Categoria Boas Notícias

Editorial: A nossa página “Café com Poemas” bateu mais de 10.000 mil inscritos, gratidão!

476views

Neste mês de junho de 2020, a nossa página, atingiu um público de mais de 10.000 mil inscritos! A meta era um desejo nosso, quando no começo deste ano, lançamos a campanha:Convide seus amigos a curtirem a nossa página e ganhe brindes. A peça publicitária foi um sucesso. Saímos da marca de 1.932 mil inscritos para mais de 10 mil, em pouco mais de 5 meses. Evidente, que não adotamos apenas esse método de “chamar amigos para curtirem”.

Tivemos também que recauchutar os conteúdos, interagir mais com o nosso público, conhecer o processo de interesse de publicações, presente nas redes sociais (o que as pessoas gostam de curtir e compartilhar), além de impulsionar uma ou duas vezes alguns conteúdos.

O Processo de impulsionamento, sinceramente, foi um dos que renderam menos resultados, (até porque não foi o foco da campanha). Mas, o resultado, finalmente, foi alcançado e agora caminhamos para atingirmos mais resultados, de maneira que o projeto seja cada vez mais conhecido e apreciado. E que a página atinja de maneira substancial o seu objetivo: que é levar conteúdos novos,  interessantes, significativos.

Que a poesia, então, seja cada vez mais o elo de ligação entre o entretenimento, a inspiração, as boas notícias e conteúdos interativos, com respeito, sobretudo, àqueles que despertaram o interesse de curtir e saborear “Café com Poemas”.

O nosso projeto conta com a plataforma de publicações que envolve, perfil no instagram, página no Facebook e o site. Além de editoração de livros, projetos particulares e sociais como o Movimento Cultivista Brasileiro (presente em algumas cidades na Bahia e outros estados), Projetos Cartas e Depoimentos, entre outros. 

Nós do Café com Poemas, agradecemos, a cada curtida, compartilhamento e leitura em nosso site e página. O conteúdo que oferecemos é gratuito, pensado com muito amor e compromisso com vocês, leitores e parceiros. 

Caso você tenha, alguma sugestão ou critica que leve ao melhoramento da ideia, ou que queira enviar-nos algum conteúdo de sua autoria ou de terceiros que seja interessante ao site,  favor entrar em contato através do e-mail: cafecompoemas@gmail.com ou aqui, através deste LINK (Envie seu texto).

No mais, só agradecer e pedir que continuem nos apoiando e se possível, convide e indique o nosso projeto. 

Um grande abraço,

Equipe_CP

 

Supremo aprova súmula vinculante sobre imunidade tributária para livros eletrônicos

Em 2017, em uma decisão histórica para o mercado editorial, o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu equiparar os e-books e e-readers ao livro, garantindo a estes produtos a imunidade tributária, garantida pela Constituição Federal de 1988.

Em decisão unânime, o Plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) aprovou, em sessão virtual, a Proposta de Súmula Vinculante (PSV) 132, formulada pela Associação Brasileira das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação (Brasscom), para fixar que a imunidade tributária dada pela Constituição Federal a papel, jornais, livros e periódicos se aplica também a livros digitais e seus componentes importados.

A proposta da Brasscom teve por base a jurisprudência consolidada do STF no julgamento conjunto dos Recursos Extraordinários (REs) 330817 (Tema 593)  e 595676 (Tema 259), com repercussão geral, em março de 2017. Na ocasião, o Plenário entendeu que, nos termos do artigo 150, inciso VI, alínea “d”, da Constituição Federal, estão isentos de imposto livros, jornais, periódicos e papel destinado a sua impressão e que essa imunidade deve abranger os livros eletrônicos, os suportes exclusivos para leitura e armazenamento e os componentes eletrônicos que acompanhem material didático.

