Categoria Literatura

Alunos da escola Municipal Zenália Dourado

Trabalho realizado com os professores: Érica Dourado, Célia Lopes, Joelson e Alysson da Escola Municipal Zenália Dourado Lopes (Lapão-Bahia), sobre Consciência Negra.
Autor do poema: Leandro Flores
Assista ao vídeo no canal Café com Flores

Literatura em Guarulhos-SP: Programa Agentes de Leitura

Visitar recordações, lembranças pessoais e trabalhar com a criação da memória coletiva. Dentre as ações de fomento à leitura desenvolvidas por Danielle Carvalho da Silva Santos, jovem de 22 anos, bolsista do Programa Agentes de Leitura, estão as oficinas realizadas pelo Projeto Girassol, coletivo formado por mulheres em 2018 no bairro Vila Carmela, região de Bonsucesso, onde ela mora com seus pais.

O programa Agentes de Leitura é uma iniciativa da Secretaria Especial de Cultura do Governo Federal, em parceria com a Prefeitura de Guarulhos e a Secretaria de Cultura, que prevê a concessão de bolsas de complementação de renda a jovens com residência fixa no município.

Durante a primeira oficina, realizada no mês passado, Danielle abordou o tema Memórias e utilizou como recurso um varal de poesias. “As participantes deveriam escolher um poema que remetesse à sua história; depois, em voz alta, fazer a leitura e compartilhar o porquê de sua escolha”, explicou a jovem.

Para esse encontro, do qual participaram 10 mulheres, Danielle selecionou os textos O Mal e o Sofrimento, de Leandro Gomes de Barros; Casamento, de Adélia Prado, Simplesmente Sertão, de Leandro Flores, Poema sem nome, de Patativa do Assaré, Brisa, de Manuel Bandeira, Consolo na Praia, de Carlos Drummond de Andrade, e Poemas para saudosistas, de Anna Lara Souza.

Danielle conheceu o Projeto Girassol através de sua mãe, que também frequenta as oficinas oferecidas pelo espaço. Para além da possibilidade de inserir a leitura em um contexto de empoderamento feminino, a jovem observou a iniciativa como uma oportunidade de trabalho com atividades de fomento ao livro, à leitura e à literatura.

“Tem sido incrível, me colocou em contato de pessoas próximas, estamos trocando experiências. Sempre soube que a leitura era importante, mas não sabia que, em meio a um processo de aprendizagem, que ela podia ser verdadeiramente transformadora, pois essas atividades chegam mais rápido às pessoas”.

Fomentando a leitura em mim

Unir sua experiência da leitura com o teatro também tem sido, segundo a jovem, incrível. Danielle está no último semestre do curso de bacharel e licenciatura em Artes Cênicas da Faculdade Anhembi Morumbi.

Ela estudou nas oficinas do Teatro na Comunidade no Centro Municipal de Educação Adamastor e participou de criações bem interessantes que o grupo espalhou pela cidade durante o período de atuação, dentre elas a Mostra Teatro na Comunidade com o espetáculo Mundo Perfeito. É integrante da Cia Unó e atua como auxiliar de direção musical, coreografa e atriz no espetáculo Rubro. Danielle também é professora de Artes da rede estadual.

A jovem conta que decidiu participar do Programa Agentes de Leitura porque sempre quis se dedicar a atividades que pudessem transformar a sociedade.

“Meu intuito com as oficinas do Projeto Girassol é valorizar as histórias e vivências que essas mulheres possuem, entender o quanto elas são fortes e presentes na sociedade, muitas das quais já têm idade avançada, vieram da região nordeste do país, trabalham ou não, outras trabalham em casa, mas não têm esse trabalho reconhecido”.

O sucesso da primeira oficina com as participantes do Projeto Girassol foi tão grande que a segunda oficina, realizada no último dia 29, contou com um número ainda maior de mulheres. Danielle propôs o tema Estima, com um trabalho com a autoimagem, o cuidado, o elogio à outra e a si mesmo, com textos motivacionais e reflexivos ditos umas para as outras.

“Esse trabalho de transformação é diário, em cada atividade que faço, o texto que escolho, tudo causa um impacto nas pessoas que saem do encontro transformadas. Por isso as atividades têm uma característica sensível, para que as mulheres possam olhar para si, e o teatro ajuda nesses momentos de improvisação, as leituras fluidas encontram sentido naquilo que tem sido proposto”.

Projeto Girassol

As oficinas do Projeto Girassol acontecem quinzenalmente, às segundas-feiras, e têm como objetivo oferecer suporte, prestar atendimento e promover encontros sobre temáticas como empoderamento, autoestima e outras demandas do universo feminino.

