhos e imaginar-se num local agradável, como numa praia, imaginando o mar com ondas cada vez mais lentas.

4. Pensar positivo

Muitas vezes, a ansiedade surge devido a pensamentos negativos ou autodestrutivos, que às vezes são intensificados pela própria pessoa.

Uma dica que pode ajudar a controlar estes pensamentos, é ver o lado positivo dos problemas que levam a sentimentos menos bons. Além disso, uma coisa que pode ajudar é lembrar de tudo o que é positivo que acontece no dia-a-dia e praticar a gratidão. Saiba como praticar a gratidão e descubra o seu poder.

5. Valorizar o presente

Muitas vezes, as pessoas sentem-se ansiosas por pensar muito no futuro, o que gera medos, fazendo com que se sofra por antecipação. Para contornar esta situação, a pessoa deve valorizar e viver o presente, evitando pensar demais no futuro.

Se a ansiedade é causada pelo passado, nada poderá ser feito para mudá-lo e por isso, deve-se evitar investir muito tempo a pensar em coisas que já aconteceram e que não se podem mudar mais.

6. Identificar as causas de ansiedade

Geralmente, a ansiedade não surge sem motivo e, por isso, identificar as causas que estão na sua origem ou aquilo que gera tristeza, pode ajudar a pessoa a mantê-las longe.

Além disso, quando surgirem pensamentos que a pessoa identificou como sendo causadores de tristeza e ansiedade, a pessoa vai conseguir afastá-los mais facilmente.

7. Praticar uma atividade

Praticar uma atividade é uma ótima forma de se distrair dos problemas que causam ansiedade, viver o tempo presente e manter a mente focada num objetivo.

A prática regular de atividade física de baixo impacto como caminhar, andar de bicicleta ou nadar são ótimas armas para lidar com a ansiedade. Por isso, recomenda-se que a pessoa ansiosa faça exercícios todos os dias e, durante os exercícios, tenha pensamento relacionados à própria atividade física ou outros pensamentos positivos.

Ocupar a mente com algo que seja prazeroso e útil também é uma ótima forma de controlar a ansiedade.

Veja como a alimentação pode ajudar:

https://www.youtube.com/watch?v=W9pIkIhrtfo&feature=emb_title

Fonte: Tua Saúde – Dr. Arthur Frazão

Obs. Não conseguimos identificar a autoria das imagens 

 

10 livros divertidos e interessantes que você precisa ler!

591views

Conheça aqui uma indicação de dez obras interessantes e divertidíssimas que você precisa ler, se ainda não leu, da nossa literatura e da literatura estrangeira. Se já leu e gostou, recomende-os aos seus amigos – afinal, uma boa história deve ser sempre compartilhada!

 

1. O Meu Pé de Laranja Lima – José Mauro de Vasconcelos

Editora : Melhoramentos; 1ª edição (1 maio 2019)

 

Ele não sabia o que o céu significava pra mim.” Uma história linda, emocionante, que pode fazer brotar lágrimas nos olhos do leitor mais insensível. José Mauro de Vasconcelos é um dos escritores brasileiros menos lidos, o “Meu Pé” é sua obra mais conhecida, e que, inclusive, ganhou continuações. O protagonista é o pobre e travesso menino Zezé, que aprendeu a duras penas as dificuldades da vida. Lembre-se de deixar o lencinho sempre à mão quando for lê-lo.

 

 

 

 

 

 

 

2. O Grande Mentecapto – Fernando Sabino

Editora : Editora Record; 1ª edição (29 junho 2020)

 

“Oh Minas Gerais, quem te conhece não esquece jamais!” Um aventura deliciosa, inesquecível, com gosto de infância e nostalgia por Minas Gerais, uai! O incompreendido Geraldo Viramundo parte numa viagem rocambolesca, e se mete nas mais variadas confusões. A única coisa que faltou neste livro são os personagens comendo pão de queijo… Garantia certa de boas gargalhadas!

 

 

 

 

 

 

 

3. A Pata da Gazela – José de Alencar

ASIN : B089FVM28N

Já sei: lá na escola mandaram você ler Iracema. Você não entendeu nada do livro e ainda ficou traumatizado. Pois A pata da gazela vai destraumatizá-lo querido leitor. É um livro leve, divertido, bem escrito e com final surpreendente! A obra do Alencar é domínio público, isso significa que você encontra esse e outros títulos dele em e-book para baixar. Se você duvida faça o teste aí!