A redação aprovada para a Súmula Vinculante 57, nos termos do voto do relator, ministro Dias Toffoli, presidente do STF, foi a seguinte:

“A imunidade tributária constante do art. 150, VI, d, da CF/88 aplica-se à importação e comercialização, no mercado interno, do livro eletrônico (e-book) e dos suportes exclusivamente utilizados para fixá-los, como leitores de livros eletrônicos (e-readers), ainda que possuam funcionalidades acessórias”.

AR/AS//CF

 

Fonte: http://www.stf.jus.br/

Casinha de garrafa-pet que serve para abrigar cães do frio: saiba como fazer

1.5kviews

Existem muitos animais vivendo nas ruas e, com o inverno que vem chegando, eles passam frio e sofrem mais ainda!

Pensando nisso e buscando ajudar estes animais, alunos do grêmio estudantil da Escola Estadual Professora Judith Sant’Ana Diegues, na Ilha Comprida – São Paulo, resolveram confeccionar casinhas feitas de garrafas-pet para ajudar os animais abandonados ou de estimação dos moradores de rua.

A ideia é ótima porque reutiliza um lixo em abundância (as garrafas-pet) e ainda ajuda muitos animais de rua.

E, para quem quiser aderir à essa ideia, os estudantes compartilharam na internet o passo-a-passo da confecção das casinhas, para que mais e mais pessoas saibam fazer e possam ajudar os animais de rua!

 

CLIQUE AQUI PARA APRENDER A FAZER A CASINHA DE GARRAFA PET

 

Quem não pode adotar e quer fazer algo para ajudar os animais, essa é uma alternativa entre várias outras que existem. Veja outras maneiras de auxiliar os animais abandonados:

Essa iniciativa da casinha de cachorro feita de garrafa-pet é um gesto de amor e uma forma de aquecer os peludinhos que vivem nas ruas, e que tanto precisam de um cantinho para se aconchegar e se proteger!

 

Este artigo foi publicado originariamente no site- Greem Me.

Obs. Não conseguimos identificar a autoria das imagens 

 

500 mil kits, num total de 5 milhões de testes rápidos para coronavírus chegam ao Brasil

O primeiro lote com 500 mil kits de teste rápido para o coronavírus (Sars-CoV-2) chegou ao Aeroporto Internacional de Guarulhos nesta segunda-feira (30). Mais 4,5 milhões de unidades restantes serão entregues ao longo do mês de abril, de acordo com a Vale, que adquiriu os kits e os doará ao governo brasileiro, que cuidará da sua logística de distribuição no país.

O teste, produzido pela empresa chinesa Wondfo, possui registro na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e permite ter um resultado em apenas 15 minutos.

➤ Leia também:

Os kits foram transportados em 417 caixas, somando 6,3 toneladas, e embarcados no Aeroporto Internacional de Guangzhou Baiyun, na província chinesa de Guangdong, na madrugada de domingo (29).

A Vale também está comprando de fornecedores chineses equipamentos de proteção individual, como óculos, luvas e máscaras, para médicos e enfermeiros. O material também será encaminhado ao governo brasileiro. O valor do investimento não foi informado.

“A Vale oferece essa ajuda à sociedade brasileira em um momento em que o país se une pela saúde e segurança das pessoas. Estamos lançando mão da nossa rede de logística na Ásia para trazer ao Brasil insumos que poderão fazer a diferença na vida das pessoas”, afirmou, em nota, o presidente da Vale, Eduardo Bartolomeo.

Chega ao Brasil primeiro lote de kits de teste rápido para novo coronavírus — Foto: Vale/Divulgação

Outras grandes empresas brasileiras têm anunciado doações para ajudar no combate ao coronavírus. Entre as companhias e grupos que já se ofereceram recursos em espécie ou em insumos ou infraestrutura estão Itaú, Gerdau, Ambev, Lojas Renner, Petrobras, Vale, MRV, Diageo, Marfrig, Unilever, PSA Peugeot Citroën, General Motors, Volkswagen e Moura.

As informações são do Portal G1.