“O trabalho da Dani no Girassol é muito especial e veio para somar com o projeto. Ela tem muito respeito pelo próximo e grande entusiasmo pelo que faz. O resultado desse trabalho com as meninas é bastante positivo, elas se envolvem com o encontro, com as leituras dos textos, dos poemas, se identificam com as situações, partilham e comentam, tudo acaba sendo uma rica troca de experiências entre todas nós”, conta Mauricélia Ventura da Silva, conhecida como Célia, de 53 anos, uma das idealizadoras do projeto.

Temáticas pertinentes à igualdade feminina, saúde e prevenção de doenças, delegacias especializadas, apoio psicológico, violência psicológica, moral ou sexual, homofobia, família, direitos humanos, direcionamento a outros profissionais quando necessário. Silvana Testa, cofundadora do projeto e psicóloga, conta que a equipe também se dedica a campanhas de arrecadação de alimentos, rodas de conversas, palestras, dinâmicas e aulas de violão.

“O projeto surgiu em parceria com a Célia. Antes de estarmos no nosso espaço, uma das participantes ofereceu sua casa para que as oficinas começassem a acontecer e, desde então, realizamos esses encontros quinzenalmente, sempre às 19h30”, explica Silvana, enfatizando que o grande sonho da equipe é ampliar o atendimento do projeto para outros públicos, além do feminino.

Além de Silvana e Célia, a equipe do projeto também é composta pela social media Nayuri Seyfarth e a psicóloga Camila Santos.

Apontando para o futuro, Danielle acredita que também deveria haver um projeto de cravos, um encontro de homens, que também precisam aprender a ouvir e juntos tentar lidar com um comportamento masculino estrutural, que é passado de geração para geração.

“Às vezes, as mudanças vão acontecer de pouquinho em pouquinho, e eu acho que é exatamente isso que o Projeto Girassol faz. Quando a gente junta essas mulheres e conversa sobre violência doméstica, que elas não podem aceitar essa situação, quando falamos sobre a questão da mulher no mercado de trabalho, ou de depressão, cuidado consigo mesma, isso desperta uma força nessa mulher, e se conseguirmos uma sociedade com mulheres mais fortes, que reconhecem o seu valor, a gente automaticamente incentiva uma sociedade mais igualitária, porque elas deixam de aceitar situações de violência”.

 

Para saber mais sobre o Projeto Girassol, acompanhe suas redes sociais no

Facebook (https://www.facebook.com/Projetogirassolong/) e

Instagram (https://instagram.com/girassol_project?utm_medium=copy_link).

 

Fonte: Portal Educação – Guarulhos

Sobre a #semanansbook que ocorrerá entre os dias 22 a 29 de novembro

A editora Novos Sabores Publicações   realizará entre os dias 22 a 29 de novembro de 2021, a SEMANA NS BOOK (A semana do livro) e promete conceder descontos supreendentes para produtos e serviços. O Projeto Café com Poemas apoia essa iniciativa pois, a NS Publicações “surgiu da necessidade de inserção dos novos poetas no mundo editorial, sobretudo, aqueles que nunca publicaram um livro ou que não encontram espaço para publicarem, tendo em vista, a dificuldade de financiamento, patrocínio ou outra causa de incentivo.”

É uma empresa que oferece diversas vantagens para o escritor independente, sobretudo aqueles que estão publicando pela primeira vez, orientando-os, cobrando um preço justo pelos serviços realizados, acompanhando do inicio ao fim.

Além do mais, eles divulgam e vendem livros, sem custo nenhum para o autor e independente que tenha ou não publicado com eles. São essas e outras ações que precisam ser divulgadas.

Confira aí o vídeo:

Dia do Poeta | Poemas e frases para homenagear este momento

Anualmente, o Dia do Poeta é comemorado em 20 de outubro.

Esta data celebra uma justa e inequívoca homenagem a esse ser fabuloso que nos traduz a vida. Que usa de sua criatividade, inspiração e talento para descrever os sentimentos, a natureza, os comportamentos humanos e as danações do tempo.

O objetivo principal desta data comemorativa é incentivar a leitura, a escrita e a produção de obras nacionais. Sabe-se que o setor artístico-literário é um campo restrito, com pouco ou quase nenhum investimento público, sobretudo para aqueles pequenos e médios escritores (poetas, romancistas, contistas, etc) que muitas vezes, precisam arcar de maneira desproporcional com a sua publicação (A Editora NS PUBLICAÇÕES tem incentivos, descontos especiais, orientações, para escritores que desejam publicar pela primeira vez). Saiba mais.

O Brasil tem produzido, ao longo destes séculos, centenas de poetas/escritores que são lidos e admirados em todo mundo, a exemplo de Machado de Assis, Castro Alves, Clarice Lispector, Guimarães Rosa, Jorge Amado, Graciliano Ramos, Milton Hatoum, Chico Buarque, Carlos Drummond de Andrade, entre outros.

Origem do Dia do Poeta

O Dia Nacional do Poeta é uma comemoração extraoficial, ou seja, não faz parte institucionalmente do calendário oficial brasileiro.