 

 

 

 

 

 

 

4. Contos de Aprendiz – Carlos Drummond de Andrade

Editora : Record; 53ª edição (1 janeiro 2001)

Drummond é conhecido principalmente pela sua poesia, mas poucos sabem que ele também foi cronista e contista. É inacreditável quando o próprio poeta diz que estava “experimentando” a arte da narrativa curta quando lemos seus contos. A bem da verdade, ele já possuía o domínio da pena ao entrar no mundo dos contos e crônicas que, aliás, na sua época ele foi amigo dos grandes escritores do gênero, como Sabino e Rubem Braga. Vai que eles deram uma forcinha pra ele e não sabemos né?!

 

 

 

 

 

 

 

 

5. Manuelzão e Miguilim – João Guimarães Rosa

Editora : Nova Fronteira; 11ª edição (23 outubro 2008)

Obra que abre a saga Corpo de Baile de Guimarães, mais especificamente Campo Geral, é uma novela deliciosa e comovente que narra a história do menino Miguilim, que ao final da saga retorna adulto como Miguel. João Guimarães Rosa é o escritor que soube trazer o sertão para a literatura de uma maneira que nenhum outro o fez. Há poesia, drama, ação, filosofia e misticidade em suas obras. Caro leitor, o menino Miguel vai deixar você com vontade de entrar dentro do livro e dar um abraço nele, ou trazê-lo para casa. Um dos livros mais lindos escritos por Rosa, e um dos mais belos da literatura brasileira.

 

 

 

 

 

 

 

Confira o restante da lista neste site, no qual retiramos as informações!

As imagens foram retiradas do amazon

A que geração você pertence? Baby Boomer, X, Y ou Z? Entenda onde você se encaixa

1.2kviews

Os jovens sempre foram apontados como rebeldes. Questionadores por natureza, sempre buscam mudar de comportamento em relação às gerações anteriores. Para compreender e explicar as linhas traçadas pelos jovens e pelas gerações anteriores no Brasil, a revista Consumidor Moderno, em parceria com a REDS e com o Centro de Inteligência Padrão (CIP), desenvolveu o estudo Comportamento do Consumidor Brasileiro, exclusivo no mercado, para mapear o perfil de cada geração.

Em uma série de reportagens, apresentaremos o estudo Comportamento do Consumidor Brasileiro, realizado pelo Centro de Inteligência Padrão (CIP) e pela REDS, que traz hipóteses e dados sobre as gerações no Brasil.

Classificar períodos da vida dos indivíduos – dentro do Brasil ou fora dele – não é uma tarefa fácil. Porém, existe um consenso mundial a respeito da existência de quatro gerações: Baby BoomersXY (ou Millennials) e Z.

Um insight visionário

Apesar do consenso na classificação, Roberto Meir, publisher da revista Consumidor Moderno e presidente do Grupo Padrão, levantou a hipótese de que a geração Y brasileira tem uma defasagem de alguns anos em relação à americana. Essa tese se materializou neste estudo.“Isso muda tudo, porque não é possível categorizar hábitos de consumo de americanos e brasileiros da mesma forma. Isso se deve aos aspectos da conjuntura social, política, econômica, cultural e tecnológica do país”, aponta Meir.

A partir de profundas análises e cruzamentos dos resultados da pesquisa realizada pela REDS e CIP, foi possível obter a possibilidade de uma nova classificação de gerações para a população brasileira. Assim, supomos que existe uma diferença de cinco anos entre o início e o final da geração Y brasileira em comparação com a geração Y americana.

qual geração você pertence café com Poemas 2

Foto: Divulgação

Transição

Outra inovação trazida pelo estudo é o período de transição entre as gerações. Aqueles que nasceram nos anos de cruzamento carregam aspectos comportamentais e de interação com a tecnologia similares às duas gerações entre as quais transitam. Como é possível verificar a partir das datas de transição, os períodos em questão são cada vez menores. “Verificamos uma diminuição constante no período de cada geração e das gerações de transição. As mais jovens tendem a ser cada vez mais curtas. E isso se deve à velocidade com que têm ocorrido as mudanças tecnológicas e sociais no mundo atual”, esclarece Aline Tobal, gerente do Centro de Inteligência Padrão (CIP).

Grupos de transição das gerações
Geração BBX (1958-1964)
Grupo de transição entre Baby Boomers e X
Geração XY (1976-1984)
Grupo de transição entre a geração X e Y
Geração YZ (1995-1999)
Grupo de transição entre a geração Y e Z

Classificação americana das gerações
Baby Boomers – 1945 – 1964
Geração X – 1965 – 1979
Geração Y – 1980 – 1994
Geração Z – 1995 – Atual

Classificação brasileira das gerações
Baby Boomers – 1945 – 1964
Geração X – 1965 – 1984
Geração Y – 1985 – 1999
Geração Z – 2000 – Atual

Pais e filhos

A análise das gerações é feita de acordo com o uso das tecnologias pelos indivíduos e das relações entre elas e os consumidores. Os aspectos comportamentais, naturalmente, não ficam para trás e também são fundamentais. O perfil comportamental de pessoas nascidas no mesmo período, no entanto, é o que determina uma geração.

