Arquivo de tag leandro flores

Leandro Flores: Bate-papo na Escola Municipal Jovino Coutinho em Condeúba/BA

Por: Leandro Flores

Uma tarde gostosa para falar de poesia e outros assuntos. O local do encontro foi no Colégio Municipal Jovino Coutinho, no povoado do Riacho Seco, município de Condeúba/BA. O convite partiu do  amigo, professor e coordenador, Rubens Ribeiro dos Santos. Lá fui recepcionado por ele, pela diretora Valdecarmem de Brito e demais professores, funcionários e alunos. Foi uma experiência marcante. Primeiro porque pude falar um pouco de mim, da vida, da minha trajetória.  Passar alguma coisa que trouxesse algum significado para aqueles alunos (que ouviram e interagiram a cada palavra). Segundo porque, eventos assim na minha região são mais do que significativos para mim. Lembrou-me uma outra apresentação que fiz no ano de 2018, no Colégio Adelmário Pinheiro, região da Feirinha, também no município de Condeúba, onde também foi muito bom.

Saí de lá com as melhores impressões; dos alunos, dos professores, do colégio, da administração, enfim, de todos.
Voltaria mil vezes, como eu disse (com gratidão) a um aluno de tão proveitoso que foi esse encontro.

Participou também deste evento, o bacharel em Direito, Leonardo Flores, que pode colaborar também em algumas fotografias.

 

Confira o vídeo integral da apresentação:

Seleção de Poemas para o Dia dos Namorados

Felicidade a todos os namorados!

Aos que estão felizes nesse momento, aos que já foram felizes, aos que terminaram, mas ainda querem voltar. Aos que se conheceram há pouco tempo, mas que se amam como velhos namorados. Aos solteiros, que sofrem silenciosamente, aos que ainda não perderam a esperança de encontrar um alguém, aos que sonham com a felicidade. Aos que lutam por ela. Felicidade também para os casados que não permitiram que a rotina, que as dificuldades da convivência pudessem alterar o amor que sentiam antes. Que mantêm a chama do amor desde o primeiro dia que se conheceram.

Enfim, parabéns a toda humanidade que precisa mais fazer amor, ter amor, construir amor.

Confira alguns poemas que se encaixam perfeitamente (nos braços e abraços) daqueles que se amam:

Fotos grátis de Cidade

Pensando em Você

Quando penso em você me sinto flutuar, me sinto alcançar as nuvens, tocar as estrelas, morar no céu… Tento apenas superar a imensa saudade que me arrasa o coração, mas, que vem junto com as doces lembranças do teu ser. Lembrando dos momentos em que juntos nosso amor se conjugava em uma só pessoa, nós… É através desse tal sentimento, a saudade, que sobrevivo quando estou longe de você. Ela é o alimento do amor que encontra-se distante… A delicadeza de tuas palavras contrasta com a imensidão do teu sentimento. Meu ciúme se abranda com tuas juras e promessas de amor eterno. A longa distância apenas serve para unir o nosso amor. A saudade serve para me dar a absoluta certeza de que ficaremos para sempre unidos… E nesse momento de saudade, quando penso em você, quando tudo está machucando o meu coração e acho que não tenho mais forças para continuar; eis que surge tua doce presença, com o esplendor de um anjo; e me envolvendo como uma suave brisa aconchegante… Tudo isso acontece porque amo e penso em você…

Desconhecido

Nota: Embora o poema seja habitualmente atribuído a William Shakespeare, não existem evidências acerca da sua autoria.

_____________________________________________________

Fotos grátis de Carta

Bilhete Se tu me amas, ama-me baixinho Não o grites de cima dos telhados Deixa em paz os passarinhos Deixa em paz a mim! Se me queres, enfim, tem de ser bem devagarinho, Amada, que a vida é breve, e o amor mais breve ainda…

Mario Quintana , Poesia Completa. Rio de Janeiro: Nova Aguilar. 2005. p. 474.

_____________________________________________________

poema de leandro flores vamos espalhar o amor notícias boas mensagem pensamento compartilhar poeta

Vamos encher este mundo de amor

Vamos esvaziar todo estoque de mau humor,

De ódio, de falta de esperança, de azar, de pessimismo;

Vamos sabotar a mentira, o preconceito, o racismo,

A falta de empatia, o egoísmo;

Vamos abastecer os olhos de poesia,

O coração de melodia, o ar de alegria…

Vamos transmitir somente os bons sentimentos,

As boas notícias, o que realmente faz sentido;

Fazer de nosso jeito;

Espalhar o amor,

Viver as nossas diferenças

E respeitar o que não nos diz respeito.