Porém, a data foi escolhida, a partir do surgimento em 20 de outubro de 1976, em São Paulo, do Movimento Poético Nacional, que aconteceu na casa do jornalista, romancista, advogado e pintor brasileiro Paulo Menotti Del Picchia.

A data homenageia e lembra este momento.

Curiosidades sobre o Dia da Poesia

– O Dia Nacional da Poesia, é comemorado oficialmente em 31 de outubro, através da lei 13.131, de 3 de janeiro de 2015. A escolha desta data é uma homenagem ao nascimento do poeta Carlos Drummond de Andrade.

–  Antes da criação da lei, porém, o Dia Nacional da Poesia era celebrado em 14 de março, de forma não-oficial, era uma homenagem ao poeta brasileiro, Castro Alves, que nasceu em 14 de março de 1847.

– Já o Dia Mundial da Poesia é celebrado em 21 de março.  A data foi criada durante a XXX Conferência Geral da UNESCO, em 16 de novembro de 1999.

 



Alguns poemas e frases de poetas clássicos e modernos para homenagear este momento

Oh! Bendito o que semeia
Livros à mão cheia
E manda o povo pensar!
O livro, caindo n’alma
É germe – que faz a palma,
É chuva – que faz o mar!

CASTRO ALVES, Espumas Flutuantes, 1870.

 


“Palavra puxa palavra,
uma ideia traz outra,
e assim se faz um livro,
um governo, ou uma revolução,
alguns dizem mesmo que assim
é que a natureza compôs as suas espécies.”

MACHADO DE ASSIS. Volume de contos. Rio de Janeiro : Garnier, 1884. 

 


 

Quando eu morder
a palavra,
por favor,
não me apressem,
quero mascar,
rasgar entre os dentes,
a pele, os ossos, o tutano
do verbo,
para assim versejar
o âmago das coisas.

CONCEIÇÃO EVARISTO, “Poemas da recordação e outros movimentos”. Belo Horizonte: Nandyala, 2008.


 

Quando nasci um anjo esbelto,
desses que tocam trombeta, anunciou:
vai carregar bandeira.
Cargo muito pesado pra mulher,
esta espécie ainda envergonhada.
Aceito os subterfúgios que me cabem,
sem precisar mentir.
Não tão feia que não possa casar,
acho o Rio de Janeiro uma beleza e
ora sim, ora não, creio em parto sem dor.
Mas, o que sinto escrevo. Cumpro a sina.
Inauguro linhagens, fundo reinos
— dor não é amargura.
Minha tristeza não tem pedigree,
já a minha vontade de alegria,
sua raiz vai ao meu mil avô.
Vai ser coxo na vida, é maldição pra homem.

Mulher é desdobrável. Eu sou.

ADÉLIA PRADO, Bagagem. São Paulo: Siciliano. 1993. p. 11.

 


 

SER POETA…

Ser poeta é traduzir em palavras
O que sente, às vezes sem sentir.
É viver a dor de alguém
Em um instante que nem sempre dói em si.
O poeta fala tanto de amor que esquece de se apaixonar.
Traduz os sentimentos com tal veracidade
Que acredita realmente amar.
Ser poeta é viver duas vezes,
Uma para morrer, outra para se eternizar.

LEANDRO FLORES, Sorriso de Pedra – A outra face de um poeta, Belo Horizonte, Agilite Publicações e Interatividade, 2014, p. 110.

 

*E aí, você gostou deste artigo? Pode curtir, compartilhar, comentar, reproduzir em suas plataformas. Só não esqueça de citar a fonte, está bem?

13 de outubro é comemorado o ”dia Internacional do Escritor”

13 de outubro é o 286.º dia do ano no calendário gregoriano (Ou seja: 287.º em anos bissextos), faltando apenas 79 dias para acabar o ano.

Mas você sabia que “13 de outubro” também é comemorado o dia do escritor? Pois bem. O Dia Nacional do Escritor é comemorado em 25 de julho no Brasil. Isso todo mundo já sabe. A homenagem aos escritores no dia 25 de julho veio a partir do I Festival do Escritor Brasileiro, organizado na década de 1960 pela União Brasileira de Escritores (UBE), sob a presidência de João Peregrino Júnior e tendo como vice-presidente, o escritor Jorge Amado, um dos principais nomes da literatura nacional.

A nível mundial, os escritores são homenageados em 13 de outubro (isso mesmo!), data conhecida como o Dia Internacional do Escritor.

Frases de Escritores Internacionais

Para homenagear essa data tão ilustre, resolvemos trazer algumas frases de escritores internacionais que certamente você vai adorar. Confira só:

 

Somos todos escritores, só que alguns escrevem e outros não.” 

José Saramago (escritor português,  Nobel de Literatura de 1998).

***

Todos sabem fazer história, mas só os grandes sabem escrevê-la.” 