Obs. Não conseguimos identificar a autoria das imagens 

 

Boa Notícia – Mais de 127 mil pessoas foram curadas da Covid-19 até agora

No momento em que o número de mortos e infectados pelo novo coronavírus aumenta e países como Itália e Espanha avançam na contagem de seus mortos, cresce também outra estatística menos divulgada e bem mais alentadora: a dos curados. Em todo o mundo, pouco mais de 127 mil pessoas já se recuperaram da doença, segundo estudo da Universidade John Hopkins, dos Estados Unidos.

O resultado do trabalho corrobora informações da Organização Mundial de Saúde (OMS) de que 80% das pessoas contaminadas se recuperam apenas no tratamento, sem precisar de internação e uso do respirador (entre 5% e 6%).

➤ Leia também:

Os curados são homens e mulheres, jovens, adultos e idosos, que apresentaram sintomas variados, desde tosse e falta de ar até perda de olfato. Depois de um período de isolamento total, sem sair de casa – incluindo os mais novos -, eles relatam o prazer de voltar a executar atividades do dia a dia, como estar com os amigos e com a própria família. Alguns são enfáticos: para eles, o isolamento social continua sendo necessário mesmo depois da cura, para evitar que a pandemia avance assustadoramente como em outros países.

Daniela Teixeira, 48 anos, advogada, uma das pessoas que contraíram a Covid-19 e foram curadas.
Imagem: Reprodução

“O pior sintoma é o medo”, afirma a advogada e conselheira federal da OAB Daniela Teixeira, de 48 anos, que contraiu a Covid-19 na Conferência Nacional da Mulher Advogada, realizada no Ceará, em 5 e 6 de março. “Fui homenageada na conferência, mas não vale o risco e o desespero que passei depois. Tinha de ter ficado em casa.” Ela reforça a recomendação da OMS para que as pessoas não saiam de suas casas nesse momento.

Na terça-feira, Daniela recebeu o resultado de seu último teste e não está mais doente. A Secretaria de Saúde do Distrito Federal, onde mora, recomendou por precaução isolamento total até 31 de março. Depois, vida normal.

Com o aumento da demanda pelos testes de coronavírus, muitos infectados não chegam a fazer novo exame ao fim da quarentena. Segundo o Ministério da Saúde, a orientação para os que testam positivo é de respeitarem o período de 14 dias de isolamento. Depois, se não tiverem mais sintomas, já podem seguir as mesmas regras do restante da população.

Foi o caso da paulista Laísa Nardi, de 22 anos. Em fevereiro, depois de ter voltado de uma viagem por Itália e Espanha, ela começou a ter tosse, falta de ar e dor no corpo. “Achei que a dor fosse de carregar a mochila nas costas”, disse. Poucos dias depois de procurar atendimento médico, Laísa recebeu o resultado positivo do teste para o novo coronavírus. Ela ficou em isolamento com seu ex-namorado, com quem tinha entrado em contato depois da viagem, ao realizar sua mudança da casa dele.

“Fiquei de quarentena com o ex”, brincou. “No dia em que a minha quarentena acabou, andei 15 quilômetros no sol do meio-dia, sozinha, para ter certeza de que eu não estava mais trancada no meu quarto”, conta. Laísa já voltou a trabalhar.

O médico ortopedista Roberto Ranzini, de 54 anos, afirmou que quer se voluntariar para trabalhar em algum hospital de campanha depois de acabar sua quarentena. Ele atua no Hospital Israelita Albert Einstein, onde foi diagnosticado o primeiro caso da doença no País, e disse acreditar que possa ter contraído o vírus de algum paciente. Sem apresentar mais os sintomas iniciais que, para ele, incluíram letargia e diminuição do olfato, Ranzini continua seguindo o isolamento recomendado. “Temos de ter consciência da importância do isolamento, senão vai ter uma explosão de casos e o nosso sistema de saúde não vai aguentar.”

Embora ainda não existam estudos sobre o que acontece com pacientes depois que eles se curam, a esperança dele é a de que, no fim da quarentena, quando pretende ir de novo para a linha de frente da luta contra a doença, ele já esteja imunizado contra o vírus. De acordo com o infectologista Paulo Olzon, uma vez que a pessoa esteja recuperada do coronavírus, não há nenhuma restrição. “É vida normal.”