Segundo Roberto Meir, ao analisar as gerações mais antigas, o que se vê é uma infância repleta de brincadeiras de crianças fora de casa. “Quando os garotos e garotas dessa geração se tornaram pais e mães, perceberam que a violência havia aumentado e não quiseram que os filhos tivessem a mesma rotina. Decidiram investir em segurança: criaram um quarto com TV e computador, notebook para o filho não sair”, diz o Publisher.

A tentativa dos pais, porém, foi frustrada. Os filhos saíram de casa virtualmente porque, pela internet, era possível acessar o mundo. Desse jeito se fez a tão complexa relação entre gerações de pais e filhos – e assim nasceu a tão conectada geração mais jovem.

Comportamento geracional

De acordo com o estudo, para 64,7% dos jovens que possuem até 15 anos de idade – nascidos a partir de 2000 – o primeiro contato com a internet aconteceu até os 11 anos de idade. Para 77,9% daqueles que possuem entre 16 e 30 anos o primeiro contato com a internet aconteceu entre 6 e 15 anos de idade.

“A geração Y, no Brasil, começa quase 10 anos antes do real”, explica Aline. “O que notamos é que a essa geração foi influenciada por uma série de transformações tecnológicas e sociais que ocorreram no Brasil e no mundo. Por exemplo, eles possuem mais flexibilidade em aceitar as diferenças. O fato de terem nascido em um período de transformações políticas influencia seu comportamento”, diz.

A geração Z, por sua vez, começa em 2000. “Com as políticas de inclusão digital, as pessoas nascidas após esse período têm maior facilidade de acesso à internet”, aponta a gerente do CIP. “Ao compararmos essa geração com aqueles que nasceram em 1990, vemos bastante diferença em relação ao uso da tecnologia”. Ou seja, a geração Z se mostra muito mais conectada com maior facilidade em interagir com qualquer dispositivo eletrônico.

Estudo

Para chegar ao resultado, dois mil consumidores, com idade entre 15 e 70 anos, foram entrevistados. A pesquisa, realizada entre outubro e novembro de 2015, aconteceu em todas as regiões do Brasil. Assim, analisa indivíduos das gerações baby boomer, X, Y e Z.

 

 

As informações são do site Consumidor Moderno

Obs. Não conseguimos identificar a autoria de todas as imagens 

Dica: 5 filmes importantes para refletir e aprender sobre o racismo

759views

A discriminação com base na cor da pele afeta milhares e milhares de pessoas no mundo inteiro, e no Brasil, essa prática é mais comum quando se fala de brancos sendo preconceituosos com negros, do que com outras minorias.

Todo ano, no dia 20 de Novembro, temos o Dia da Consciência Negra. É considerado importante no reconhecimento dos descendentes africanos e da construção da sociedade brasileira. A data, dentre outras coisas, suscita questões sobre racismo, discriminação, igualdade social, inclusão de negros na sociedade e a cultura afro-brasileira, assim como a promoção de fóruns, debates e outras atividades que valorizam a cultura africana.

No cinema, temos ótimos filmes que remetem à escravidão, a luta pelos direitos raciais e casos baseados em fatos reais, trazendo ao papel principal grandes atores e atrizes e suas exaltadas atuações.

Abaixo, temos aqui uma lista de filmes que você poderá assistir não somente neste dia, mas como em qualquer outro.

1. À Espera de Um Milagre (1999)

a espera de um milagre cafe com poemas

Imagem: Divulgação

O filme À Espera de Um Milagre mostra a história de John Coffey (Michael Clarke Duncan), um homem negro condenado à morte pelo assassinato brutal de duas irmãs gêmeas de nove anos, em um momento em que a segregação racial era muito forte nos Estados Unidos. Na prisão, ele conhece o carcereiro Paul Edgecomb (Tom Hanks), que começa a entender melhor o acusado e descobre que não há nada de mal em seu ser, muito pelo contrário.

Você pode assistir ao filme À Espera de Um Milagre na Netflix.

 

2. Infiltrado na Klan (2018)

Infiltrado na Klan (2018) café com poemas dicas quarentena

Imagem: Divulgação

Em Infiltrado na Klan, filme de Spike Lee, conhecemos a história de Ron Stallworth (John David Washington), um policial que, em 1978, conseguiu se infiltrar em um grupo da comunidade racista Ku Klux Klan, mesmo sendo negro. Com bastante destreza, ele se comunica com a comunidade por meio de cartas e telefonemas, enviando outro policial branco em seu lugar quando precisa aparecer fisicamente em encontros.

Infiltrado na Klan pode ser assistido no Claro Video.

 

3. Fruitvale Station (2013)

Fruitvale Station (2013) café com poemas dicas quarentena

Imagem: Divulgação

Fruitvale Station é um filme que mostra a luta de Oscar Grant (Michael B. Jordan), um jovem de 22 anos que perde o emprego e esconde a informação da mãe de sua filha, Sophina (Melonie Diaz), por achar que é capaz de recuperar o trabalho. No entanto, a situação se complica quando o personagem acaba sendo vítima do preconceito em uma noite que deveria ser de comemorações.

Fruitvale Station está disponível no Amazon Prime Video e no Globo Play.

 

4. Green Book (2018)

Green Book (2018) café com poemas dicas quarentena

Imagem: Divulgação

Vencedor do Oscar de Melhor Filme, a produção dirigida por Peter Farrelly se passa em 1962 e conta a história de Don Shirley (Mahershala Ali), um pianista famoso mundialmente que começa uma aventura pelo sul dos Estados Unidos para a sua turnê musical. Ele contrata Tony Lip (Viggo Mortensen) para ser seu motorista e segurança, e então os dois começam a enfrentar problemas em suas viagens devido à segregação racial.

Você pode assistir a Green Book no Amazon Prime Video.

 

5. 12 Anos de Escravidão (2013)

12 Anos de Escravidão (2013) café com poemas dicas quarentena 1

Imagem: Divulgação

Também vencedor do Oscar de Melhor Filme, 12 anos de Escravidão tem como cenário a vida de Solomon Northup (Chiwetel Ejiofor), um jovem livre e que vive com tranquilidade junto aos filhos e sua esposa no ano de 1841. A vida do rapaz muda completamente quando ele é sequestrado e vendido como um escravo.

12 Anos de Escravidão está disponível na NetflixClaro Video e TeleCine Play.

 

*Confira a lista completa no site canaltech ou em geekofnerd.

Obs. Não conseguimos identificar a autoria das imagens 

 

Dicas de Português na Quarentena: “há, a ou à?” (Ortografia e Crase) – Prof.ª Renata Barcellos

548views

 

Renata Barcellos Barcellos tem graduação em Letras/Francês, pela Universidade Federal Fluminense (1996), mestrado em Letras  (2003), doutorado em ESTUDOS DE LINGUAGEM pela pela mesma Universidade (2008) e Pós-doutorado em Língua Portuguesa pela UFRJ (2015).
Atualmente ela é  professora na UNICARIOCA de Comunicação, Expressão e de Oficina no Colégio Estadual José Leite Lopes. Também leciona Língua Portuguesa, Literatura Brasileira e Produção textual no Colégio Estadual Chico Anysio.
Renata é autora das obras “Gramática contextualizada”,  “Itens do Novo Enem”, “Barcellos em prosa e verso” e “Barcellos e Viana: um encontro”. Também é coautora de Antologias poéticas e de diversos artigos sobre o ensino da Língua Portuguesa, além de ser também colunista do Portal Sem Fronteiras (BarcellArtes) e do Pauta Nossa (Agenda Cultural ).
As informações foram tiradas Escavador.
Conheça o seu canal no YOUTUBE 
E seu perfil no INSTAGRAM

Dicas de Português na Quarentena: Desvios de Linguagem (Queísmo) – Prof.ª Renata Barcellos

785views

 

Renata Barcellos tem graduação em Letras/Francês, pela Universidade Federal Fluminense (1996), mestrado em Letras  (2003), doutorado em ESTUDOS DE LINGUAGEM pela mesma Universidade (2008) e Pós-doutorado em Língua Portuguesa pela UFRJ (2015).
Atualmente ela é  professora na UNICARIOCA de Comunicação, Expressão e de Oficina no Colégio Estadual José Leite Lopes. Também leciona Língua Portuguesa, Literatura Brasileira e Produção textual no Colégio Estadual Chico Anysio.
Renata é autora das obras “Gramática contextualizada”,  “Itens do Novo Enem”, “Barcellos em prosa e verso” e “Barcellos e Viana: um encontro”. Também é coautora de Antologias poéticas e de diversos artigos sobre o ensino da Língua Portuguesa, além de ser também colunista do Portal Sem Fronteiras (BarcellArtes) e do Pauta Nossa (Agenda Cultural ).
As informações foram tiradas Escavador.
Conheça o seu canal no YOUTUBE 
E seu perfil no INSTAGRAM