Oscar Wilde (escritor irlandês, autor da obra “O Retrato de Dorian Gray”, seu único romance, porém, a obra é considerada uma das mais importantes da literatura inglesa.).

***

“Um escritor só escreve um único livro, embora esse livro apareça em muitos tomos, com títulos diversos.”

Gabriel Garcia Marquez (escritor, jornalista, editor, ativista e político colombiano. Considerado um dos autores mais importantes do século XX, com mais de 40 milhões de livros vendidos em 36 idiomas.).

***

Nosso destino não está escrito nas estrelas, mas em nós mesmos.” 

William Shakespeare (poeta, dramaturgo e ator inglês, considerado o maior escritor do idioma inglês e o mais influente dramaturgo do mundo).

 

*E aí, você gostou desse artigo? Pode curtir, compartilhar, comentar, reproduzir em suas plataformas. Só não esqueça de citar a fonte, está bem?

 

Fonte original da publicação: NS Publicações

Dia do Nordestino: 13 Poemas que homenageiam o nordeste e suas diferentes culturas

Dia do Nordestino é comemorado anualmente em 8 de outubro, no Brasil.

Esta data homenageia a cultura nordestina e a diversidade folclórica típica da região Nordeste do Brasil. O povo nordestino é um grande tesouro da cultura nacional, um dos maiores traços da identidade do Brasil.

O Nordeste brasileiro é conhecido pelas belíssimas paisagens naturais, culinária, artesanatos, musicalidade e danças que atraem turistas do mundo todo.

Os 9 estados que compõem o Nordeste são: Maranhão, Alagoas, Bahia, Ceará, Piauí, Paraíba, Pernambuco, Rio Grande do Norte e Sergipe.

A criação desta data é uma homenagem ao centenário do poeta popular, compositor e cantor cearense Antônio Gonçalves da Silva, conhecido como Patativa do Assaré (1909 – 2002).

O Dia do Nordestino foi oficializado com a lei nº 14.952, de 13 de julho de 2009, na cidade de São Paulo, região com a maior concentração de nordestino em todo o país (com exceção do próprio Nordeste, obviamente).

Para homenagear essa data tão importante, trouxemos 13 poemas de diferentes poetas nordestinos (clássicos e contemporâneaos) que irão traduzir um pouco a representatividade desse povo tão especial na cultura brasileira e para o mundo.

Confira:

Brisa

Vamos viver no Nordeste, Anarina.
Deixarei aqui meus amigos, meus livros, minhas riquezas, minha vergonha.
Deixaras aqui tua filha, tua avó, teu marido, teu amante.

Aqui faz muito calor.
No Nordeste faz calor também.
Mas lá tem brisa:
Vamos viver de brisa, Anarina.

Manuel Bandeira

 

***

Sodade do meu pedacim de chão

Tem tempo que larguei minha rocinha
e vim pará neste lugá
aqui trabaio noite e dia
num paro nem pra discansá

deixei minino, muié, gado, roçado
priquito e tudo quanto há
a seca foi bitela
a prantação num chegô nem a brotá

vô picá é a mula daqui
num tem como ficá mair não
a sodade já tá ardendo o peito
virô até judiação

vô é pros braços da minha véia
vô dengá os meus fiím
vô vortá pra minha terra
sê filiz do meu jeitim

vô pulá na inchorrada
quando a chuva aparicê
vô chamá de macambira
quem dizê que eu tô perê

vô butá a minha roça
tombá, prantá e esperá crescê
como fiz nos zotros zanos
sem ninguém pra esmurecê

a minha terra é trabiceiro
onde eu faço o meu labô
bom dimais mexê cum terra
vida lá é bela como uma frô

a tarde o sóu se ispriguiça
e a noite toma o seu lugá
vagalume é bicho sorto
passa logo a lumiá

quando é noite de lua cheia
aí que a coisa fica boa
vô pro terreiro cus meninos e a muié
ouvi modinha e ficá à toa…

é muito bom o meu sertão
é por isso que vô me picá
aqui num tem sossego não
só o peso do patuá

cidade grande tem imprego
gente fina e agitação
mas prum matuto, feito eu
mió mermo é seu pedacim de chão.

Leandro Flores
03/09/2015

***

Ser Nordestino

Sou o gibão do vaqueiro, sou cuscuz sou rapadura
Sou vida difícil e dura
Sou nordeste brasileiro
Sou cantador violeiro, sou alegria ao chover
Sou doutor sem saber ler, sou rico sem ser granfino
Quanto mais sou nordestino, mais tenho orgulho de ser
Da minha cabeça chata, do meu sotaque arrastado
Do nosso solo rachado, dessa gente maltratada
Quase sempre injustiçada, acostumada a sofrer
Mais mesmo nesse padecer eu sou feliz desde menino
Quanto mais sou nordestino, mais orgulho tenho de ser