Vamos, todos juntos, fazer diferente,

Reconstruir dessas ruínas da fatalidade,

Um mundo sem o instinto primitivo da maldade;

Agora é hora,

O universo nos dá uma nova chance

De viver com dignidade

Para construir um futuro diferente,

Sem olhar os erros do presente

E reconstruir uma nova realidade.

Leandro Flores

 

_____________________________________________________

Fotos grátis de Pessoas

Todas as vezes que te vi, nesses últimos quatro ou cinco anos, eu sempre me apaixonei por você.

Eu sempre estive pronta pra começar algo, pra tomar um café de verdade, pra passear de mãos dadas no claro, pra poder te apresentar ao sol sem receber mensagens de gente louca ou olhares curiosos, pra escutar uma piada nova.

E você sempre ignorou esse fato, seguindo seu caminho que sempre é interrompido pelo vazio da sua camiseta fedendo a churrasco.

Eu nunca vou entender. Eu nunca vou saber porque a vida é assim.

Eu nunca vou entender porque a gente continua voltando pra casa querendo ser de alguém, ainda que a gente esteja um ao lado do outro.

Eu nunca vou entender porque você é exatamente o que eu quero, eu sou exatamente o que você quer, mas as nossas exatidões não funcionam numa conta de mais.

Eu só sei que agora eu vou tomar um banho, vou esfregar a bucha o mais forte possível na minha pele e vou me dizer pela milésima vez que essa foi a última vez que vou ficar sem entender nada.

Mas aí, daqui uns dias, igual faz há uns cinco ou seis anos, você vai me ligar.

Querendo pegar aquele cineminha, querendo me esconder como sempre, querendo me amar só enquanto você pode vulgarizar esse amor.

Me querendo no escuro. E eu vou topar.

Não porque seja uma idiota, não me dê valor ou não tenha nada melhor pra fazer.

Apenas porque você me lembra o mistério da vida.

Simplesmente porque é assim que a gente faz com a nossa própria existência: não entendemos nada, mas continuamos insistindo.

 

 

Tô com vontade de uma coisa que eu não sei o que é: Contos e crônicas

Tati Bernardi.

_____________________________________________________

Quero ser tua, quero que você seja meu.

Quero poder sempre te amar e ouvir o quanto sou amada,

quero poder acordar com você me enchendo de beijo ou simplesmente

acordar pra ver o quanto é lindo você dormindo.

Mas do meu lado, eu quero você do meu lado. Será que ninguém entende?

Tudo bem, tem até uns carinhas legais me procurando por aí,

mas nenhum deles sequer tem a capacidade de se parecer um pouquinho com você.

Nenhum deles lembra seu jeito doce de encarar a vida e de me acalmar.

Nenhum deles me faz rir como você faz.

Agora vocês me entendem? Agora sabem porque eu choro?

Porque não quero que passe.

Eu quero poder acreditar que aquela sua jura de amor eterno é verdadeira.

Desconhecido

Nota: Embora o poema seja habitualmente atribuído a Caio Fernando Abreu, não existem evidências acerca da sua autoria.

_____________________________________________________

Fonte: NS Publicações

 

*E aí, você gostou deste artigo? Pode curtir, compartilhar, comentar, reproduzir em suas plataformas. Só não esqueça de citar a fonte, está bem?

Leandro Flores – Café com Poemas e Aroma de Mulher

Aquele cheiro gostoso, natural
Vindo da cozinha, todas as manhãs…

Algo divino
E tão intuitivo

Ela de avental,
Preparando a mesa…

As xícaras, o bule, o café
O sonho e o pão…

Teus cheiros, teus gostos, tua cor
Tua boca, teus sabores, teus amores

Tudo isso é você, mulher
Minha inspiração em versos e prosa

Um bule cheio de emoção
É o meu coração em ebulição ao falar de ti…

Leandro Flores

Leandro Flores é empossado como Membro Correspondente da Academia de Letras e Artes de Feira de Santana/BA

Leandro Flores, advogado, Jornalista, Sertanista, Poeta, Escritor, Editor de Livros (confira a bibliografia completa aqui) foi empossado como Membro Correspondente da Academia de Letras e Artes de Feira de Santana/BA.

O evento aconteceu no último dia 14 de março em Feira de Santana, durante “Abertura do Ano Acadêmico/2022”, da Academia Feirense. Leandro infelizmente não pode comparecer, mas a sua madrinha, a quem o indicou, Neuza de Brito Carneiro, recebeu o diploma em seu lugar.

