Categoria Editorial

Editorial: A nossa página “Café com Poemas” bateu mais de 10.000 mil inscritos, gratidão!

O conteúdo que oferecemos é gratuito, pensado com muito amor e compromisso com vocês, leitores e parceiros de nossa página. 

Neste mês de junho de 2020, a nossa página, atingiu um público de mais de 10.000 mil inscritos! A meta era um desejo nosso, quando no começo deste ano, lançamos a campanha:Convide seus amigos a curtirem a nossa página e ganhe brindes. A peça publicitária foi um sucesso. Saímos da marca de 1.932 mil inscritos para mais de 10 mil, em pouco mais de 5 meses. Evidente, que não adotamos apenas esse método de “chamar amigos para curtirem”.

Tivemos também que recauchutar os conteúdos, interagir mais com o nosso público, conhecer o processo de interesse de publicações, presente nas redes sociais (o que as pessoas gostam de curtir e compartilhar), além de impulsionar uma ou duas vezes alguns conteúdos.

O Processo de impulsionamento, sinceramente, foi um dos que renderam menos resultados, (até porque não foi o foco da campanha). Mas, o resultado, finalmente, foi alcançado e agora caminhamos para atingirmos mais resultados, de maneira que o projeto seja cada vez mais conhecido e apreciado. E que a página atinja de maneira substancial o seu objetivo: que é levar conteúdos novos,  interessantes, significativos.

Que a poesia, então, seja cada vez mais o elo de ligação entre o entretenimento, a inspiração, as boas notícias e conteúdos interativos, com respeito, sobretudo, àqueles que despertaram o interesse de curtir e saborear “Café com Poemas”.

O nosso projeto conta com a plataforma de publicações que envolve, perfil no instagram, página no Facebook e o site. Além de editoração de livros, projetos particulares e sociais como o Movimento Cultivista Brasileiro (presente em algumas cidades na Bahia e outros estados), Projetos Cartas e Depoimentos, entre outros. 

Nós do Café com Poemas, agradecemos, a cada curtida, compartilhamento e leitura em nosso site e página. O conteúdo que oferecemos é gratuito, pensado com muito amor e compromisso com vocês, leitores e parceiros. 

Caso você tenha, alguma sugestão ou critica que leve ao melhoramento da ideia, ou que queira enviar-nos algum conteúdo de sua autoria ou de terceiros que seja interessante ao site,  favor entrar em contato através do e-mail: [email protected] ou aqui, através deste LINK (Envie seu texto).

No mais, só agradecer e pedir que continuem nos apoiando e se possível, convide e indique o nosso projeto. 

Um grande abraço,

Equipe_CP

 

Editorial – Sobre a postagem “Você conhece a “árvore da vida” que fiz recentemente…

Olá, me chamo Leandro Flores e sou editor deste site, além de idealizador do projeto Café com Poemas. Recentemente, fiz uma pesquisa sobre os benefícios da Moringa e achei interessante postar aqui no site.

Verifiquei então que o consumo desse tipo de remédio, atribuído a essa planta (popularmente conhecida como Moringa) não foi liberado pela Anvisa e, portanto, caberia uma cautela, em relação, ao uso para efeitos medicinais.

Agora vai uma experiência pessoal sobre o tema! Eu sou um consumidor do chá de moringa, tenho familiares, amigos que tomam também e, até o presente momento, nunca apresentei/apresentaram efeitos negativos que não sejam o esperado. Pelo contrário, tenho experiência positiva de pessoas que têm diabetes, e que, ao tomar o chá, o nível de açúcar no sangue, diminuir. Posso trazer aqui, dezenas de outros casos, de pessoas que têm feito uso desse tipo de “remédio caseiro milenar” e nunca terem apresentado se quer, um resultado negativo.

Evidentemente, como a própria postagem diz, ” existem poucos estudos que comprovem todos seus benefícios e que descrevem as doses mínimas, assim como sua segurança para uso humano.” O ideal, de acordo com a própria recomendação dos especialistas é que ” pessoas que tenham por hábito o uso dessa planta, e não desejem interromper seu uso, devem consumir apenas 2 xícaras, ou 500 mL, deste chá por dia, pois são quantidades que não parecem apresentar risco para a saúde.”

Então, não é o uso da planta e sim, a quantidade que é o objeto da questão.

Sobre a Anvisa proibir, essa mesma instituição já proibiu “gel de arnica, sebo de carneiro e creme Doutorzinho“. Agora eu pergunto: (tudo bem, que foi para outros fins), mas qual o risco que esse tipo de produto pode acarretar para as pessoas?

Fica o questionamento.

Quanto a Moringa, fica também o registro da experiência pessoal de alguém que não tem nenhum interesse, a não ser no sentido de contribuir para a divulgação e o compartilhamento de notícias significativas, que trazem benefícios na vida das pessoas, ao invés de coisas sem sentido, supérfluas, ou que produzem ódio e enganação.