Terra de cultura viva, Chico Anísio, Gonzagão de Renato Aragão
Ariano e patativa. Gente boa, criativa
Isso só me dá prazer e hoje mais uma vez eu quero dizer
Muito obrigado ao destino, quanto mais sou nordestino
Mais tenho orgulho de ser

Bráulio Bessa

 

***

Exaltação ao Nordeste

Eita,Nordeste da peste,
Mesmo com toda sêca
Abandono e solidão,
Talvez pouca gente perceba
Que teu mapa aproximado
Tem forma de coração.
E se dizem que temos pobreza
E atribuem à natureza,
Contra isso,eu digo não.
Na verdade temos fartura
Do petróleo ao algodão.
Isso prova que temos riqueza
Embaixo e em cima do chão.
Procure por aí a fora
“Cabra” que acorda antes da aurora
E da enxada lança mão.
Procure mulher com dez filhos
Que quando a palma não alimenta
Bebem leite de jumenta
E nenhum dá pra ladrão
Procure por aí a fora
Quem melhor que a gente canta,
Quem melhor que a gente dança
Xote,xaxado e baião.
Procure no mundo uma cidade
Com a beleza e a claridade
Do luar do meu sertão.

Luiz Gonzaga de Moura

***

Sendo eu um aprendiz

Sendo eu, um aprendiz
A vida já me ensinou que besta
É quem vive triste
Lembrando o que faltou

Magoando a cicatriz
E esquece de ser feliz
Por tudo que conquistou

Afinal, nem toda lágrima é dor
Nem toda graça é sorriso
Nem toda curva da vida
Tem uma placa de aviso
E nem sempre o que você perde
É de fato um prejuízo

O meu ou o seu caminho
Não são muito diferentes
Tem espinho, pedra, buraco
Pra mode atrasar a gente

Mas não desanime por nada
Pois até uma topada
Empurra você pra frente

Tantas vezes parece que é o fim
Mas no fundo, é só um recomeço
Afinal, pra poder se levantar
É preciso sofrer algum tropeço

É a vida insistindo em nos cobrar
Uma conta difícil de pagar
Quase sempre, por ter um alto preço

Acredite no poder da palavra desistir
Tire o D, coloque o R
Que você tem Resistir

Uma pequena mudança
Às vezes traz esperança
E faz a gente seguir

Continue sendo forte
Tenha fé no Criador
Fé também em você mesmo
Não tenha medo da dor

Siga em frente a caminhada
E saiba que a cruz mais pesada
O filho de Deus carregou

Bráulio Bessa

 

***

Simplesmente Sertão…

Ser tão belo,
Ser tão maravilhoso,
Ser tão grande,
Ser tão gostoso.

Ser tão meu,
Ser tão seu,
Ser tão dela,
Ser tão fera.

Ser tão cruel,
Ser tão distante,
Ser tão gigante.

Ser tão calado,
Ser tão apaixonado,
Ser tão… Simplesmente sertão!

Leandro Flores

 

***

Sertão, argúem te cantô,
Eu sempre tenho cantado
E ainda cantando tô,
Pruquê, meu torrão amado,
Munto te prezo, te quero
E vejo qui os teus mistéro
Ninguém sabe decifrá.
A tua beleza é tanta,
Qui o poeta canta, canta,
E inda fica o qui cantá.

(De EU E O SERTÃO – Cante lá que eu canto Cá – Filosofia de um trovador nordestino – Ed.Vozes, Petrópolis, 1982)

Patativa do Assaré

 

***

 

Meus versos é como semente
Que nasce arriba do chão;
Não tenho estudo nem arte,
A minha rima faz parte
Das obras da criação

Patativa do Assaré

 

***

Sertão versos

Tenho prazer de falar.
Da minha terra fiel.
Arte, Cultura, Cordel.
O verde, a flor de açucena.
Nos braços dessa morena.
Me briagar de paixão.
Nas festas de são João.
Festejar com alegria.
Sou forró e poesia.
Sou caboclo do sertão…

Autor: Rogério Dantas
Caicó- RN- 16/07/ 2013

 

***

Sou nordestino!

Sou do sertão terra quente
que é bem difícil chover
nasci de um povo valente
acostumado a sofrer
sou nordestino oxente
e tenho orgulho de ser

Guibson Medeiros

 

***

“Minha alma triste suspira
em deslumbrante desejo,
ausente da minha terra,
há tempos que não a vejo.
são suspiros arrancados
do peito de um sertanejo.”

***

Brasi Caboco

O qui é Brasí Caboco?
É um Brasi diferente
do Brasí das capitá.
É um Brasi brasilêro,
sem mistura de instrangero,
um Brasi nacioná!

É o Brasi qui não veste
liforme de gazimira,
camisa de peito duro,
com butuadura de ouro…
Brasi caboco só veste,
camisa grossa de lista,
carça de brim da “polista”
gibão e chapéu de coro!