*Com informações do Estadão Conteúdo e do Portal Jovem Pan.

 

EUA dizem que encontraram remédio que pode tratar coronavírus

Em pronunciamento nesta quinta-feira (19), o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump disse que as drogas hidroxicloroquina e remdesivir podem ter bons resultados contra o coronavírus, com base em um estudo feito na China, e pediu velocidade de testes e possível aproção pela FDA (Food  and Drugs Administration), espécie de Anvisa do país. O discurso de Trump, inicialmente, deu a entender que os EUA tinham descoberto uma cura para o novo coronavírus, o que não aconteceu.

Na mesma conferência, um dos membros da FDA, Stephen Hahn, disse que o uso da droga ainda está em testes para avaliar como ela funciona e em que dose deve ser utilizada contra o coronavírus.

➤ Leia também:

 

A hidroxicloroquina já é usada no tratamento de malária e também vem sendo experimentada contra o novo coronavírus na França.

Durante a coletiva, Trump anunciou que, em breve, qualquer cidadão poderá comprar o medicamento, desde que tenham prescrição médica. A hidroxicloroquina também poderá ser distribuída em consultas e hospitais.

Para o presidente dos EUA, a vantagem de usar um medicamento já existente é ter a certeza de que ele já foi testado e aprovado. “Se você começa a desenvolver uma droga do zero, não sabe o que vai acontecer”.

“Os médicos vão distribuir o medicamento, os Estados também, vai ser excelente. Esse pode ser ou não o momento de virada”, afirmou Trump sobre os efeitos da droga no coronavírus ainda estarem sendo estudados.

 

“Estados individuais lidam com isso, médicos lidam com isso, acho que vai ser ótimo”, diz Trump. O governo continua estudando a droga. “Poderia ser um divisor de águas, e talvez não.”

A utilização dessa droga já havia sido sugerida por figuras importantes com Elon Musk, presidente da Tesla, e pelo fundador da Microsoft, Bill Gates.

Quarentena nos EUA

Sobre o crescimento de casos nos Estados Unidos, Trump disse que saberá somente se o distanciamento social de 15 dias precisa ser estendido “no décimo quarto dia”.

O presidente também afirmou que os locais mais afetados pelo vírus estão “trabalhando duro para fazer a quarentena” e que o “governo está se movimentando rapidamente para oferecer mais trabalho remoto”.

Vacina

Stephen Hahn, da FDA, também disse que os testes para uma vacina contra o coronavírus devem permitir sua utilização em até 12 meses. De acordo com Trump, esse é um foco da FDA.

A vacina em questão foi desenvolvida pela farmacêutica Moderna. Após o anúncio de Hahn, as ações da companhia subiram mais de 20%, de acordo com o site de notícias Bloomberg.

As informações são do portal de notícia EXAME.

 

Obs. Não conseguimos identificar a autoria das imagens 

 

FGV, Senai e Udemy oferecem cursos online gratuitos para fazer durante a quarentena

395views

Se você está em busca de estudar gratuitamente sem precisar sair de casa para impulsionar sua carreira e adquirir mais conhecimentos, saiba então que a FGV (uma das melhores faculdades do Brasil) oferece diversos cursos online gratuitos, abertos a todas as pessoas, sem restrições, com emissão de declaração de participação incluindo 5 cursos em espanhol.

São 55 cursos online gratuitos em diversas áreas de conhecimento para você escolher e impulsionar sua carreira. 

Clique AQUI para saber mais sobre os diversos cursos oferecidos.

SENAI

Já o Senai (Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial) tem disponível um total de 12 cursos totalmente gratuitos em sua plataforma de ensino online. Se você quer impulsionar sua carreira e carimbar mais conhecimentos no currículo, aproveite esta oportunidade!