“Eu fiquei muito honrado pela indicação da confreira Neusa, que além de amiga, é uma poeta que já participou de alguns projetos nossos. Portanto, uma parceira! Em relação à Academia, só posso agradecer pelo acolhimento, pela indicação e homenagem. É uma coroação, um reconhecimento pelos trabalhos que a gente faz, eu sei, mas eu nunca busquei isso. Nunca fiz nenhum esforço nesse sentido. Mas, pude perceber que a proposta da Academia de Letras e Artes de Feira de Santana é diferente das demais. E, através da indicação da confreira Neuza, tive esse acolhimento.  Portanto, aceito com muito grado, ser um membro correspondente da augusta academia, com a promessa de sempre honrar esse título. ” –  Afirmou Leandro.

Leandro foi indicado ainda em 2020, mas em razão da pandemia, a sessão de nomeação foi suspensa, dois anos depois, aconteceu o primeiro encontro presencial. O próximo será em 2023.

Foram nomeados ainda, como membros efetivos, Jaíde Santana de Siquera e Claudia dos Santos Gomes, e como membros correspondentes, além de Leandro, Marcelo de Oliveira Souza.

Houve também na programação, Lançamento de livros e antologias, Exposição “Figuras populares” (Luciano dos Anjos), recital poético e show musical – voz e violão – com Geni Van.

 

Confira algumas fotos:

 

Veja o video da entrega simbólica:

 

 

Fonte: blog Movimento Cultivista

Leandro Flores relembra suas atividades literárias dos últimos 5 anos

Como forma de organizar e fazer um balanço das principais atividades realizadas por mim, Leandro Flores, em 2014, 2015 e 2016 eu listrei alguns acontecimentos (os principais) no campo da literatura, nos quais, foram de fundamental importância para que outros projetos acontecessem, além de registrar todos os acontecimentos (e foram muitos) ao longo desses anos.

Porém, nos últimos cinco anos, infelizmente, por conta das minhas atividades acadêmicas, uma dose exagerada de preguiça (risos) e alguns afazeres no campo profissional, acabei que deixando este projeto de lado, uma pena porque, com isso, muita coisa acaba se perdendo, seja porque não registramos, seja porque não lembramos a data dos eventos ou atividades.

Eu acho importante registrar, organizar em um só canto, mesmo que de forma simplificada, para título de lembrança, pesquisa no futuro, resgate de algumas ideias, enfim… vou ver se consigo fazer isso, a cada final de ano e publicando em algum lugar.

No mais, gostaria de desejar um feliz 2022 a vocês. Sei que esses últimos tempos não foram fáceis, devido essa danação toda no mundo, principalmente os dois últimos anos por causa da COVID/19… Mas, vamos torcer para que a própria vida nos possibilite a mudança de página, de fase, de clima… e que o tempo bom, finalmente, aconteça.

Um grande abraço e sucesso em sua vida.

Vamos de então de retrospectiva!

Lembranças:

________________________________________________________

 

08 DE MAIO DE 2017

“O Caso dos Exploradores de Caverna” – Juri simulado. Realizado pelo 1º ano da turma de Direito, com a orientação do Professor Mauricio Souza;

 

12 DE AGOSTO DE 2017

Lançamento do livro “Antologia Poética Café com Poemas“, Vol.: 1, Série Novos Sabores, realizado no Museu Tempostal Bahia, durante o circuito da Festa Literária Internacional do Pelourinho (Flipelô), no Museu Tempostal em Salvador/BA.

 

21 A 23 DE JULHO DE 2017

Participação como poeta convidado do IV CONGRESSO DA ADUNEB – Atividade cultural – Poetas e voz e violão, no Campus I na Uneb, em Salvador/BA. Com o tema: “Universidade pública e a crise brasileira”;

 

28 DE OUTUBRO DE 2017

Participação como convidado da Sessão Solene em Comemoração do 18º Aniversário da Academia Nevense de Letras, Ciências e Arte – Anelca;

 

– 09 DE NOVEMBRO DE 2017 –

Apresentação poética na UNIVERSO – Universidade Salgado de Oliveira. Leandro Flores e Jose Abbade. Poesia, música e Direito;

 

22 DE NOVEMBRO DE 2017

Realização do Projeto Árvores Poéticas – Devolvendo Poesia à natureza (Movimento Café com Poemas). Colégio Estadual Pinto de Aguiar, Mussurunga I, Salvador/BA;

22/03 ATÉ 15/05 DE 2018

Lançamento do II Concurso Nacional de Poesia – Prêmio de Literatura Café com Poemas;

 

19 DE MARÇO DE 2018

I ENCONTRO REGIONAL DE POETAS (comemoração de uma década de literatura), lançamento da Antologia Poética Café com Poemas, vol. I, Biblioteca Pública David Apôlonio da Silva, na cidade de CORDEIROS/BA;