Zé da Luz

***

Depois da “festa” quem é
Que vai se lembrar de junho?
Defender a Natureza
Pra mim não será rascunho
E sim a arte final
A nível universal
Quem falhar eu testemunho…

Raimundo Santa Helena

***

Se eu conversasse com Deus
Iria lhe perguntar:
Por que é que sofremos tanto
Quando viemos pra cá?
Que dívida é essa
Que a gente tem que morrer pra pagar?

Perguntaria também
Como é que ele é feito
Que não dorme, que não come
E assim vive satisfeito.
Por que foi que ele não fez
A gente do mesmo jeito?

Por que existem uns felizes
E outros que sofrem tanto?
Nascemos do mesmo jeito,
Moramos no mesmo canto.
Quem foi temperar o choro
E acabou salgando o pranto?

Leandro Gomes de Barros

 

Fonte do texto: Calendarr.com

Fonte de pesquisa: Pensador.com 

Créditos das fotos: Pesquisa livre

 

 

“A literatura é a maneira mais agradável de ignorar a vida” – 25 de julho (dia do escritor)

Dia Nacional do Escritor é comemorado em 25 de julho no Brasil.

Esta data é uma homenagem aqueles que se dedicam às letras de diferentes formas. Sejam nos textos científicos ou fictícios, como contos, romances, crônicas, os escritores precisam ter a grande habilidade de envolver os leitores, através da emoção ou da técnica.

Para ser um bom escritor é preciso ter um vasto conhecimento de vocabulários, da gramática e ortografia, além de uma boa dose de criatividade e conhecimentos gerais do mundo. Muitos escritores utilizam do ambiente onde vivem como meio de inspiração, outros, as causas sociais pelas quais estão envolvidos. Cada escritor tem a sua forma de escrever e o motivo também é diverso. O escritor baiano, Jorge Amado, por exemplo, se inspirava nas pessoas e nos locais que convivia, em diferentes épocas. João Cabral de Melo Neto era conhecido como “o arquiteto das palavras”. Para ele, a construção poética não é apenas fruto de inspiração, mas de técnica, da “simetria”, “algo que só poderia ser conseguido através de um exercício autocrítico e de um trabalho linguístico rigoroso” (Guia do Estudante).

A nível internacional, os escritores são homenageados em 13 de outubro, data conhecida como o Dia Mundial do Escritor.

Origem do Dia Nacional do Escritor

A homenagem aos escritores no dia 25 de julho veio a partir do I Festival do Escritor Brasileiro, organizado na década de 1960 pela União Brasileira de Escritores (UBE), sob a presidência de João Peregrino Júnior e tendo como vice-presidente, o escritor Jorge Amado, um dos principais nomes da literatura nacional.

Clique na imagem

Frases para o Dia do Escritor

  • “Escrever é estar no extremo de si mesmo.” (João Cabral de Melo Neto)
  • “Escritor: não somente uma certa maneira especial de ver as coisas, senão também uma impossibilidade de as ver de qualquer outra maneira.” (Carlos Drummond de Andrade)
  • “Quando os escritores morrem, eles se transformam nos seus livros. O que, pensando bem, não deixa de ser uma forma interessante de reencarnação.” (Jorge Luis Borges)
  • “O mais belo triunfo do escritor é fazer pensar os que podem pensar.”(Eugène Delacroix).
  • “É preciso se embriagar da escrita para que a realidade não o destrua”. (Ray Bradbury)
  • A literatura é a maneira mais agradável de ignorar a vida”. (Fernando Pessoa)
  • Essas palavras que escrevo me protegem da completa loucura”. (Charles Bukowski)
  • O resultado fatal de eu viver é o ato de escrever”. (Clarice Lispector)

Fonte: Editora Novos Sabores Publicações

Saiba quem foi a pessoa que mais doou livro no mundo. São mais de 100 milhões ao todo

Ela é simplesmente uma das maiores (senão, a maior) estrela da música country nos EUA. Já vendeu milhões de discos, é compositora consagrada e uma das artistas de maior sucesso comercial do mundo. Estamos falando, nada mais, nada menos, da cantora e compositora norte-americana, Dolly Parton. 

Dolly é uma das artistas mais queridas no mundo das celebridades. Ela está sempre envolvida com projetos sociais, ajudando milhares de pessoas, sobretudo, crianças. 

Só para se ter uma ideia, em 2018, Dolly foi homenageada pela Biblioteca do Congresso pelo envio de 100 milhões de livros  doados gratuitamente para crianças pobres nos Estados Unidos, Reino Unido e Austrália.

Isso a torna, segundo o jornalista e radialista, Luiz Megale, como  a maior doadora de livros da história, mais ainda que qualquer um país ou comunidade tenha feito.

A chamada Biblioteca da Imaginação funciona assim: todo mês é enviado para cada família um livro,  escolhido por especialistas em literatura infantil, até a criança completar cinco anos. A ideia, segundo Dolly, é que essa criança, após ser alfabetizada, tenha à sua disposição uma coleção de bons livros para tomar gosto pela leitura.