Todos os cursos têm certificação ao final, é uma excelente forma de dar um UP no currículo e ainda gerar horas complementares na faculdade. O aluno receberá o certificado somente se obtiver até 70% de aproveitamento durante o curso. Após ser aprovado, o próprio estudante emite o documento via web.

A metodologia da Educação a Distância é bastante flexível em relação ao tempo diário de estudo. Assim, os treinamentos são planejados a partir de um cronograma de atividades que contempla todas as etapas que os alunos devem cumprir, o que exige disciplina e comprometimento.

Conheça AQUI os cursos que o Senai tem para oferecer.

UDEMY

A Udemy, uma plataforma de curso online voltada para quem deseja estudar sem sair de casa, libera 40 cursos gratuitamente da área de programação e tecnologia. O site do serviço permite aprender com aulas grátis ou pagas, ou ainda ensinar sua própria aula.

Saiba mais AQUI sobre os cursos pagos que estão de graça na Udemy.

 

 

 

Seis boas notícias sobre o coronavírus

334views

O avanço do coronavírus  em diferentes países fez a Organização Mundial de Saúde (OMS) declarar que a situação representa uma pandemia. Entretanto, há boas notícias relacionadas ao vírus. Confira:

1. A China obteve bons resultados no combate 

O número de casos diagnosticados na China está diminuindo e, segundo o presidente Xi Jinping, a epidemia está “praticamente detida” no país. Neste sábado (14), foram divulgados apenas 11 novos casos do novo coronavírus, e a maioria se refere a pessoas que vieram do Exterior. Quatro foram registrados na cidade de Wuhan, epicentro da covid-19, e sete correspondem a pessoas que vieram de fora da China. É o menor número de novos infectados desde o início da publicação de estatísticas sobre o novo coronavírus, em janeiro.

➤ Leia também: Primeiro paciente confirmado com coronavírus no Brasil está curado

2. A maioria das pessoas se recupera  

A maioria das pessoas infectadas se recupera dentro de semanas, como, por exemplo, o primeiro paciente diagnosticado com coronavírus no Brasil, que já está curado. Ele contraiu o vírus na Itália, teve o diagnóstico confirmado em 25 de fevereiro e foi tratado no Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo. O primeiro paciente diagnosticado no Rio Grande do Sul, em Campo Bom, também está curado e retornou ao trabalho. 

3. As medidas de prevenção são simples 

O vírus é facilmente inativado com cuidados simples de higiene, como a lavagem frequente das mãos com água e sabão. Superfícies podem ser higienizadas com etanol, peróxido de hidrogênio ou hipoclorito de sódio.

4. 80% das pessoas sofrem sintomas leves 

Conforme dados internacionais, cerca de 80% dos casos terão sintomas leves (febre baixa, tosse, dor de garganta e coriza). Para esses pacientes, o tratamento indicado é repouso e ingestão de líquidos, além de medidas para aliviar os sintomas, como analgésicos e antitérmicos. Para os outros 20%, pode ser necessária a internação hospitalar. 

5. As pesquisas avançam

Conforme dados internacionais, cerca de 80% dos casos terão sintomas leves (febre baixa, tosse, dor de garganta e coriza). Para esses pacientes, o tratamento indicado é repouso e ingestão de líquidos, além de medidas para aliviar os sintomas, como analgésicos e antitérmicos. Para os outros 20%, pode ser necessária a internação hospitalar. 

Em todo o mundo, especialistas se dedicam a entender o vírus e projetar uma vacina. O vírus foi identificado em 7 de janeiro, na China, e no dia 10, seu genoma já estava disponível, um importante passo para o desenvolvimento de uma vacina. Em 13 de janeiro, foi disponibilizado o teste de RT-PCR para detectar o vírus. 

6. As crianças quase não sofrem

Embora as crianças possam ser infectadas e transmitir o coronavírus, apenas 2,5% delas desenvolveram uma forma grave da doença, e 0,2%, uma forma crítica. A informação é de um relatório da missão conjunta China-OMS publicado no final de fevereiro. Em outro estudo publicado na sexta-feira (13) na revista Nature Medicine, os pesquisadores estabeleceram que, entre quase 4 mil pessoas que estiveram em contato com uma pessoa doente, 3,5% dos adultos foram infectados, mas apenas 1,1% das crianças.