 

14 DE MAIO DE 2018

I Roda de Poesia do Movimento (ao Cultivismo) Café com Poemas – VERMELHO – Restaurante e Café, localizado na BAÍA DE TODOS OS SANTOS, Edifício Castro Alves, com participação de poetas de Condeúba/BA e Salvador/BA;

 

02 DE JUNHO DE 2018

Recebimento da Comenda “PERSONALIDADE DAS AMERICAS GRÃ MERITO 2018 – Confederação das Américas”

10 A 20 DE AGOSTO DE 2018 –

Participação da ”FLI-BH – Festival Literário Internacional de Belo Horizonte, com o livro Antologia Poética Café com Poemas – Volume 2.

 

01 DE AGOSTO DE 2018 –

Bate-papo com os alunos do Colégio Adelmário Pinheiro, no povoado da Feirinha, município de Condeúba-BA.

11 DE AGOSTO DE 2018

Sarau do CEPA – Círculo de Estudo Pensamento e Ação (CEPA) – CANTINA DA LUA –  PELORINHO, SALVADOR-BA;

 

19 DE SETEMBRO DE 2018

Palestra “Saboreando Poesia! ”, no Colégio Pinto de Aguiar (Salvador-BA), – Falando sobre o Movimento Cultivista Café com Poemas;

 

31 DE DEZEMBRO DE 2018

Composição do cordel da retrospectiva e lançamento no canal “Flores na TV”…

10 DE MAIO DE 2019 – 

Noite Cultural em Condeúba/BA – Lançamento da Antologia Café com poemas;

19 DE JUNHO DE 2019

Apresentação do livro Café com Poemas em Salvador/BA;

 

– 09 DE SETEMBRO DE 2019 –

Momentos poéticos na Universidade Salgado de Oliveira, ao lado do professor e poeta Marcus Vinícius;

 

FEVEREIRO DE 2020

Participação na II Noite cultural em Condeúba/BA;

17 DE MARÇO DE 2020

Indicação para a Academia de Letras e Artes de Feira de Santana, na qualidade de membro Benemérito;

 

17 DE MAIO DE 2020

Lançamento do 1º Sarau Virtual do Movimento Cultivista Café com Poemas;

 

22 A 29 DE NOVEMBRO DE 2020

Lançamento da 1ª #SEMANANSBOOK, da Editora Novos Sabores Publicações;

 

FEVEREIRO DE 2021

Lançamento do Projeto de “Podcast’s” no site www.cafecompoemas.com, bate-papo, entrevistas, etc;

 

22 A 29 DE NOVEMBRO DE – 2021

Segunda Edição da #SEMANANSBOOK, realizada pela Editora Novos Sabores Publicações;

 

– 23/10/2020 a 05/01 de 2021 –

Lançamento da 3ª Ed. do Projeto Cartas e Depoimentos, tendo como tema: a experiência de cada participante com a quarentena em razão da COVID/19;

 

19 de agosto de 2021

– Lançamento virtual do livro “Quando o mundo acabou em 2020 – Cartas e Depoimentos na Quarentena”;

 

*Houve outros eventos, sobretudo em projetos que não foram de minha autoria direta, mas que podem ser encontrados através das minhas redes sociais (Instagram: @leandroflores.poeta, facebook.com/leandrofloresba, etc). Projetos pessoais, que não tiveram ligação com a literatura não foram listados!

Minha biografia: https://cafecompoemas.com/leandro-flores-biografia/

Alunos da escola Municipal Zenália Dourado

Trabalho realizado com os professores: Érica Dourado, Célia Lopes, Joelson e Alysson da Escola Municipal Zenália Dourado Lopes (Lapão-Bahia), sobre Consciência Negra.
Autor do poema: Leandro Flores
Assista ao vídeo no canal Café com Flores

Literatura em Guarulhos-SP: Programa Agentes de Leitura

Visitar recordações, lembranças pessoais e trabalhar com a criação da memória coletiva. Dentre as ações de fomento à leitura desenvolvidas por Danielle Carvalho da Silva Santos, jovem de 22 anos, bolsista do Programa Agentes de Leitura, estão as oficinas realizadas pelo Projeto Girassol, coletivo formado por mulheres em 2018 no bairro Vila Carmela, região de Bonsucesso, onde ela mora com seus pais.

O programa Agentes de Leitura é uma iniciativa da Secretaria Especial de Cultura do Governo Federal, em parceria com a Prefeitura de Guarulhos e a Secretaria de Cultura, que prevê a concessão de bolsas de complementação de renda a jovens com residência fixa no município.