A inspiração para a Biblioteca da Imaginação, foi o seu pai, Lee, um operário e trabalhador rural que morreu analfabeto, aos 79 anos. “Vi como isso marcou a vida de meu pai”, disse Dolly.

A família Parton vem de uma região rural e pobre no interior do Tennessee. A mãe de Dolly, aos 35 anos já havia dado a luz 12 crianças. Dolly, dona de voz suave e marcante, passou a apresentar em igrejas e rádios locais, ela, então, aos 18 anos mudou-se para Nashville, considerada a capital da música country, e foi lá que sua carrereira deslanchou. Passou, então, a fazer música e rapidamente atraiu atenção de cantores e gravadoras. Antes de completar 21 anos, por exemplo, já havia composto sucessos para Hank Williams Jr., Skeeter Davis e Kitty Wells. 

Em mais de 50 anos de carreira, Dolly Parton, segundo informações do Blog do Barcinski, onde baseamos parte deste artigo, Dolly compôs cerca de 3 mil canções, vendeu 100 milhões de discos, atuou em filmes e séries de TV, escreveu livros e produziu peças musicais. Mas seu maior feito, até agora, sem dúvida, é enviar, todo mês, 900 mil livros para 900 mil crianças.

Quanta nobreza não é mesmo? E olha, tem mais: recentemente, segundo informações que colhi neste blog, ela doou 1 milhões de dólares, mais de 5 milhões de reais, para o Centro Médico da Universidade Vanderbilt, em Nashville. O dinheiro será usado para ajudar nas pesquisas sobre a COVID-19, já que o mundo inteiro está correndo contra o tempo para achar uma solução à pandemia.

Dolly Parton tem feito também, durante a quarentena, lives no YouTube toda quinta-feira para lê livros infantis. A ideia é que as lives se prolonguem por dez semanas, com livros escolhidos de propósito para estes “dias de confinamentos”.

“Isto era algo que eu já tinha vontade de fazer há algum tempo, mas o momento nunca parecia certo”, explicou. “Acho que agora é a hora de partilhar uma história e um pouco de amor.”

No primeiro episódio, ela leu “The Little Engine That Could de Good Night with Dolly” de Watty Piper:

 

 

* Todos os conteúdos publicados neste site  e que tenham a nossa autoria ou marca são livres e podem ser reproduzidos em qualquer plataforma (virtual ou impressa), desde que seja respeitada a autoria e atribuida devidamente as fontes.  

Obs. Não conseguimos identificar a autoria da imagem.

10 livros divertidos e interessantes que você precisa ler!

334views

Conheça aqui uma indicação de dez obras interessantes e divertidíssimas que você precisa ler, se ainda não leu, da nossa literatura e da literatura estrangeira. Se já leu e gostou, recomende-os aos seus amigos – afinal, uma boa história deve ser sempre compartilhada!

 

1. O Meu Pé de Laranja Lima – José Mauro de Vasconcelos

Editora : Melhoramentos; 1ª edição (1 maio 2019)

 

Ele não sabia o que o céu significava pra mim.” Uma história linda, emocionante, que pode fazer brotar lágrimas nos olhos do leitor mais insensível. José Mauro de Vasconcelos é um dos escritores brasileiros menos lidos, o “Meu Pé” é sua obra mais conhecida, e que, inclusive, ganhou continuações. O protagonista é o pobre e travesso menino Zezé, que aprendeu a duras penas as dificuldades da vida. Lembre-se de deixar o lencinho sempre à mão quando for lê-lo.

 

 

 

 

 

 

 

2. O Grande Mentecapto – Fernando Sabino

Editora : Editora Record; 1ª edição (29 junho 2020)

 

“Oh Minas Gerais, quem te conhece não esquece jamais!” Um aventura deliciosa, inesquecível, com gosto de infância e nostalgia por Minas Gerais, uai! O incompreendido Geraldo Viramundo parte numa viagem rocambolesca, e se mete nas mais variadas confusões. A única coisa que faltou neste livro são os personagens comendo pão de queijo… Garantia certa de boas gargalhadas!

 

 

 

 

 

 

 

3. A Pata da Gazela – José de Alencar

ASIN : B089FVM28N

Já sei: lá na escola mandaram você ler Iracema. Você não entendeu nada do livro e ainda ficou traumatizado. Pois A pata da gazela vai destraumatizá-lo querido leitor. É um livro leve, divertido, bem escrito e com final surpreendente! A obra do Alencar é domínio público, isso significa que você encontra esse e outros títulos dele em e-book para baixar. Se você duvida faça o teste aí!

