‘Eu vejo poesia no povo’, diz Bráulio Bessa sobre a fonte de sua inspiração

‘Eu vejo poesia no povo’, diz Bráulio Bessa sobre a fonte de sua inspiração

Compartilhe à vontade!!!
302views

“Se o poeta popular vai para feira declamar poesia, eu vou para internet, que é uma feira grande, a maior do mundo, onde tem gente de todo lugar, não tem fronteiras e funciona 24h por dia. Vou fazer poesia, gravar vídeos, e compartilhar”. É assim que o cordelista cearense Bráulio Bessa define o seu fazer artístico.

➤ Leia também:

Conheça um pouco sobre o nosso “poeta do momento”, Bráulio Bessa

Graciliano Ramos, um dos melhores escritores brasileiros de regionalismo de todos os tempos

Quem foi Casimiro de Abreu

O cordelista cearense viu sua arte ganhar uma projeção inimaginável depois de se tornar colaborador fixo do programa Encontro com Fátima Bernardes, da TV Globo. “Às vezes me sinto até culpado, com um remorso, por ter tanta gente boa com quem eu aprendo, de quem eu sou fã, que se eu pudesse… Mas agradeço muito a oportunidade de através da poesia falar de tantos temas, de racismo, homofobia, perdão, educação, meio ambiente, semanalmente, às 11h, na TV aberta. E com poesia, que é esse bicho mal educado”, comentou.


Bráulio começou a escrever aos 14 anos, depois de conhecer a poesia de Patativa de Assaré em uma aula de literatura. Meses antes, ele tinha sido perguntado por outra professora o que queria ser quando crescer, mas não tinha resposta a pergunta, que continuou ressoando. “Depois de escrever o meu primeiro poema, fui até a professora e disse que queria ser poeta, e já tinha até escrito algo”, lembra.

“O que me bole é esse poder transformador, conscientizador, que existe na palavra, na poesia. Minha maior fonte de inspiração é gente, e aí sim transformar tudo isso em poesia. Olhar para cada um aqui, e perceber que existe poesia. Eu vejo poesia no povo!” – Bráulio Bessa

Texto reproduzido pelo site Correio24h e assinado por Marília Moreira

Foto: Divulgação

Facebook Comments Box

Sobre o Autor

Café com Poemas administrator

1 comentário até agora

AnônimoPostado em11:19 pm - fev 12, 2021

Eu que nada vej, escrevo. Aceito o conteúdo embutido nas receitas. Leuo as embalagens e ponho os óculos de sol para não sofrer com os raios ultravioletas…que protegem tudo , menos a minha buceta! Entre as minhas pernas eu tenho remorso, entre as minhas memoriasveuvquwro o divórcio Entre os versos um acordo , um concordo, um poema …um desespero nítido dos fatos

Deixe uma resposta