As informações são: GAUCHAZH.

Imagem de Fernando Zhiminaicela por Pixabay

Suco de Melão de São Caetano destrói mais de 90% das células cancerígenas

6.5kviews

Conhecida no Brasil como Melão de São Caetano, a planta asiática melão amargo (Momordica charantia) mostrou-se incrivelmente eficaz no combate às células cancerígenas que atacam o pâncreas.

Há casos em que após 72 horas de tratamento com o suco do melão, dissolvido em 5% de água, dois tipos de câncer pancreático foram eliminados em uma taxa de 98%. [wpdiscuz-feedback id=”gt1u42vydd” question=”Please leave a feedback on this” opened=”1″]Em alguns pacientes, as células cancerígenas tiveram uma redução de 90%. Uma verdadeira vitória para os pesquisadores![/wpdiscuz-feedback]

 

➤ Leia também:

 

Tudo acontece como resposta natural do organismo em relação a células invasoras, em um processo conhecido como apoptose. Ao ser absorvido pelo organismo, o suco do melão gerou o colapso do metabolismo de alimentação por glicose das células doentes.

Em outras palavras, o suco impediu que as células invasoras se alimentassem de açúcar, principal meio de sobrevivência das células. Sem alimento, elas acabaram morrendo e, como resultado, mais de 90% do câncer pancreático foi eliminado ou reduzido.

Erva de São Caetano – Planta encontrada no Sertão
Foto: Ilustração

O Doutor Rakesh Aggarwal, responsável pelos ótimos avanços na pesquisa, iniciou os estudos ao constatar que chineses e indianos ingeriam a planta como auxiliar no tratamento da diabete e obtinham excelentes resultados. Como essa doença, em casos mais graves, pode ocasionar o câncer no pâncreas, Rajesh só relacionou as ideias e deu início à pesquisa, obtendo êxito.

Segundo a Doutora Ratna Ray, do Centro Médico da Universidade de Saint Louis, é difícil medir o resultado exato do tratamento com o extrato de Melão de São Caetano no crescimento das células, porém combinado com as terapias e remédios existentes, pode auxiliar na eficácia do combate ao câncer.

Fonte: Revista do Meio Ambiente.

Informações do Livro Milagre da Natureza

Estudante brasileira cria absorvente sustentável e ganha “Oscar” do design mundial

Absorvente interno biodegradável para mulheres em situação de risco rende a Rafaella de Bona o prêmio alemão iF Design Talent Award 2019.

Uma estudante curitibana ganhou um prêmio de design mundial com um projeto voltado ao cuidado da higiene de mulheres em situação de rua. Rafaella de Bona, de 22 anos, desenvolveu um absorvente interno descartável, biodegradável, a partir de uma fibra de banana.

O projeto foi criado para a conclusão do curso de especialização em design com o tema “Soluções de impacto para o futuro”. Ela precisava escolher um dos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da ONU e decidiu trabalhar no primeiro: “Erradicação da pobreza”.

Foto: Divulgação

O projeto batizado de “Maria” concorreu ao lado de outros 4 mil, de 38 países, ao iF Design Talent Award 2019. Dos 39 vencedores de todo o mundo, a curitibana foi a única brasileira a receber o reconhecimento este ano. A ideia foi inspirada em uma iniciativa que existe na Índia e utiliza a fibra da banana para produzir absorventes femininos externos.

Rafaella aprimorou a proposta. Basicamente, o absorvente vem em um rolo e pode ser destacado e enrolado de acordo com a necessidade. Assim como os itens disponíveis no mercado, os tamanhos variam.

O objetivo agora é desenvolver um protótipo para fazer testes e avaliar a eficácia do produto.Mas para Rafaella, só o fato de chamar a atenção para o problema já é um grande passo do trabalho.

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Fonte: Band News Curitiba