Durante a primeira oficina, realizada no mês passado, Danielle abordou o tema Memórias e utilizou como recurso um varal de poesias. “As participantes deveriam escolher um poema que remetesse à sua história; depois, em voz alta, fazer a leitura e compartilhar o porquê de sua escolha”, explicou a jovem.

Para esse encontro, do qual participaram 10 mulheres, Danielle selecionou os textos O Mal e o Sofrimento, de Leandro Gomes de Barros; Casamento, de Adélia Prado, Simplesmente Sertão, de Leandro Flores, Poema sem nome, de Patativa do Assaré, Brisa, de Manuel Bandeira, Consolo na Praia, de Carlos Drummond de Andrade, e Poemas para saudosistas, de Anna Lara Souza.

Danielle conheceu o Projeto Girassol através de sua mãe, que também frequenta as oficinas oferecidas pelo espaço. Para além da possibilidade de inserir a leitura em um contexto de empoderamento feminino, a jovem observou a iniciativa como uma oportunidade de trabalho com atividades de fomento ao livro, à leitura e à literatura.

“Tem sido incrível, me colocou em contato de pessoas próximas, estamos trocando experiências. Sempre soube que a leitura era importante, mas não sabia que, em meio a um processo de aprendizagem, que ela podia ser verdadeiramente transformadora, pois essas atividades chegam mais rápido às pessoas”.

Fomentando a leitura em mim

Unir sua experiência da leitura com o teatro também tem sido, segundo a jovem, incrível. Danielle está no último semestre do curso de bacharel e licenciatura em Artes Cênicas da Faculdade Anhembi Morumbi.

Ela estudou nas oficinas do Teatro na Comunidade no Centro Municipal de Educação Adamastor e participou de criações bem interessantes que o grupo espalhou pela cidade durante o período de atuação, dentre elas a Mostra Teatro na Comunidade com o espetáculo Mundo Perfeito. É integrante da Cia Unó e atua como auxiliar de direção musical, coreografa e atriz no espetáculo Rubro. Danielle também é professora de Artes da rede estadual.

A jovem conta que decidiu participar do Programa Agentes de Leitura porque sempre quis se dedicar a atividades que pudessem transformar a sociedade.

“Meu intuito com as oficinas do Projeto Girassol é valorizar as histórias e vivências que essas mulheres possuem, entender o quanto elas são fortes e presentes na sociedade, muitas das quais já têm idade avançada, vieram da região nordeste do país, trabalham ou não, outras trabalham em casa, mas não têm esse trabalho reconhecido”.

O sucesso da primeira oficina com as participantes do Projeto Girassol foi tão grande que a segunda oficina, realizada no último dia 29, contou com um número ainda maior de mulheres. Danielle propôs o tema Estima, com um trabalho com a autoimagem, o cuidado, o elogio à outra e a si mesmo, com textos motivacionais e reflexivos ditos umas para as outras.

“Esse trabalho de transformação é diário, em cada atividade que faço, o texto que escolho, tudo causa um impacto nas pessoas que saem do encontro transformadas. Por isso as atividades têm uma característica sensível, para que as mulheres possam olhar para si, e o teatro ajuda nesses momentos de improvisação, as leituras fluidas encontram sentido naquilo que tem sido proposto”.

Projeto Girassol

As oficinas do Projeto Girassol acontecem quinzenalmente, às segundas-feiras, e têm como objetivo oferecer suporte, prestar atendimento e promover encontros sobre temáticas como empoderamento, autoestima e outras demandas do universo feminino.

“O trabalho da Dani no Girassol é muito especial e veio para somar com o projeto. Ela tem muito respeito pelo próximo e grande entusiasmo pelo que faz. O resultado desse trabalho com as meninas é bastante positivo, elas se envolvem com o encontro, com as leituras dos textos, dos poemas, se identificam com as situações, partilham e comentam, tudo acaba sendo uma rica troca de experiências entre todas nós”, conta Mauricélia Ventura da Silva, conhecida como Célia, de 53 anos, uma das idealizadoras do projeto.

Temáticas pertinentes à igualdade feminina, saúde e prevenção de doenças, delegacias especializadas, apoio psicológico, violência psicológica, moral ou sexual, homofobia, família, direitos humanos, direcionamento a outros profissionais quando necessário. Silvana Testa, cofundadora do projeto e psicóloga, conta que a equipe também se dedica a campanhas de arrecadação de alimentos, rodas de conversas, palestras, dinâmicas e aulas de violão.