 

 

 

 

 

 

 

4. Contos de Aprendiz – Carlos Drummond de Andrade

Editora : Record; 53ª edição (1 janeiro 2001)

Drummond é conhecido principalmente pela sua poesia, mas poucos sabem que ele também foi cronista e contista. É inacreditável quando o próprio poeta diz que estava “experimentando” a arte da narrativa curta quando lemos seus contos. A bem da verdade, ele já possuía o domínio da pena ao entrar no mundo dos contos e crônicas que, aliás, na sua época ele foi amigo dos grandes escritores do gênero, como Sabino e Rubem Braga. Vai que eles deram uma forcinha pra ele e não sabemos né?!

 

 

 

 

 

 

 

 

5. Manuelzão e Miguilim – João Guimarães Rosa

Editora : Nova Fronteira; 11ª edição (23 outubro 2008)

Obra que abre a saga Corpo de Baile de Guimarães, mais especificamente Campo Geral, é uma novela deliciosa e comovente que narra a história do menino Miguilim, que ao final da saga retorna adulto como Miguel. João Guimarães Rosa é o escritor que soube trazer o sertão para a literatura de uma maneira que nenhum outro o fez. Há poesia, drama, ação, filosofia e misticidade em suas obras. Caro leitor, o menino Miguel vai deixar você com vontade de entrar dentro do livro e dar um abraço nele, ou trazê-lo para casa. Um dos livros mais lindos escritos por Rosa, e um dos mais belos da literatura brasileira.

 

 

 

 

 

 

 

Confira o restante da lista neste site, no qual retiramos as informações!

As imagens foram retiradas do amazon

Inscrições para o Projeto Cartas e Depoimentos 2020 são adiadas

Você que ainda não se inscreveu no projeto Cartas e Depoimentos 2020 essa é a sua última oportunidade. As inscrições foram prorrogadas para o dia 05 de janeiro de 2021. No primeiro edital, a data limite para realização das inscrições era até o dia 22/12/2020.

Para o idealizador e coordenador do projeto Leandro Flores, o adiamento do prazo é para possibilitar que mais pessoas participem e que as experiências de natal e ano novo (em quarentena) possam ser traduzidas em cartas e inspirações.

Está sendo muito bom poder usar as palavras para traduzir o nosso estado de espírito em tempos tão difíceis como estes que estamos vivendo.  Poder falar de várias coisas, nos conhecer através das cartas, soltar a imaginação com os personagens é como se fosse uma válvula de escape para poder fugir da realidade tenebrosa que estamos vivendo. É uma experiência marcante.

Leandro diz ainda que após o encerramento das inscrições o participante inscrito ainda poderá enviar e receber as cartas. Mas que, independente da seleção  das cartas que comporão a coletânea, nada impede que o projeto continue e que as pessoas possam trocar cartas entre si em datas futuras, sem compromissos com publicações.

Se a pessoa escreveu, durante a participação no projeto, vamos supor… 50 cartas, isso não significa que todas elas irão fazer parte da coletânea (impressa). Vai depender de quantas páginas ele ou ela irá escolher participar.  Essa troca de correspondência no projeto é gratuita e o ideal é que todos escrevam o máximo de cartas possíveis.

O projeto funciona da seguinte maneira: em um primeiro momento, o participante deverá encaminhar (no ato da inscrição) um depoimento (não se trata de biografia) e deverá, de maneira sucinta, falar um pouco de si, seus gostos, suas preferências, seu estilo de vida, seus sonhos, experiências, fantasias  e o desejo de conhecer pessoas através das cartas. Esse depoimento será publicado em um grupo privado no Facebook (item 1. IV do edital abaixo), composto apenas pelos participantes do projeto e será usado como troca de informação e interação social.

Depois, cada um, vai escrever quantas cartas quiser, porém, diferente de outras edições, o envio será apenas entre os participantes e por e-mail. Será necessário que o PARTICIPANTE encaminhe também, além do destinatário, uma cópia para o e-mail: [email protected] para que a mesma fique registrada junto ao projeto e possamos publicá-la no site ou na coletânea (livro).

O objetivo é reunir um material: Depoimentos Pessoais, Experiências, Impressões, relatos do dia a dia, em forma de Cartas ou Depoimentos (em textos escritos) sobre este momento que estamos enfrentando.

O Projeto teve início em 2013, com o livro “Tens Algo para Mim?” e de “Entrelinhas e Reticências” em 2014, com edições atualizadas (Disponíveis no site da editora NS Publicações), agora em 2020, o tema é “Quando o mundo acabou em 2020 – Cartas e Depoimentos na Quarentena”, porém, o participante poderá também escrever sobre outros assuntos, como o amor, amizade, fantasia (na construção de personagens), etc. Proibido conteúdos que violem direitos de terceiros ou incentivem a VIOLÊNCIA (qualquer que seja), a PEDOFILIA, o PRECONCEITO, o RACISMO ou provoquem discussões desnecessárias (ex. política, religiosa, ideológica, etc.).

As inscrições são gratuitas. 

Este projeto conta com o apoio da editora Novos Sabores – Publicações, Movimento Cultivista e Café com Poemas.

Confira abaixo, como participar: