Categoria Esporte

Conheça a história do mestre Jesuíno Coutinho (mais de 50 anos dedicados ao karatê)

300views

O Karatê é uma arte marcial milenar. De origem japonesa, surgiu na ilha de Okinawa. Veio para o Brasil com os imigrantes japoneses. Naquela época era praticado somente entre japoneses, depois se difundiu para todos estados brasileiros. Atualmente, o Karatê está, entre as artes marciais, a modalidade mais praticada do mundo. A primeira academia fundada no Brasil foi a ABK Associação Brasileira de Karatê, em 1959, mas oficialmente registrada em cartório no dia 7 de abril de 1961, na rua Tabatinguera, nº 340, no bairro da Sé, em São Paulo.

Objetivo

O objetivo do Karatê é ajudar na saúde de seus praticantes, manter o equilíbrio, entre o corpo e a mente, o autocontrole para evitar que o praticante entre em conflito , trilhe o caminho correto, evitar o uso de produtos químicos e vários outros benefícios. O Karatê pode ser praticado por pessoas de todas as idades e por ambos os sexos, de acordo com a condição física de cada um. Só é necessário dedicação e força de vontade como em qualquer atividade da vida humana. Reserve tempo para cuidar de você mesmo. Pratique Karatê como uma filosofia de vida.

Em Condeúba

O Karatê foi implantado, em Condeúba-BA, pelo Sensei Jesuíno R. Coutinho e pela Sensei Marlene de A. Lima Coutinho. Inicialmente na AABB, em 2001 (onde fui um dos primeiros alunos) e, posteriormente, na Prefeitura, em 27 de fevereiro, de 2002, no CRAS de Condeúba, onde se encontra até hoje (…).

As categorias Sênior e Lady foram criadas no Karatê Goju-Ryu, pelos professores Jesuíno R. Coutinho e Moritoshi Nakaema, no dia 13 de dezembro de 1987, na Escola Municipal Maurício Simão, no bairro do Campo Limpo, em São Paulo, com a presença do mestre Ryuzo Watanabe e a diretoria da Associação Brasileira de Karatê (A.B.K.). A A.B.K. foi fundada em 1959, na rua Tabatinguera, 340 – 3º, subsolo, mas só foi oficialmente registrada em cartório no dia 7 de setembro, de 1961, sendo a primeira academia registrada em cartório no Brasil.

A mudança de A.B.K. para Associação esportivo/ cultural de karatê-do Goju-Ryu, foi em 2 em setembro de 1984, sendo seu primeiro presidente o sr. Jorge Nomura e vice-presidente o sr. Kiiti Hase.

O professor Jesuíno R. Cotinho Foi nomeado diretor de relações públicas, pelo mestre Ryuzo Watanabe no dia 25 de agosto de 1985.

Fonte do texto: Associação Alvorada Karatê-Do/SP Video/Documentário Produzido por Carlos Nascimento da cidade de Condeúba/BA.

 

Confira o Vídeo abaixo:

 

Atletas do Nordeste são responsáveis por 5 das 7 medalhas de ouro conquistadas pelo Brasil

A mensagem do jogador Matheus Cunha na final do futebol olímpico, no Japão, voltada para as crianças de João Pessoa foi simbólica: “confiem, sempre dá”, dizia ele. Vale para todo o Nordeste, a região mais discriminada e escassa em recursos do país. Mas mesmo assim, com o mínimo de investimentos, saiu daqui as condições para que o Brasil alcançasse sua melhor marca em Olimpíadas. Foram cinco das sete medalhas de ouro conquistadas, contabilizando aqui, também, o futebol, que teve o pessoense Matheus Cunha abrindo o placar na final contra a Espanha.

Entre outros atletas, a seleção masculina ainda conta com outro paraibano, o goleiro Santos. O zagueiro pernambucano Nino levou uma bandeira do estado para a solenidade de entrega das medalhas. Nos esportes individuais, o potiguar Italo Ferreira (surfe) foi o primeiro a subir no lugar mais alto do pódio. Foi seguido dos baianos Ana Marcela Cunha (maratona aquática), Isaquias Queiroz (canoagem) e Hebert Conceição (boxe). Outra baiana, Bia Ferreira, conquistou a prata durante a madrugada no boxe.

Confira o texto na íntegra no site do Suetoni

Foto: Divulgação

1º Medalhista olímpico brasileiro do skate não teve apoio da Confederação

Enquanto o Brasil celebrava a primeira medalha da história do skate nas Olimpíadas, confederação e skatistas da ‘patota’ estranhamente silenciavam. “Será que agora vocês vão respeitar meu filho ou vão continuar a menosprezar ele? É uma vergonha o que fazem com meu filho”, desabafou pai

O silêncio da Confederação Brasileira de Skate (CBSk) sobre a medalha de prata de Kelvin Hoefler nos Jogos Olímpicos de Tóquio provocou questionamentos e motivou apurações na imprensa brasileira.

Bastante ativo nas redes, Duda Musa, presidente da CBSk, não havia realizado uma só postagem sequer em seu perfil pessoal do Instagram até a noite deste domingo (25), quase 24 horas após a conquista.

Há dezenas de publicações no perfil oficial da CBSk que vendem expectativa e imagem positiva de todos os atletas brasileiros que estão competindo em Tóquio. A única exceção é justamente Kelvin Hoefler.