“O projeto surgiu em parceria com a Célia. Antes de estarmos no nosso espaço, uma das participantes ofereceu sua casa para que as oficinas começassem a acontecer e, desde então, realizamos esses encontros quinzenalmente, sempre às 19h30”, explica Silvana, enfatizando que o grande sonho da equipe é ampliar o atendimento do projeto para outros públicos, além do feminino.

Além de Silvana e Célia, a equipe do projeto também é composta pela social media Nayuri Seyfarth e a psicóloga Camila Santos.

Apontando para o futuro, Danielle acredita que também deveria haver um projeto de cravos, um encontro de homens, que também precisam aprender a ouvir e juntos tentar lidar com um comportamento masculino estrutural, que é passado de geração para geração.

“Às vezes, as mudanças vão acontecer de pouquinho em pouquinho, e eu acho que é exatamente isso que o Projeto Girassol faz. Quando a gente junta essas mulheres e conversa sobre violência doméstica, que elas não podem aceitar essa situação, quando falamos sobre a questão da mulher no mercado de trabalho, ou de depressão, cuidado consigo mesma, isso desperta uma força nessa mulher, e se conseguirmos uma sociedade com mulheres mais fortes, que reconhecem o seu valor, a gente automaticamente incentiva uma sociedade mais igualitária, porque elas deixam de aceitar situações de violência”.

 

Para saber mais sobre o Projeto Girassol, acompanhe suas redes sociais no

Facebook (https://www.facebook.com/Projetogirassolong/) e

Instagram (https://instagram.com/girassol_project?utm_medium=copy_link).

 

Fonte: Portal Educação – Guarulhos

Dia do Nordestino: 13 Poemas que homenageiam o nordeste e suas diferentes culturas

8.5kviews

Dia do Nordestino é comemorado anualmente em 8 de outubro, no Brasil.

Esta data homenageia a cultura nordestina e a diversidade folclórica típica da região Nordeste do Brasil. O povo nordestino é um grande tesouro da cultura nacional, um dos maiores traços da identidade do Brasil.

O Nordeste brasileiro é conhecido pelas belíssimas paisagens naturais, culinária, artesanatos, musicalidade e danças que atraem turistas do mundo todo.

Os 9 estados que compõem o Nordeste são: Maranhão, Alagoas, Bahia, Ceará, Piauí, Paraíba, Pernambuco, Rio Grande do Norte e Sergipe.

A criação desta data é uma homenagem ao centenário do poeta popular, compositor e cantor cearense Antônio Gonçalves da Silva, conhecido como Patativa do Assaré (1909 – 2002).

O Dia do Nordestino foi oficializado com a lei nº 14.952, de 13 de julho de 2009, na cidade de São Paulo, região com a maior concentração de nordestino em todo o país (com exceção do próprio Nordeste, obviamente).

Para homenagear essa data tão importante, trouxemos 13 poemas de diferentes poetas nordestinos (clássicos e contemporâneaos) que irão traduzir um pouco a representatividade desse povo tão especial na cultura brasileira e para o mundo.

Confira:

Brisa

Vamos viver no Nordeste, Anarina.
Deixarei aqui meus amigos, meus livros, minhas riquezas, minha vergonha.
Deixaras aqui tua filha, tua avó, teu marido, teu amante.

Aqui faz muito calor.
No Nordeste faz calor também.
Mas lá tem brisa:
Vamos viver de brisa, Anarina.

Manuel Bandeira

 

***

Poema: Tenho visto Deus aqui no sertão

***

 

Sodade do meu pedacim de chão

Tem tempo que larguei minha rocinha
e vim pará neste lugá
aqui trabaio noite e dia
num paro nem pra discansá

deixei minino, muié, gado, roçado
priquito e tudo quanto há
a seca foi bitela
a prantação num chegô nem a brotá

vô picá é a mula daqui
num tem como ficá mair não
a sodade já tá ardendo o peito
virô até judiação

vô é pros braços da minha véia
vô dengá os meus fiím
vô vortá pra minha terra
sê filiz do meu jeitim

vô pulá na inchorrada
quando a chuva aparicê
vô chamá de macambira
quem dizê que eu tô perê

vô butá a minha roça
tombá, prantá e esperá crescê
como fiz nos zotros zanos
sem ninguém pra esmurecê

a minha terra é trabiceiro
onde eu faço o meu labô
bom dimais mexê cum terra
vida lá é bela como uma frô

a tarde o sóu se ispriguiça
e a noite toma o seu lugá
vagalume é bicho sorto
passa logo a lumiá

quando é noite de lua cheia
aí que a coisa fica boa
vô pro terreiro cus meninos e a muié
ouvi modinha e ficá à toa…

é muito bom o meu sertão
é por isso que vô me picá
aqui num tem sossego não
só o peso do patuá

cidade grande tem imprego
gente fina e agitação
mas prum matuto, feito eu
mió mermo é seu pedacim de chão.

Leandro Flores
03/09/2015

***

Ser Nordestino

Sou o gibão do vaqueiro, sou cuscuz sou rapadura
Sou vida difícil e dura
Sou nordeste brasileiro
Sou cantador violeiro, sou alegria ao chover
Sou doutor sem saber ler, sou rico sem ser granfino
Quanto mais sou nordestino, mais tenho orgulho de ser
Da minha cabeça chata, do meu sotaque arrastado
Do nosso solo rachado, dessa gente maltratada
Quase sempre injustiçada, acostumada a sofrer
Mais mesmo nesse padecer eu sou feliz desde menino
Quanto mais sou nordestino, mais orgulho tenho de ser

Terra de cultura viva, Chico Anísio, Gonzagão de Renato Aragão
Ariano e patativa. Gente boa, criativa
Isso só me dá prazer e hoje mais uma vez eu quero dizer
Muito obrigado ao destino, quanto mais sou nordestino
Mais tenho orgulho de ser

Bráulio Bessa

 

***

Exaltação ao Nordeste

Eita,Nordeste da peste,
Mesmo com toda sêca
Abandono e solidão,
Talvez pouca gente perceba
Que teu mapa aproximado
Tem forma de coração.
E se dizem que temos pobreza
E atribuem à natureza,
Contra isso,eu digo não.
Na verdade temos fartura
Do petróleo ao algodão.
Isso prova que temos riqueza
Embaixo e em cima do chão.
Procure por aí a fora
“Cabra” que acorda antes da aurora
E da enxada lança mão.
Procure mulher com dez filhos
Que quando a palma não alimenta
Bebem leite de jumenta
E nenhum dá pra ladrão
Procure por aí a fora
Quem melhor que a gente canta,
Quem melhor que a gente dança
Xote,xaxado e baião.
Procure no mundo uma cidade
Com a beleza e a claridade
Do luar do meu sertão.

Luiz Gonzaga de Moura

***

Sendo eu um aprendiz

Sendo eu, um aprendiz
A vida já me ensinou que besta
É quem vive triste
Lembrando o que faltou

Magoando a cicatriz
E esquece de ser feliz
Por tudo que conquistou

Afinal, nem toda lágrima é dor
Nem toda graça é sorriso
Nem toda curva da vida
Tem uma placa de aviso
E nem sempre o que você perde
É de fato um prejuízo

O meu ou o seu caminho
Não são muito diferentes
Tem espinho, pedra, buraco
Pra mode atrasar a gente

Mas não desanime por nada
Pois até uma topada
Empurra você pra frente

Tantas vezes parece que é o fim
Mas no fundo, é só um recomeço
Afinal, pra poder se levantar
É preciso sofrer algum tropeço

É a vida insistindo em nos cobrar
Uma conta difícil de pagar
Quase sempre, por ter um alto preço

Acredite no poder da palavra desistir
Tire o D, coloque o R
Que você tem Resistir

Uma pequena mudança
Às vezes traz esperança
E faz a gente seguir

Continue sendo forte
Tenha fé no Criador
Fé também em você mesmo
Não tenha medo da dor

Siga em frente a caminhada
E saiba que a cruz mais pesada
O filho de Deus carregou

Bráulio Bessa

 

***

Simplesmente Sertão…

Ser tão belo,
Ser tão maravilhoso,
Ser tão grande,
Ser tão gostoso.

Ser tão meu,
Ser tão seu,
Ser tão dela,
Ser tão fera.

Ser tão cruel,
Ser tão distante,
Ser tão gigante.

Ser tão calado,
Ser tão apaixonado,
Ser tão… Simplesmente sertão!

Leandro Flores

 

***

Sertão, argúem te cantô,
Eu sempre tenho cantado
E ainda cantando tô,
Pruquê, meu torrão amado,
Munto te prezo, te quero
E vejo qui os teus mistéro
Ninguém sabe decifrá.
A tua beleza é tanta,
Qui o poeta canta, canta,
E inda fica o qui cantá.

(De EU E O SERTÃO – Cante lá que eu canto Cá – Filosofia de um trovador nordestino – Ed.Vozes, Petrópolis, 1982)

Patativa do Assaré

 

***

 

Meus versos é como semente
Que nasce arriba do chão;
Não tenho estudo nem arte,
A minha rima faz parte
Das obras da criação

Patativa do Assaré

 

***

Sertão versos

Tenho prazer de falar.
Da minha terra fiel.
Arte, Cultura, Cordel.
O verde, a flor de açucena.
Nos braços dessa morena.
Me briagar de paixão.
Nas festas de são João.
Festejar com alegria.
Sou forró e poesia.
Sou caboclo do sertão…

Autor: Rogério Dantas
Caicó- RN- 16/07/ 2013

 

***

Sou nordestino!

Sou do sertão terra quente
que é bem difícil chover
nasci de um povo valente
acostumado a sofrer
sou nordestino oxente
e tenho orgulho de ser

Guibson Medeiros

 

***

“Minha alma triste suspira
em deslumbrante desejo,
ausente da minha terra,
há tempos que não a vejo.
são suspiros arrancados
do peito de um sertanejo.”

***

Brasi Caboco

O qui é Brasí Caboco?
É um Brasi diferente
do Brasí das capitá.
É um Brasi brasilêro,
sem mistura de instrangero,
um Brasi nacioná!

É o Brasi qui não veste
liforme de gazimira,
camisa de peito duro,
com butuadura de ouro…
Brasi caboco só veste,
camisa grossa de lista,
carça de brim da “polista”
gibão e chapéu de coro!

Zé da Luz

***

Depois da “festa” quem é
Que vai se lembrar de junho?
Defender a Natureza
Pra mim não será rascunho
E sim a arte final
A nível universal
Quem falhar eu testemunho…

Raimundo Santa Helena

***

Se eu conversasse com Deus
Iria lhe perguntar:
Por que é que sofremos tanto
Quando viemos pra cá?
Que dívida é essa
Que a gente tem que morrer pra pagar?

Perguntaria também
Como é que ele é feito
Que não dorme, que não come
E assim vive satisfeito.
Por que foi que ele não fez
A gente do mesmo jeito?

Por que existem uns felizes
E outros que sofrem tanto?
Nascemos do mesmo jeito,
Moramos no mesmo canto.
Quem foi temperar o choro
E acabou salgando o pranto?

Leandro Gomes de Barros

 

Fonte do texto: Calendarr.com

Fonte de pesquisa: Pensador.com 

Créditos das fotos: Pesquisa livre

 

 

“Ela não aguenta mais esse rótulo de heroína: ela só quer ter paz”

Poema de Leandro Flores que faz uma homenagem à mulher e todas as suas fases e datas.

Confira abaixo o poema:

Ela gosta sim de flores, gosta de carinho, de um mimo; de ter um dia só para ela, de se sentir importante, amada…
Gosta das mensagens que recebe no Whatsapp. Dos posts lindos que encontra no Facebook. Dos poemas e homenagens feitos pelos poetas. Tudo isso é bom. Mas o que ela mais valoriza de fato são as atitudes diárias. O respeito por parte de quem lhe diz palavras bonitas em seu aniversário ou em datas como agora no dia das mães. Ela quer ser valorizada como mulher. Como alguém que também precisa ser percebida, admirada, levada para certos lugares. Quer ter o direito de não se sentir forte o tempo todo, sair um pouco da realidade. Da condição inevitável de ser a alavanca, coluna principal do mundo. Ela não aguenta mais esse rótulo de heroína. De super mulher. De ter de ser forte em tudo e com todos. Ela só quer alguém para dividir o peso de tudo aquilo que carrega. Quer brincar com os filhos até cansar. Sorrir escandalosamente feliz ao lado de alguém, sem essas preocupações de tudo.
Ela quer ter paz, momentos de diversão com as amigas. Chorar, às vezes, quando preciso e ser resgatada, acalentada, compreendida…

É claro que ela ama ser mãe, mas ama também ser mulher.
E ambas as condições se completam em uma só vontade: de ser apenas ela mesma, como mãe e como mulher. Sem rótulos e sem paradoxos.

 

Veja o vídeo:

 

 

 

 

Autor

Leandro Flores é fundador e produtor dos Projetos ligados ao Café com Poemas.

 

Jornalista, Sertanista, Comendador, Poeta, Editor de Livros e Revistas e Designer Gráfico. Leandro é autor dos livros “Sorriso de Pedra – A outra face de um Poeta” e “Portfólio: Traços e Conceitos”. É membro-fundador da Academia de Letras do Sertão Cultivista, membro da CAPPAZ – Confraria Artistas e Poetas pela Paz, além de outras instituições Acadêmicas pelo país. Também é Coordenador e Idealizador do Movimento Cultivista Brasileiro e do Projeto Cartas e Depoimentos. Já fez participações em dezenas de antologias poéticas, além de ORGANIZAR e AUXILIAR outras publicações. Leia mais…