Durante a performance histórica de Kelvin no sábado, chamou a atenção o fato de o atleta não ter nenhum treinador em seu corner para auxiliá-lo. O papel que caberia ao técnico da CBSk Rogério Mancha, que está em Tóquio, acabou sendo executado de improviso pela skatista Pâmela Rosa, 19, única amiga de Kelvin Hoefler.

Além de Pâmela, a esposa de Kelvin também o orientou por telefone. As imagens ganharam destaque na transmissão.

Letícia Bufoni, skatista brasileira que também competirá no Japão, foi questionada pela TV Globo sobre a ausência de comemoração após a medalha de prata de um atleta do Brasil. Ela justificou que Kelvin “não faz parte dos mesmos rolês que a gente, ele nunca faz parte das nossas atividades”. Fontes apuradas pelo portal UOL disseram que Letícia faz parte da ‘patota’ da CBSk.

Outro que integra a ‘patota’ é Felipe Gustavo, que foi eliminado em 14º nas eliminatórias e voltou para a Vila Olímpica. Ele postou apenas uma mensagem de “parabéns” para o japonês Yuto Horigome pela medalha de ouro. Pelo Instagram, onde tem 760 mil seguidores, ele não apenas nem citou a conquista de Kelvin como sequer segue o companheiro de seleção.

A fala fria de Letícia Bufoni e o desprezo Felipe Gustavo são a face visível de um racha dentro da seleção brasileira de skate. O incômodo de Kelvin e Pâmela com a gestão da CBSk ocorre há tempos e foi reforçado durante a preparação para as Olimpíadas, quando a seleção foi treinar nos Estados Unidos. Lá, ambos se sentiram desprestigiados na comparação com um grupo mais próximo do presidente Duda Musa que teria tido privilégios, inclusive acesso a familiares a treinadores próprios.

A gota d’água aconteceu há duas semanas, quando Kelvin e Pâmela, que já estavam concentrados com a seleção, pediram autorização para participar dos X-Games, na Califórnia, nos Estados Unidos. O comando da confederação respondeu que os skatistas precisavam viajar todos juntos para o Japão, como time, e por isso não conseguiriam competir nos EUA.

Quando os X-Games começaram, eles ficaram sabendo que Letícia Bufoni estava lá, sem ter Pâmela ou Rayssa Leal, a outra integrante do time brasileiro de street, como adversárias. Letícia ganhou a competição e um expressivo prêmio em dinheiro.

O entendimento de que Kelvin é preterido pela confederação ficou claro em um comentário do pai do skatista no Instagram da confederação, hoje, depois da medalha: “Será que agora vocês vão respeitar meu filho ou vão continuar a menosprezar ele [sic]? É nítido o que vocês estão fazendo. Essa medalha de prata representa todo esforço e dedicação dele. Vocês deveriam ser mais imparciais. É uma vergonha o que fazem com meu filho”, escreveu Enéas Hoefler.

Na noite deste domingo, Kelvin respondeu a fala de Letícia Bufoni sobre “não fazer parte dos roles” com os demais integrantes da seleção brasileira de skate. “Eu sou um cara bem pacato, sou do Guarujá, sou bem quieto, eu vim aqui para ganhar medalha, vim aqui para representar o meu país. E o que eu fiz? Estou aqui por um objetivo. Eu me isolei, fato, isolei, porque eu tenho um objetivo de levar essa medalha aqui para vocês, para todos os skatistas do Brasil, que eles sim merecem isso daqui”.

Fonte: Redação Pragmatismo

Cristiano Ronaldo não transformará seus hotéis em hospitais

 

Em menos de 12 horas, o desmentido. Na manhã deste domingo, o jornal português O Observador conseguiu checar a informação com fontes próximas a Cristiano Ronaldo e comprovou que não é verdade que seus hotéis em terras lusitanas serão transformados em hospitais para tratar gratuitamente de pacientes diagnosticados com o novo coronavírus. A notícia original surgiu no diário Marca, da Espanha, e logo se espalhou pelo mundo, sendo reproduzida pelo GloboEsporte.com.

O desencontro de informações se originou de um post de Edgar Caires, ex-marido de Elma Aveiro, irmã do craque. Nos stories de sua conta do Instagram, compartilhou uma imagem do site luso Arena Desportiva, em que se noticiava o plano de CR7. Logo, a ideia se espalhou e foi reproduzida pelo mundo.

Na manhã deste domingo, nem o cunhado do craque, tampouco o site português mantinha no ar as imagens que deram origem à notícia do jornal Marca. Mas, na página do Arena Desportiva no Facebook, havia o esclarecimento sobre a fonte da informação. Surgiu de Paula Carvalho, presidente da associação sem fins lucrativos Essência Humana, baseada em Lisboa. Pela conversa da rede social, ela lamentava que tinha sido induzida ao erro por outras pessoas.

O que de concreto há em relação a Cristiano Ronaldo é que está está em quarentena em sua casa na Ilha da Madeira. O craque segue a orientação da Juventus depois da confirmação de que o zagueiro Rugani foi infectado com o novo coronavírus. Na sexta-feira passada, o ídolo português postou mensagem sobre os cuidados que todos devem ter contra a pandemia.

(*) Com informações do Globo esporte

 

Obs. Não conseguimos identificar a autoria das imagens